terça-feira, 3 de julho de 2012

BATE PAPO COM WANDERLEI SILVA


Wanderlei Silva não venceu no UFC BH, realizado dia 23 de junho. Mas, isso não quer dizer que o brasileiro ficou sem motivos para comemorar. Aos 35 anos, o “Cachorro Louco” viveu um dos capítulos mais especiais de sua história, ao atuar diante de seus compatriotas após 12 anos. Nem mesmo a derrota para Rich Franklin foi capaz de desanimar o lutador, que rasgou elogios ao evento, sediado no Ginásio do Mineirinho.

Em entrevista à TATAME, Wanderlei garantiu que planeja alcançar 50 lutas na carreira, mas descartou que irá se aposentar. Lutando por amor, o curitibano ainda aguarda por Vitor Belfort, com quem espera fazer a revanche no Rio de Janeiro, em outubro.

“Eu estou pronto e a minha próxima luta quero fazer com o Belfort. Embora o patrão tenha falado que não e tal, muita coisa acontece. Meu nome está na lista”.

De que forma avalia sua performance?

Essa luta foi aquela luta que eu dei tudo, fiz tudo que eu quero. O plano deu certíssimo. O plano era dar uma estudada no primeiro e, a partir do segundo, esperar conectar os golpes para pegar e finalizar. Aconteceu, conectei, fui para cima. Eu contei ali. Dei mais de 60 socos.

Já reviu a luta? O que você achou da atitude do árbitro de não ter interrompido o combate?

Então, poderia ter interrompido como poderia não ter interrompido. Eu, particularmente, sou suspeito para falar porque eu sou aquele cara que gosto de deixar um pouquinho a mais, deixar o cara realmente ver que não dá mais. Óbvio que eu queria que ele tivesse parado. Fiz tudo ali, ele (Franklin) se fechou e aquele era o momento de ter parado, mas não dá para recriminar o árbitro. O cara foi realmente salvo pelo gongo, se mostrou um atleta muito bem preparado para o combate. Ganhamos a luta da noite e eu fiquei feliz com a sua performance.

Você daria o prêmio de luta da noite para a sua luta mesmo ou para o duelo do Serginho contra o Mutante?

Aí não sou eu quem decide. Quem decide é o patrão, tem que perguntar para ele. Gostei muito da luta do Serginho com o Mutante e acho que o Mutante só ganhou a luta naquela quedinha no final. Até ali, o Serginho podia até ter ganho, mas aquela queda do final decidiu.

Havia uma grande expectativa de lutar no Brasil depois de tantos anos. Como foi?

Foi um dos momentos mais emocionantes da minha carreira. O atleta que já passou e sentiu uma emoção assim tão forte... É fantástico. Fiquei muito feliz, queria agradecer a cada um que esteve no Mineirinho e que sofreu com a gente, comemorou comigo. Poxa, sem dúvida nenhuma, foi um dos momentos mais marcantes da minha vida.

O que achou do Ginásio do Mineirinho?

Achei que não deve nada a nenhum ginásio do mundo. A estrutura estava muito boa, um ginásio muito bonito, a arquibancada vai subindo, então deu para todo mundo ver o show. Foi realmente um evento completo. Aconteceu aquilo que eu falei antes da luta. Poxa, mas o cara não tem nome e tal... Olha, todos os lutadores estão de parabéns, se apresentaram muito bem e foi um evento que não deixou nada a desejar a nenhum outro UFC. Tivemos lutas emocionantes e muitos lutadores carimbaram o passaporte para entrar no UFC.

Você já manifestou a vontade de chegar a 50 lutas. Ainda tem essa vontade?

Na verdade, queria fazer cem, mas não vai dar (risos). Pelo menos 50.

Então, seu objetivo a curto prazo é alcançar 50 lutas e parar?

Não. Na verdade, eu amo lutar, lutar é a minha vida. Enquanto eles quiserem me ver, estarei aí. Provei para todo mundo que estou bem, aguentei lutar muito bem quase meia hora. No meio de tantos atletas novos, consegui fazer a luta da noite, uma coisa que não é fácil em um evento desse nível, com atletas com tanta disposição. Foi uma grande honra ter me apresentado tão bem para todos no Brasil. O Silva mostrou que está com tudo ainda.

O que achou da atitude do Rich Franklin, que o levantou depois do combate?

No nosso meio, ele é um dos caras mais carismáticos, um cara exemplar. É querido por todos os atletas. Queria até agradecê-lo por ter aceitado lutar no Brasil e de última hora. É um grande atleta, se apresentou muito bem e foi uma honra ter lutado com ele nesse evento.

O UFC Rio 3 foi confirmado para outubro. Acha possível que a revanche contra o Vitor Belfort, enfim, aconteça?

Segunda-feira já estou treinando e se o patrão chamar... Eu estou pronto e a minha próxima luta quero fazer com o Belfort. Embora o patrão tenha falado que não e tal, muita coisa acontece. Meu nome está na lista. Eu luto com ele na hora e aonde ele quiser.

Então, mesmo que o Dana White tenha falado que está mais distante dessa luta acontecer, acha possível que ela ocorra em outubro?

Lógico que é. Por que não? Me apresentei bem, a luta foi até o final e o melhor momento foi meu. Estou pronto para ele aonde e na hora que ele quiser.

Quer deixar algum recado?

Quero agradecer a toda a torcida, a galera da TATAME. Queria agradecer vocês por divulgar as lutas dando esse espaço tão bom para a gente. Agradeço muito a torcida de vocês, fiz meu melhor. Realmente, lutar meia hora ali não é fácil, mas obrigado para quem vibra e chora junto. Vamos continuar treinando. Vamos para a próxima que, se Deus quiser, vai ser uma vitória. Um abraço a todos vocês. Fiquem com Deus.

Fonte: tatame

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails