domingo, 27 de abril de 2014

ESTAMOS DE VOLTA

ESTAMOS DE VOLTA

POLICIAIS MIRINS RECEBEM GRADUAÇÃO DE FAIXA DE JIU-JITSU

POLICIAIS MIRINS RECEBEM GRADUAÇÃO DE FAIXA DE JIU-JITSU

                        Na tarde deste sábado (26) a Academia Hikari Currais Novos, esteve graduando os seus membros, e entre eles também estavam presentes os policiais mirins Jeferosn Santana, Ikaro Santos, Ítalo Santos, Gabriel Abdias, Erik Matheus e Esaú, os mesmos receberam pela primeira vez a graduação de faixa de jiu-jitsu. Esta é uma parceria entre a Hikari CN e o nosso Projeto de Polícia Mirim - PHG.



http://policiamirimcnphg.blogspot.com.br/2014/04/policiais-mirins-recebem-graduacao-de.html?m=1

DANA REJEITA VOLTA DE BELFORT A TEMPO DO UFC 175:


Durante a feira Arnold Classic Brasil, no Rio de Janeiro, o lutador brasileiro Vitor Belfort afirmou, na última sexta-feira, que havia feito um teste e já estava limpo de resíduos da terapia de reposição de testosterona (TRT), tratamento usado por ele nos últimos dois anos e recentemente banido pela comissão atlética de Nevada, nos EUA. Ele pediu para receber de volta sua luta pelo cinturão dos pesos-médios do UFC contra o atual campeão da categoria, Chris Weidman, que passou para Lyoto Machida e foi adiada para 5 de julho, no UFC 175.



O presidente do UFC, Dana White, ouviu falar das declarações do carioca durante seu tradicional bate-papo com os jornalistas pós-evento, após o UFC 172, na madrugada deste domingo, em Baltimore. O dirigente achou graça das declarações e descartou mudar os planos para acomodar o pedido de Belfort. Segundo ele, o processo para que o ex-campeão dos pesos-meio-pesados consiga sua licença de lutador em Nevada (estado onde fica a cidade de Las Vegas, sede do UFC 175), é longo e lento.

- Ele tem muito trabalho a fazer. Essas coisas não acontecem assim. Você tem que entrar na agenda, ele tem muito a fazer. Ele está se enganando se acha que fez dois testes em casa e está pronto para lutar, se é isso que ele fez - disse Dana ao comentar a situação, antes de comentar que ouvir as ideias de Belfort "sempre é divertido".

Durante a semana, White admitiu que Vitor Belfort permanece como o desafiante número 1 entre os pesos-médios e o primeiro adversário para o vencedor de Weidman x Machida, desde que regularize sua situação com a comissão de Nevada, o que lhe daria licença para lutar em qualquer lugar nos EUA.

- É o lance do TRT com a comissão. Ele precisa resolver seus problemas com a comissão atlética de Nevada, e quando ele fizer isso, a gente resolve (quando ele vai voltar) - disse Dana neste domingo. 

http://forum.portaldovt.com.br/forum/index.php?showtopic=169485

SALDO DA LUTA PARA GLOVER: MÚSCULO ROMPIDO E LESÃO NA COSTELA E NO OMBRO.

Glover Teixeira (Foto: Reprodução/SporTV)
Derrotado por Jon Jones na disputa do título dos meio-pesados do UFC na madrugada deste domingo, em Baltimore (EUA), o brasileiro Glover Teixeiranão sofreu apenas a tristeza pela derrota, por decisão unânime dos jurados (triplo 50 a 45). Além de perder a chance de conquistar o cinturão, Glover terá que passar por exames para avaliar a extensão das lesões sofridas na luta. Em entrevista ao SporTV, com o rosto bastante inchado, o lutador disse que rompeu um músculo do abdômen e que sente dores na costela e no ombro.

- Primeiro quero agradecer a galera toda que mandou mensagens para mim. Não foi dessa vez. Dei o meu máximo, o Jon Jones é duro mesmo, aguentou. Vou fazer um exame na costela, rompi um músculo do abdômen, e um exame no ombro. O ombro não está deslocado, mas o médico disse que pode ter deslocado, voltado para o lugar e lesionado algum ligamento. Vou fazer a ressonância essa semana – afirmou o lutador.
Com o triunfo, Jon Jones se consolidou no topo da lista de atuais campeões do UFC. O americano tem 20 vitórias no cartel, 11 seguidas desde que sofreu o seu único revés, numa polêmica desclassificação por conta de golpes ilegais diante de Matt Hamill, em 2009.
Apesar da superioridade de Jones, o brasileiro diz que não mudaria a sua estratégia e diz que vai trabalhar forte para ter uma nova oportunidade de ser campeão.

- Se eu pudesse voltar no tempo, primeiramente não ia me surpreender com aquela chave de braço logo no início. Acho que ia fazer a mesma estratégia, só não ia deixá-lo me encostar na grade. A mesma estratégia, encurtar a distância e tentar nocautear. Mas eu vou voltar. Vou treinar bastante. Estou com 34 anos, mas estou me sentindo bem. Cada vez mais aprendo com a experiência. Parecia que nem estava lutando pelo cinturão. Eu pensava no dia em que iria lutar pelo cinturão, se eu ia ficar nervoso. Mas não, eu estava calmo, tranquilo, vendo a técnica, os golpes. Jon Jones é um grande lutador e me venceu. E o negócio é voltar e tentar ganhar dele de novo.

Até a derrota para o americano, Glover Teixeira vinha em uma ótima sequência, com 20 vitórias seguidas no MMA, ostentando uma invencibilidade que durava desde 2005. Sobre a luta em Baltimore, o brasileiro lamenta não ter conseguido colocar em prática o que planejou.


- Eu me lembro da luta toda. Sabia que estava perdendo os rounds. Mas a estratégia era encurtar a distância e bater bastante no corpo dele para cansá-lo e depois aproveitar e ir para a cabeça e tentar nocautear. Mas eu não consegui fazer isso, porque, depois da chave de braço em pé na grade, meu ombro estourou. Treinei para botar para baixo, sou um cara que não tenho muito plano. Sou um cara que estou sempre bem em todas as artes marciais. Tanto que eu sabia que ele ia tentar me colocar para baixo e treinei bastante levantada, finalização no chão. O cara também é bom. Perdi a força da pancada no terceiro round, depois veio o corte, mas tudo da luta mesmo. Não é questão de desculpa. O cara fez isso, ele me machucou assim, e a gente não conseguiu pôr o jogo lá – finalizou.
GLOBO.COM
Related Posts with Thumbnails