domingo, 31 de março de 2013

ANDERSON SILVA COGITA LUTA CONTRA JON JONES


Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Campeão dos médios do UFC, o lutador Anderson Silva é o mais dominante atleta na história do UFC com 16 vitórias consecutivas na organização e maior número de defesas de cinturão.Com luta marcada contra Chris Weidman no UFC 162, Anderson Silva tentará manter o seu reinado, enquanto Jon Jones, maior revelação contemporanea no UFC busca trilhar os passos de Anderson na divisão de cima, tendo vencido os mais duros oponentes e limpando a divisão, defendendo mais uma vez seu cinturão no UFC 159 contra Chael Sonnen.
No entanto, a possibilidade de um combate entre os dois lutadores mais aclamados do planeta é sempre tema de polêmica. E após afirmações de ambos negando a posibilidade do combate, o tempo vem o fazendo tornar-se mais viável.
Após Jones confirmar recentemente uma possibilidade de enfrentar seu ídolo, Anderson em entrevista ao site Lancenet!, deu o entender que a luta acontecerá “se estiver vivo”, provavelmente no dia 20 de novembro no evento comemorativo de 20 anos do UFC, que aconteceria no famoso Madison Square Garden, primeiro evento do Ultimate em Nova Iorque.
“Olha só, se eu estiver vivo até lá… (risos) Mas eu acho que sim. Tudo pode acontecer. Mas eu acho que é possível que aconteça, sim. Vou ter que treinar, né, para fazer um grande espetáculo para os fãs.”, afirmou Spider.
Por Redação MMA Space
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

EX-UFC’s, MILTINHO VIEIRA E "MACACAO" SE ENCARAM NO BRASIL.


Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Dois grandes nomes brasileiros do MMA, o lendário Jorge Patino Macaco tenta dar continuidade à sua ótima fase de 7 lutas sem ser derrotado enfrentando o atleta recém demitido do UFC, Miltinho Vieira.Ambos tem uma grande experiência em suas carreiras, tendo Macaco 29 vitórias e 13 vitórias além de um empate e uma luta sem resultado. Miltinho tem 13 vitórias e 8 derrotas além de dois empates.

Os atletas se encaram pelo Max Sport, que acontece no ginásio do Corinthians no dia 11 de maio. Miltinho, que vem de um empate e uma derrota polêmica no UFC, busca retomar seu contrato com a maior organização de lutas do mundo enquanto Macaco mesmo aos quase 40 anos objetiva usar uma nova vitória como trampolim para voltar a lutar no Ultimate.
Por Redação MMA Space
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

WERDUM QUER LUTAR PELO CINTURÃO APÓS "BATER" MINOTAURO


Luiz Pires Dias/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images  

Lutador peso pesado do UFC e treinador da segunda edição do reality show “The Ultimate Fighter Brasil – Em busca de campeões”, Fabricio Werdum comanda a equipe a competir com o Time Nogueira, comandado por Minotauro, seu oponente no UFC que acontece em Fortaleza no dia 8 de junho.
Confiante em sua vitória sobre o ex-campeão interino do UFC e uma das maiores lendas do esporte, Werdum quer reescrever a história e conseguir uma vitória sobre Minotauro, que o venceu no Pride em 2006, disputando o cinturão em seguida.
“Meu foco agora é bater o Minotauro. Eu sei que é uma luta muito difícil, mas eu estou treinando muito para esta luta. Depois disso, eu não sei quem vai ser o dono do cinturão . Mas, eu quero o cinturão. Talvez ‘Bigfoot’ Dos Santos, Cain Velasquez , não importa, eu quero o cinturão. “, disse ao Pro MMA Now.
O TUF Brasil 2, comandado por Minotauro e Werdum, vai ao ar todo o domingo após as 23 horas na TV Globo, após o programa Fantástico e revelará uma nova estrela do UFC na categoria dos meio médios.
Por Redação MMA Space
Foto: Luiz Pires Dias/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

sábado, 30 de março de 2013

CORTE NO ROSTO É MOTIVAÇÃO EXTRA PARA PEZÃO EM COMBATE CONTRA VELÁSQUEZ


Antônio Pezão cicatriz MMA UFC (Foto: Reprodução/ Twitter)Pezão postou foto dos pontos que precisou levar
após a luta no UFC 146 (Foto: Reprodução/ Twitter)
Uma das lutas mais sangrentas da história do UFC foi proporcionada por Cain Velásquez eAntônio Pezão no UFC 146, no dia 26 de maio de 2012. O americano acertou uma cotovelada na testa do brasileiro e abriu um grande corte no local. Praticamente um ano depois, no dia 25 de maio deste ano, ambos vão se reencontrar, agora na disputa do título do peso-pesado. Pezão revelou que a cicatriz não o deixa esquecer do rival e que isso acaba sendo uma motivação a mais.
- Vou entrar muito furioso na luta. A primeira razão é porque quero o título. E a segunda coisa é que todos os dias eu me levanto, me olho no espelho e vejo o grande corte no rosto - disse o brasileiro, de acordo com o site "MMAWeekly".
Um erro de estratégia acabou sendo o fator principal para Pezão sofrer esse corte no rosto e, por consequência, perder a luta, já que a quantidade de sangue era tanta que ele não conseguia mais enxergar. Pezão aplicou um chute despretensioso no início do combate, e Velásquez aproveitou esse movimento para ir nas pernas do brasileiro e derrubá-lo. Por cima, ele emendou uma sequência de cotoveladas e socos no ground and pound.
- Nesta próxima luta, nada de chutes. Isso é muito importante. (...) Eu estou treinando a mesma estratégia que treinei antes. O problema (ter dado o chute) foi a minha mente, minha adrenalina. Mas eu vou fazer a mesma coisa. Tenho um monte de armas para vencer a luta - declarou.
A disputa do título do peso-pesado será no UFC 160, em Las Vegas (EUA). Além dessa luta, o Brasil estará presente em outras duas, com Junior Cigano e Glover Teixeira. Confira o card completo:
UFC 160
25 de maio de 2013, em Las Vegas (EUA)
CARD DO EVENTO
Cain Velásquez x Antônio Pezão
Junior Cigano x Mark Hunt
Glover Teixeira x James Te Huna
Gray Maynard x TJ Grant
Donald Cerrone x KJ Noons
Gunnar Nelson x Mike Pyle
Khabib Nurmagomedov x Abel Trujillo
Brian Bowles x George Roop
Colton Smith x Robert Whittaker
Amir Sadollah x Stephen Thompson
Dennis Bermudez x Max Holloway
Jeremy Stephens x Estevan Payan

ZINGANO PROMETE FIRMEZA PARA LIDAR COM HOMENS NO TUF: 'SEI ME IMPOR'


A lutadora americana Cat Zingano poderia estar ensinando linguagem de sinais neste momento se não fosse uma visita despretenciosa a uma academia de jiu-jítsu. Oito anos depois, a atleta do Colorado, invicta em sete lutas profissionais no MMA, está prestes a estrear no UFC contra Miesha Tate, com uma chance de disputar o cinturão e protagonizar o reality show The Ultimate Fighter em jogo.
- Desde que entrei naquela academia, minha vida melhorou muito, e o jiu-jítsu mudou minha vida - reconheceu Zingano, em entrevista ao SPORTV.COM.
Cat Zingano MMA UFC (Foto: Esther Lin/Invicta FC)Cat Zingano na pesagem de sua última luta: americana quer ser melhor do UFC (Foto: Esther Lin/Invicta FC)
Não é exagero. O sobrenome que Cat usa em seu nome profissional veio do marido, o brasileiro Maurício Zingano, que era o dono da academia em que ela entrou em 2007, a fim de recuperar a emoção da competição da qual sentia saudades desde que largou a luta olímpica. A lutadora sonhava estar entre as primeiras mulheres a disputar as Olimpíadas na modalidade, em Atenas-2004, mas perdeu a paixão pelo esporte na época das seletivas e o abandonou pouco depois. Ela reencontrou a paixão pelas lutas quando estreou no MMA, também em 2007, pouco depois de se tornar campeã mundial de jiu-jítsu na faixa-branca.
- Um promotor de eventos ligou para o meu marido e perguntou se ele tinha uma lutadora até 56,7kg para um combate, e estávamos no carro. Eu perguntei se eu podia lutar, ele disse, "Hmmm, não sei..." Eu insisti, queria muito lutar. Foi em outubro de 2007. Ele me treinou por oito semanas, me ensinou tudo o que eu precisava saber e, quando minha mão foi levantada naquela noite, decidi que era isso o que eu queria fazer. Eu estava fazendo curso para ser instrutora de linguagem de sinais, mas larguei tudo e fui aprender e treinar o que fosse preciso para ser a melhor do mundo no MMA - conta.
Pouco mais de cinco anos depois, Zingano está a duas lutas do objetivo. Primeiro, precisa passar por Miesha Tate no TUF 17 Finale, em 13 de abril, para conquistar a chance de disputar o título dos pesos-galos femininos contra a atual campeã, Ronda Rousey. A luta pelo cinturão viria atrelada a outra oportunidade única: a de estrelar o reality show The Ultimate Fighter, que, pela primeira vez, terá mulheres como treinadoras, e, também de forma inédita, terá competidores homens e mulheres dividindo a mesma casa. A curiosidade em torno do que acontecerá no programa já começou, e Zingano tem certeza que não terá problemas em obter o respeito dos homens que vai treinar.
- Eu treino homens no MMA há cinco anos e já fui córner de todos os que treinam na minha escola, já fui córner também em outras escolas. Tenho muita experiência em preparar todos mentalmente e atuar como mentora para a competição. Sei como ajudar as pessoas quando estão por baixo, sei como me impor e ensinar uma lição quando elas estão se sentindo demais. Sou boa com estratégia. Se eles não respeitarem no começo, sei que vou conseguir conquistar isso. O que tenho para oferecer é valioso. Estou muito ansiosa para ajudar esses lutadores - admite.
Confira a entrevista com Cat Zingano na íntegra:
SPORTV.COM: Como você começou a lutar MMA?
CAT ZINGANO: Quando tinha 12 anos, comecei a fazer luta olímpica. Eu era a única garota no time, com uns 50 caras. Eu adorava o esporte e o pratiquei até 2004. Eu queria me classificar para as Olimpíadas e ser uma das primeiras mulheres a competir lá, mas, quando chegou a época das seletivas, eu estava exausta e comecei a perder a paixão pelo esporte. Me aposentei e, pelos próximos anos, comecei a procurar por outro esporte que me trouxesse a mesma paixão. Tentei algumas coisas, mas não conseguia me encontrar. Aí, acidentalmente "tropecei" na escola de jiu-jítsu do meu marido. Uma amiga estava fazendo aula lá e insistiu para que eu fosse, tentei por uma semana e me apaixonei. Aí, três semanas depois, quis participar de um torneio de jiu-jítsu. Fui campeã. Depois, um promotor de eventos ligou para o meu marido e perguntou se ele tinha uma lutadora até 56,7kg para um combate, e estávamos no carro. Eu perguntei se eu podia lutar, ele disse, "Hmmm, não sei..." Eu insisti, queria muito lutar. Foi em outubro de 2007. Ele me treinou por oito semanas, me ensinou tudo o que eu precisava saber e, quando minha mão foi levantada naquela noite, decidi que era isso o que eu queria fazer. Eu estava fazendo curso para ser instrutora de linguagem de sinais, mas larguei tudo e fui aprender e treinar o que fosse preciso para ser a melhor do mundo no MMA
Cat Zingano e marido Maurício Zingano MMA UFC (Foto: Esther Lin/Invicta FC)
Cat nos braços do marido Maurício Zingano após
vitória no Invicta (Foto: Esther Lin/Invicta FC)
Você é casada com um lutador brasileiro, Maurício Zingano. Você sabe falar alguma coisa em português?
Quando eu vou para o Brasil, depois de uma semana, eu consigo entender as pessoas, mas sou um pouco tímida, porque confundo muito as palavras, fico perdida. Consigo pedir comida e falar com minha família aí. Falo muito com meu sobrinho João, que está planejando vir para os EUA e está aprendendo inglês, então nós nos ajudamos, estamos trabalhando juntos nisso. Minha cunhada e minha família estão me ajudando. Eu quero morar um dia no Brasil. Quando eu saio daí, eu me sinto bem falando português, mas quando fico sem ir, perco essa segurança.
Como foi quando você veio para o Brasil pela primeira vez?
Eu amo o Brasil. Na primeira vez que fui, meu marido me levou e ambos competimos pelo Estadual do Rio de Janeiro. Eu e ele vencemos esse torneio. Ele me disse que programou a viagem para chegarmos dois dias antes, porque sabia que, quando chegássemos, eu ia querer aproveitar o país. Chegamos, dormi, bati o peso, competimos, treinamos jiu-jítsu em escolas diferentes e passamos o tempo todo indo à praia, curtindo, indo a boates, ao shopping... (risos) Queria ir para aprender e treinar jiu-jítsu, mas só treinamos duas vezes, porque todo o resto era muito divertido!
Há toda uma etiqueta entre professores e alunos de qualquer arte marcial, então como que você e seu marido superaram isso e começaram a namorar?
Ele tem regras na academia que ninguém pode esair com alunos, e ele tinha essa regras, tinha que ser profissional. Quando eu entrei, a maioria entra procurando por jiu-jítsu, mas eu entrei sem saber o que era. Eu achava que a luta olímpica era muito mais difícil, e acho que ele achava muito engraçado, porque podia rolar e brincar comigo. Nós nos provocávamos bastante, eu falava que ele só me pegou porque torceu meu braço, não entendia o que ele estava fazendo. Fui bastante "humilhada" lá. Nós passamos muito tempo juntos, porque eu ia lutar com ele e eu queria ser a melhor aluna dele. Por causa do meu conhecimento de wrestling, aprendi muito rápido, e queria impressioná-lo como treinador e professor. A partir daí, desenvolvemos uma paixão um pelo outro, e depois de um tempo nós admitimos um para o outro. Começamos a sair e, depois de um ano, ele quis morar junto e adotar meu filho. Meu filho está na vida dele desde que tinha um ano. Desde que entrei naquela academia, minha vida melhorou muito, e o jiu-jítsu mudou minha vida.
Você acreditou algum dia que estaria no UFC, e ainda antes de seu marido?
Não, eu não tinha ideia. Quando decidid lutar MMA, apenas queria lutar, não importava com quem, onde, qual show. O dinheiro, claro que eu queria poder me sustentar, mas não me importava se fosse muito, só queria lutar. Eu não sabia que isso estava acontecendo, fiquei muito surpresa e empolgada de estar no UFC. Não esperava mesmo. Quando o Dana White disse que as mulheres nunca lutariam no UFC, eu não senti inimizade dele, porque, em muitos outros esportes, nunca houve mulheres, nunca respeitaram as mulheres. Quando ele mudou de ideia, achei nobre, achei uma boa jogada nos dar uma chance, especialmente de poder ser técnico no TUF. Acho bem legal, nós merecemos mesmo, foi uma boa decisão. Acho que a divisão até 61,2kg é um bom lugar para começar, e só vai melhorar daqui para frente.
O que você acha da Miesha? Quais fraquezas você acha que pode explorar em seu jogo?
Não importa muito as fraquezas dela, o que importa são minhas forças. Acho que sou mais forte em todas as áreas. Vou ser muito ofensiva e sobrecarregá-la, e só penso na vitória. Não penso no que ela vai fazer, ou em como ela vai fazer, porque senão passo o poder para ela.
A vencedora dessa luta vai ter a chance de treinar no TUF, que terá uma casa dividida entre homens e mulheres pela primeira vez. Você espera ter problemas em lidar com isso e em manter os caras e as garotas separados uns dos outros?
Eu me pergunto isso também! (risos) Não sei. Há piadas, claro, sempre que há homens e mulheres juntos, vai acontecer alguma coisa. Espero que todos se mantenham focados em suas lutas, e que saibam que essa é uma oportunidade que não virá de novo. Tem que focar na oportunidade única na vida deles. Mas, haverá muitos "machos alfa" e "fêmeas alfa" sem nada para fazer a não ser interagir, então certamente haverá problemas. Mas espero que consigamos manter todos focados e prontos para competir.
E como fará para impor liderança e treinamento aos homens? Você já teve problemas com homens que não a respeitavam como treinadora?
Nunca. Eu treino homens no MMA há cinco anos e já fui córner de todos os que treinam na minha escola, já fui córner também em outras escolas. Tenho muita experiência em preparar todos mentalmente e atuar como mentora para a competição. Sei como ajudar as pessoas quando estão por baixo, sei como me impor e ensinar uma lição quando elas estão se sentindo demais. Sou boa com estratégia. Se eles não respeitarem no começo, sei que vou conseguir conquistar isso. O que tenho para oferecer é valioso. Estou muito ansiosa para ajudar esses lutadores

quinta-feira, 28 de março de 2013

JONES DESAFIA ALUNO DO TUF E É FINALIZADO



Jon Jones já defendeu em quatro oportunidades o cinturão dos meio-pesados, e se mantém invicto na carreira. O único a chegar perto de vencê-lo foi Vitor Belfort, e até hoje, todos os seus adversários pensam e repensam uma maneira de superar o americano.

Mas o que tanta gente vem procurando desvendar, Adam Cella, participante do TUF 17 conseguiu. Durante o reality show, Adam apostou algumas verdinhas que venceria Jones em uma disputa de Jiu-Jitsu sem kimono, e não é que ele conseguiu.

Jones tentou derrubar seu pupilo no reality show e acabou vacilando com o pescoço. O erro foi fatal, porque Adam encaixou uma guilhotina e fez o campeão batucar. “Eu fiz o campeão mundial dos meio-pesados bater”, comemorou Adam.

“O que posso dizer? Ele venceu. Mas vão haver muitas revanches. Eu não vou desistir até devolver a finalização”, justificou Jones, sempre competitivo.

Jon Jones é um dos técnicos do “TUF 17″, enquanto Chael Sonnen lidera o outro time. Os dois vão se digladiar no UFC 159, em Nova Jersey, no próximo dia 27 de abril.


CONHECENDO UM MESTRE: BANNI CAVALCANTI




Grão Mestre Banni Cavalcanti, é advogado, Juiz Conciliador do Tribunal de Justiça Arbitral do Brasil e Mercosul, professor de Filosofia com habilitação em História, pós graduado em Administração e Orientação Educacional (FACETED)
Fundador do Banni Fight Club Jiu Jitsu/ Vale Tudo, Professor de Jiu Jitsu 7º grau pela CBJJ, FJJ-RN, Faixa preta em Karate Shorin Ryu e Shotokan , faixa preta 3ºdan de Kickboxing pela WKA - CBMA e 7ºgrau pela ISKA - América do Sul, representante e diretor técnico regional da ISKA no Distrito Federal e  faixa preta de Jiu Jitsu tradicional japonês pelo Mestre Hayashi Kawamura.
O Grão Mestre Banni Cavalcanti desde muito jovem se dedica aos treinamentos do Jiu Jitsu. Apesar de atualmente residir e ter academia em Brasília, seu início nas artes marciais foi em Natal, capital do Rio Grande do Norte, onde nasceu.
Grão Mestre Banni Cavalcanti começou a treinar Jiu Jitsu em 1974, com os Mestres Chico Hemetério e José Tavares, na Academia Hemetério e dois anos depois, passou a treinar Karate, estilo Shotokan com o professor Alberto dos Santos.
Atualmente o Grão Mestre Banni Cavalcanti é 7º grau em Jiu Jitsu pela Confederação Brasileira de Jiu Jitsu e faixa preta no Jiu Jitsu tradicional pelo Mestre Hayashi Kawamura.
Além disso é mestre de diversas outras artes marciais. Durante sua vida este mestre marcial capacitou e treinou diversos campeões. É necessário saber que o Jiu Jitsu se encontra muito forte em Brasília, graças a várias pessoas que fazem da marcialidade a sua vida e o seu ideal, e entre elas, está o Mestre Banni Cavalcanti, que após uma trajetória de sucesso em Natal/ RN foi para Brasília/ DF abrilhantar ainda mais o Jiu Jitsu nacional.

Currículo:
Grão-Mestre em artes marciais emitido pela Faculdade Regional de Filosofia, Ciências e Letras de Candeias e pela Federação Nacional das Artes Marciais
Doutor Honoris Causas em Artes Marciais pela ULTEP
Medalha de honra ao mérito do Exército Brasileiro
Mestre Faixa vermelha e preta, 7º grau, em Jiu Jitsu pela CBJJ e diversas outras entidades marciais nacionais e internacionais;
Faixa preta em Karate, 4º dan
Campeão Brasileiro de Jiu Jitsu
Campeão Estadual/ RJ - cat. faixa preta (pesado)
7 vezes campeão estadual de Jiu Jitsu em Natal/ RN
3 vezes Campeão Norte - Nordeste de Jiu Jitsu
Venceu mais de vinte disputas de Vale Tudo na Região Nordeste e Centro-Oeste.


---- POUCOS ESTADOS TEM ESSE PRIVILÉGIO OBRIGADO MESTRE POR SER O PERCUSSOR DA NOSSA ARTE NO NOSSO ESTADO E NÃO TER DESISTIDO QUANDO AS FORÇAS FICARAM FRACAS. MAIS UM DE SEUS ENSINAMENTOS.
Ossss

http://www.grandesmestresmarciais.com.br/index.php?p=mestres&t=&cat=4&id=56&pg=1


ARGENTINO NO TUF BRASIL AINDA CAUSA PÔLEMICA


Imagem
A entrada do argentino Santiago Ponzinibbio na casa da segunda temporada do The Ultimate Fighter Brasil - Em Busca de Campeões gerou muita polêmica entre os fãs brasileiros de MMA, que reclamaram de um estrangeiro estar ocupando a vaga de um compatriota no programa. Ponzinibbio espera, aos poucos, conquistar os detratores, assim como conquistou os colegas de treino e de trabalho desde que chegou ao Brasil, há cerca de quatro anos, e assim como o país o conquistou. Hoje, o platense de 26 anos não se vê em outro lugar que não Florianópolis, onde criou sua vida e evoluiu como lutador.

- Minha namorada é brasileira, treino aqui, tenho grandes amigos que acreditam em mim, então amo este país. Amo a Argentina, mas amo o Brasil também, pois é um país que está me dando oportunidade de trabalho. Entrarei no TUF para fazer meu trabalho e ganhar o que é meu. Depois que apareceu essa oportunidade, quero ser campeão dessa parada, porque é meu objetivo entrar no UFC. Gosto da vida aqui, nem penso mais em voltar para a Argentina. Estou super bem e quero fazer minha carreira aqui - afirma Ponzinibbio.



Esse amor pelo Brasil foi construído através de muita ralação. O lutador veio para o país de férias, para passar um mês, e, disposto a fazer carreira no MMA e evoluir tecnicamente, decidiu ficar. Montou uma barraca na praia e, para se manter, improvisou: fez massagem na praia, vendeu sanduíches de frango, fez artesanato, vendeu cerveja durante o carnaval... Quando começou a aprender português, se ofereceu como freelancer para ser auxiliar de copa, auxiliar de cozinha, garçom e barman em bares e restaurantes de Florianópolis.

- Foi uma loucura, porque não sabia fazer drinques, mas disse que sabia. Mentira, baixei as receitas na internet, carregava debaixo do braço e tinha que olhar várias vezes para fazer. Quando trabalhei na cozinha, era algo simples, tinha que fazer pastel, salada, mas eu não sabia nada. Falei para o dono: "Se você me ensinar, eu consigo fazer". Aprendi rápido - conta.
Santiago Ponzinibbio já lutava MMA profissionalmente na Argentina e venceu suas seis primeiras lutas. Quando chegou ao Brasil, porém, viu que seu kickboxing e pouco conhecimento de chão eram insuficientes para ter sucesso. Ele conseguiu um acordo para treinar de graça numa academia de Florianópolis após conhecer o dono na praia, usando uma camisa de jiu-jítsu. A recepção que recebeu no tatame não foi nada amistosa.

- Foi bem doido. Não sabia falar o idioma, não tinha dinheiro, estava num país com uma cultura diferente. Quando cheguei na academia, eu era um argentino f***, sem saber nada nem conhecer ninguém. Quando cheguei, o cara juntou o time e falou, "Chegou um argentino para treinar com a gente, vamos botar o pau no gato". Eles enfiaram a porrada em mim, era "porrada no argentino"! Eles me bateram tanto, todos os dias. Eu cheguei da Argentina invicto, achando que era o bom... Minha confiança foi lá embaixo, eu só tomava surra, foi f***! No trabalho, qualquer problema era "culpa do argentino"; na luta, me enfiavam a porrada, não tinha amigos. O começo foi punk.

A dedicação de Ponzinibbio, porém, foi conquistando o respeito dos colegas de treino. O platense trabalhava 14 horas por dia e ainda encontrava disposição para fazer três treinos seguidos. Se não tinha tempo para ir à academia, corria na praia ou na rua. Aos poucos, foi criando amigos, conseguindo lutas e oportunidades. Logo, estava dando aulas de boxe e, há um ano e meio, arrumou patrocínio que o possibilitou se dedicar exclusivamente à luta.

É essa mesma garra que o empurrou para frente que ele vê como grande qualidade capaz de originar lutadores de alto nível no MMA argentino. Segundo Ponzinibbio, a modalidade já está explodindo em popularidade também no país vizinho, mas ainda falta técnica de solo para que seus atletas possam realmente se destacar no cenário internacional.


- Tenho certeza que a Argentina é um país com muita matéria-prima, com bons atletas, mas falta escolinha. Falta conhecimento de jiu-jítsu, de ground and pound, posicionamento no chão. Tem muita trocação, muito boxe, mas pouco de chão. Se o argentino trabalhar bem no chão, vai sair muito lutador de qualidade, pois tem muito cara "braçudo", muitos caras de coração, muito raçudos. Tem qualidade, mas tem que ser melhor trabalhada. Quando eles vêm competir aqui, o nível é muito superior. Está faltando conhecimento técnico - analisa.

No futuro, se conseguir o objetivo de vencer o TUF e ser campeão do UFC, o platense pensa em abrir academias e escolinhas em seu país de origem. Por ora, segue apaixonado pelo Brasil e disposto a mostrar, no reality show, que a rivalidade do futebol não precisa entrar dentro do octógono.

- Sei que tem uma rivalidade do futebol, mas sou muito grato ao Brasil. Todo mundo está falando para "meter a porrada no argentino", mas todos vão ver e vão gostar, porque sou uma pessoa respeitosa, mas dou o sangue. Acho que as pessoas gostam de ver isso. Acho que vai ser bom porque vão quebrar o preconceito, vão ver que argentino não é todo safado, prepotente, arrogante. Claro que tem argentino assim também, mas em todo país tem gente desse tipo - concluiu.

Fonte: http://globoesporte....o-o-brasil.html 

WEIDMAN CONFIANTE EM VITÓRIA CONTRA ANDERSON SILVA


O americano Chris Weidman vai enfrentar o brasileiro Anderson Silva pelo título mundial dos pesos-médios do UFC em julho, mas não vai usar o confronto pelo cinturão para arrancar uma bolsa mais lucrativa do Ultimate. Weidman, que tem apenas cinco lutas pela organização e nove no total, quer vencer o Spider para poder renegociar seu contrato.
- Estou certamente OK em receber o que eu estava recebendo. Acho que eu estava recebendo US$ 24 mil (cerca de R$ 48 mil) para lutar e US$ 24 mil pela vitória. Eu quero fazer isso porque, depois de eu bater Anderson como planejo fazer, aí obviamente o contrato vai saltar mais do que se eu rasgar o contrato agora - disse o americano à rádio do site "MMA Junkie"

Chris Weidman comemora vitória no UFC (Foto: Getty Images)
A disparidade entre os salários de Weidman e Anderson - que recebeu US$ 200 mil (R$ 402 mil) só de salário em sua última luta nos EUA, fora bônus e participação em vendas de pacotes de pay per view - é reflexo não só das vantagens de ser campeão, mas da diferença em nível de experiência dos dois lutadores. Enquanto o Spider tem 16 lutas pelo UFC e 10 defesas de cinturão, o nova-iorquino tem apenas nove lutas como profissional no MMA e cinco no Ultimate.
- As pessoas dizem que não tenho muitas lutas, o que é verdade, mas nunca tive uma luta fácil. Mesmo quando eu estava no Ring of Combat, nós sempre queríamos pegar os melhores lutadores, porque queria ganhar essa experiência. Caras como Uriah Hall, que está aparecendo no "The Ultimate Fighter", eu o enfrentei na minha terceira luta. Eu me coloquei em muitas posições arriscadas enfrentando caras bons. Eu poderia ter enfrentado 50 caras a esta altura e acabado com todos eles, e seria contra "zé ninguéns", como muitos fazem. Mas eu sempre escolhi a competição mais dura porque eu sabia que isso ia me deixar o melhor que eu poderia ser - justificou Weidman.
O americano vinha pedindo pelo duelo com Anderson desde julho do ano passado, quando derrotou Mark Muñoz, considerado na época um Top 3 da categoria, e já afirmou que vai vencer o brasileiro e conceder uma revanche em seguida. O presidente do UFC, Dana White, o citou ao comentar a luta, dizendo que ele teria prometido "f***" os planos da companhia de realizar superlutas do Spider contra Georges St-Pierre e Jon Jones, campeões das categorias meio-médio e meio-pesado, respectivamente. Weidman negou que tenha usado um palavrão, mas confirmou que avisou ao chefão que arruinaria o projeto.
- Quando as pessoas ouvem isso, parece até que estou provocando, mas sou apenas confiante, e realmente acredito que posso vencer a luta. Acho que é uma luta que as pessoas querem ver. Esta é uma luta dos sonhos para mim. Desde que entrei no MMA, este é o cara que eu queria enfrentar e que eu realmente queria provar que poderia bater. Finalmente tenho a oportunidade de fazê-lo - concluiu.

quarta-feira, 27 de março de 2013

BONITA HOMENAGEM AO GUERREIRINHO ASSASSINADO



Amigos de fé, não lhes trago uma boa notícia, não para nós homens meros carnais, mas para Deus é uma notícia que alegra, para a glória Dele. Ontem o JIU JITSU perdeu um guerreirinho, João Felipe, do RJ da Barra do Piraí... infelizmente foi assassinado brutalmente.

Como eu disse uma notícia triste para nós, para o Jiu Jitsu que perdeu um guerreiro do futuro, mas Deus está ganhando um anjinho para a glória Dele. 

"Deixai as crianças virem a mim. Não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo: aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele". Marcos 10:13-16

Fica aqui nossa homenagem ao João Felipe, que Deus conforte os corações de toda a família. Nossos sentimentos da família Meia Guarda. DESCANSE EM PAZ GUERREIRO. OSS

ATÉ QUANDO IREMOS MOSTRAR ESSE TIPO DE COISAS BRASIL PAÍS DA IMPUNIDADE...

sexta-feira, 22 de março de 2013

GASPARZINHO E SUA "NUVEM NEGRA" NO MMA


A atual fase de Anistávio Gasparzinho realmente não é das melhores. Após não ir longe na disputa da primeira temporada do TUF Brasil, ser finalizado por Rodrigo Damm na única chance que teve no octógono do UFC e ser superado por Nilson Feijão em dezembro do ano passado, o atleta foi forçado a deixar o card do Circuito Talent de MMA por conta de um pneumonia.
“Ficamos triste com a saída do Gasparzinho, mas já acertamos o Julio Gideão para ser o seu substituto”, avisou André Ferraro, organizador do evento, em bate papo com a TATAME.
Com a mudança, Gideão, que tem três vitórias e uma derrota no cartel, é o novo adversário de Guilherme Faria numa das principais atrações do show, que rola dia 05 de abril em Valinhos, São Paulo.
CARD ATÉ O MOMENTO:
Circuito Talent MMA
Sexta-feira, dia 05 de abril
Valinhos – São Paulo

Rick Monstro x Rodolfo Mutante
Guilherme Faria x Julio Gideão
Rodrigo Cabeça x Higor Sagat
Camilinha Pitbull x Aline Sattelmayer
Fernando Netinho x Washington Mamute
Guilherme D’Menor x Ricardo Sattelmayer
Arthur Oliveira x Anderson Junior
Dannyllo Bushido x Márcio Nunes
Anderson Berinja x Fernando Buiú
Marcos Estevão x Leandro da Silva

RENAN BARÃO EM AÇÃO DIA 15 DE JUNHO


Renan Barão colocará seu cinturão interino dos pesos galos do UFC em jogo pela segunda vez, no dia 15 de junho, no UFC 161. Seu adversário será Eddie Wineland, que disse ao site oficial do evento que espera causar problemas ao campeão.

"Eu acho que sou uma luta ruim para o Barão", disse Wineland, "Eu não acredito que ele tenha lutado com alguém como eu, e vice-versa. Eu nunca lutei com alguém como ele, mas acho que eu posso representar mais problemas".

Wineland não revelou muitos detalhes de sua estratégia para encarar o brasileiro, mas deixou algumas pistas sobre como espera se comportar no duelo.

"Eu estou tentando não falar muito do meu plano de jogo, mas eu jogo muitos socos em linha reta, enquanto ele mostrou-se um pouco aberto no passado. A maneira mais rápida de ir do ponto A ao ponto B é uma linha reta, e isto é algo que nós treinamos há anos. Eu posso fazer um estilo brigador se for preciso, mas eu gostaria de manter minha técnica, e derrubá-lo quando for a hora", finalizou.




MAS UM POTIGUAR SE DESTACANDO NO MMA



Amaury Júnior, o Juninho, lutará o Rolim Fight Combat, evento que será realizado no dia 11 de maio na cidade de Rondônia. Juninho viajará para o Rio de Janeiro na segunda feira, dia 25 de março. O atleta ficará hospedado em uma pensão para lutadores e fará os treinamentos na Brazilian Top Team, equipe liderada pelo ex campeão do UFC Murilo Bustamante.

O atleta treina na Brazilian Top Team da cidade de Mossoró e já treinou no Rio de Janeiro em outra oportunidade. Lá ele foi companheiro de treino de lutadores de nome nacional como Rousimar "Toquinho" e Miltinho Vieira. O lutador explicou o porque da escolha do Rio de Janeiro para a sua preparação.

-O diferencial do Rio de Janeiro é o material humano. Na academia em Mossoró não tem tanta gente para treinar MMA. Sem contar que lá eu aprendo coisas novas e quando voltar pra minha cidade posso passar para os meus companheiros de treino - Explicou.

Em Rondônia Juninho passará por duas situações nas quais ele não está acostumado. Ele vai lutar na categoria até 66kg, uma acima da que ele costuma lutar, que é até 61kg. Além disso ele vem de duas lutas em casa, com toda a torcida a favor. Dessa vez ele lutará fora de casa contra um lutador local, mas esses dois fatores não o assustam.

-Lutar contra um atleta da casa é uma pressão a mais, porém eu tiro isso de letra. Quando eu subo no ringue para lutar eu esqueço o público e a minha concentração fica toda ligada para o meu oponente. E em relação ao peso não estou preocupado porque já lutei até 66kg em diversas oportunidades.

Juninho ficará no Rio de Janeiro até o dia 01 de maio. De lá ele volta para Mossoró afim de fazer a desidratação para bater o peso e pega estrada novamente rumo a Rondônia.

SONNEN x JONES A TROCA DE FARPAS ROUND 4




O clima de amizade e respeito entre Chael Sonnen e Jon Jones, presente durante a maior parte da atual temporada do reality show The Ultimate Fighter nos EUA, já está dando lugar novamente à troca de farpas entre os dois lutadores para promover o UFC 159, que acontece em 27 de abril, em Neward, EUA. Em prévia da entrevista de promoção do evento publicada no site oficial da organização, o "Gângster Americano" voltou a prometer vitória sobre o atual campeão peso-meio-pesado e incluiu Anderson Silva e até o "announcer" Bruce Buffer e o árbitro Herb Dean em mais uma de suas criativas provocações ao rival.

- Eu destruí Anderson, e vou atravessar o Jon. Quando o cara de terno sair do ringue e o cara de "dreadlocks" disser "Lutem!", vou atravessar o ringue e colocá-lo de bunda no chão, como fiz com todo o resto - afirmou Sonnen.

O ex-peso-médio fez duas lutas contra o brasileiro Anderson Silva pelo cinturão nos últimos três anos. Em 2010, dominou o campeão por quatro rounds e meio, mas acabou finalizado no último round com um triângulo. Em julho do ano passado, teve sua revanche, mas foi nocauteado no segundo assalto. Logo depois, anunciou que voltaria a lutar entre os pesos-meio-pesados e passou a provocar Jon Jones, como havia feito com o Spider.

No final de agosto, Sonnen foi procurado para substituir seu amigo Dan Henderson com uma semana de antecedência para seu combate com Jones pelo UFC 151. Ele aceitou prontamente, mas o campeão, citando pouco tempo para se preparar para o novo adversário e uma recusa em deixar o rival ganhar uma disputa de cinturão simplesmente "pela boca", rejeitou a mudança. "Bones" foi muito criticado pela recusa e, meses depois, acabou aceitando atuar como antagonista de Sonnen no TUF e enfrentá-lo ao final do programa. Para o "Gângster Americano", foi a vontade dos fãs que fez a luta acontecer.

- Eu tenho dificuldade em responder quando Jon diz que ele simplesmente decidiu me enfrentar. Você não tem que fazer isso. Você é o suposto campeão, você vai colocar o cinturão contra quem quer que pedirem para você colocar. E se você não quiser, você pode sair, é um exército voluntário. Mas você não decide nada. Você não me deu nada. Eu tomei. Eu tenho o mandado das massas. As massas requisitaram, e pediram, e imploraram por esta luta - exclamou.

A convivência na casa do TUF aproximou os dois lutadores, que passaram a trocar elogios e a conversar tranquilamente. Na entrevista, Sonnen inclusive disse que seu futuro adversário não tem falhas no jogo e é bom, sólido e completo. Mas...

- Ao mesmo tempo, ele nunca entrou lá dentro com um gângster antes. Ele entrou lá com um monte de garotinhos que estavam com medo dele. Eu sou o melhor wrestler de MMA do mundo. Posso derrubar o Jon Jones quando eu quiser. Sou duas vezes campeão nacional, tenho uma medalha de prata do campeonato mundial, e isso diz que eu posso derrubar Jon Jones.

Confira o card atualizado do UFC 159:

UFC 159
27 de abril de 2013, em Newark (EUA)
CARD DO EVENTO
Jon Jones x Chael Sonnen
Michael Bisping x Alan Belcher
Jim Miller x Pat Healy
Phil Davis x Vinny Magalhães
Roy Nelson x Cheick Kongo
Sara McMann x Sheila Gaff
Al Iaquinta x Joe Proctor
Nick Catone x James Head
Johnny Bedford x Erik Perez
Leonard Garcia x Cody McKenzie
Rustam Khabilov x Yancy Medeiros
Steven Siler x Kurt Holobaugh
Ovince St. Preux x Gian Villante

Fonte: http://sportv.globo....-jon-jones.html 

ACADEMIA WGT HIKARI FECHA PARCERIA COM PREFEITURA DE SÃO VICENTE


Sabemos que a academia WGT HIKARI está presente em varias cidades do interior do estado e na noite de sexta feira (15) esteve na cidade de são Vicente o professor Wanderson Marcelo; sua viajem teve um grande proposito o de fechar uma parceria com a prefeitura daquele município onde as aulas de jiu-jitsu serão administradas com total aval da gestão publica, esteve presente o Vice-prefeito Andreazza Fernandes que falou da importância de se dar um apoio ao esporte e firmou a união.
Está previsto no projeto aulas para crianças até 12 anos para pessoas com  necessidades especiais e a jovens e adultos, não poderíamos esquecer dos nossos idosos que também terão a oportunidade de conhecer a arte em um treinamento dinâmico voltado para a defesa pessoal. E expectativa é juntar ao projeto cerca de 70 crianças e adolescentes. Mas com grandes possibilidades desse numero dobrar tendo em vista a divulgação do esporte.
A prefeitura já saiu na frente e fez a aquisição do tatame e disse que isso será só o começo e em breve quer fazer grandes competições na cidade para que o município fique visto a nível estadual e do nordeste.

DE KIMONO PRETO NOSSO AMIGO E ALUNO Raul KlysmamIDEALIZADOR DA PARCERIA DE CAMISA LISTRADA O VICE-PREFEITO DE SÃO VICENTE Anderazza Fernandes E UM ALUNO INFANTIL REPRESENTANDO AS CRIANÇAS DO PROJETO

domingo, 17 de março de 2013

TREINO FUNCIONAL AJUDA NA GRAVIDES E PRINCIPALMENTE NO PARTO


Dores durante a gestação é algo comum entre as mulheres. Porém, segundo a treinadora máster do CORE 360º, Daniela Azevedo, existem programas de exercícios físicos seguros e eficazes para gestantes, capazes de promover o bem estar e eliminar as dores durante esse período.

“O treinamento funcional é um dos programas mais recomendados para gestantes por agregar dinamismo e otimizar os padrões de movimento que busquem funções como levantar, puxar, agachar e estabilizar visando as tarefas diárias e o período pós parto”, explicou Daniela, afirmando que “as sessões de treinos são divertidas, inovadoras, seguras e adequadas para a capacitação física das gestantes”.
As dores na lombar são as principais queixas das gestantes e, de acordo com Daniela, “o treino funcional é utilizado como uma medida preventiva para fortalecer, alongar e relaxar a região”.
A dor lombar durante a gestação atinge entre 50 e 80% das mulheres e são comuns após o sexto mês de gravidez. Apostar nas atividades de alongamento da cadeia posterior, tantos membros superiores quanto inferiores, e estabilização do tronco, quadril e cintura escapular ajudam as gestantes a ganharem força e diminuir a sobrecarga nas articulações. Entre os exercícios para grávidas, os movimentos que reforçam a região pélvica estão inseridos em exercícios de adução e abdução do quadril e glúteos.
Nessa mesma sessão é importante realizar o equilíbrio muscular, já que nessa fase o corpo sofre alterações além de metabólicas, pois auxiliam na amplitude de movimento e reforçam a musculatura da região. Mulheres que pretendem fazer parto normal, ou buscam um pós-parto cesariano sem problemas, devem apostar nesses exercícios, que podem ser realizados com mini bands, os conhecidos elásticos, muito usados no treinamento funcional.
Esse treino é capaz de diminuir incidências de lesões e aumentar a eficiência dos movimentos, além de melhorar o equilíbrio, a coordenação motora e a postura das gestantes. Ainda de acordo com Daniela, esses exercícios devem ser conduzidos apenas por profissionais capacitados e com conhecimento, já que a mulher sofre alterações corporais, além de adaptações fisiológicas e anatômicas.
“Até o terceiro mês, que é a fase de formação do bebê, não é muito recomendado realizar atividades físicas intensas. Porém, as grávidas podem fazer qualquer exercício, desde que um profissional a oriente e se atente a carga e intensidade dos movimentos”, finalizou.
TATAME

VENCEDORES DA PRIMEIRA EDIÇÃO, JASON E MUTANTE FALAM SOBRE O TUF BRASIL 2



Jason venceu entre os penas (Foto UFC)
No dia 23 de junho de 2012, no UFC 147, Rony Jason e Cezar Mutante deixavam de vez o anonimato e se tornavam celebridades esportiva no Brasil. As vitórias de ambos na primeira edição do TUF Brasil foram as responsáveis pela mudança, fazendo com eles passassem de meros aspirantes a lutadores contratados do maior evento de MMA do mundo.
Na véspera da estreia da segunda temporada do TUF Brasil, que vai ao ar neste domingo (17), novamente na programação da Rede Globo, a TATAME procurou os dois vencedores para destrincharem os segredos do programa.
Popular graças ao apelido cinematográfico, Jason logo caiu nas graças dos fãs no programa por seu jeito calado e seguro. Como não poderia deixar de ser, o reality show do UFC mudou a vida do cearense, que bateu seu conterrâneo Godofredo Pepey na final entre os penas.
“Como pessoa, o programa mudou pouca coisa em mim. Mas, como lutador, mudou muita coisa. Meu trabalho ficou mais exposto para as pessoas, antes eu era vagabundo, agora sou inspiração para os outros. Sempre brinco com isso (risos). Foi muito bom ter participado do programa”, analisa Jason.
Vencedor entre os médios, Mutante deixou o rótulo de “pupilo de Vitor Belfort” para trás e realizou grandes apresentações na casa, com finalizações e um belo nocaute sobre Thiago Bodão. Assim como Jason, ser o vencedor da primeira edição do TUF Brasil mudou a vida de Mutante.
“Mudou tudo. Antes não tinha emprego, evento para lutar, não sabia quando lutaria de novo. Agora tenho emprego, contrato com a maior empresa de luta do mundo. Tenho condições de viver só disso e treinar como profissional”, comemora.
Segredos para o sucesso
Mutante brilhou entre os médios do TUF Brasil (Foto UFC)
Jason e Mutante defenderam equipes diferentes no TUF Brasil. Enquanto o atleta do Team Nogueira vestiu o azul do time de Wanderlei Silva, o mineiro foi a primeira escolha de Vitor Belfort para integrar a equipe verde do programa.
Tendo sistemas diferentes de treinamentos e pouco tempo entre uma luta e outra na casa, Jason aponta como principal segredo para o sucesso na casa o equilíbrio nos treinos: “Ninguém me formou no TUF, eu cheguei pronto. Eles podem ter novas concepções de treino, mas você treinou a vida inteira no seu ritmo, conhecendo o seu corpo. Se o cara quiser impressionar o seu treinador e treinar de forma diferente do que sempre fez, sem respeitar o seu corpo, vai se arrebentar. Eu não treino um dia antes da luta, só perco peso, mas queriam me mandar treinar na casa. Disse que não iria, sempre havia feito meus treinos dessa forma, independente dos treinadores. O cara tem que ter autonomia para saber se impôr também, pois cada um tem seu corpo e tem que saber respeitá-lo. Minha dica é: respeite seu corpo”.
Já o conselho de Mutante tende mais para o lado psicológico. Para o mineiro, que conquistou a temporada após uma verdadeira batalha contra Serginho Moraes, a concentração é fundamental para ir longe na disputa pelo contrato com o Ultimate.
“Ali é complicado. É pressão de todos os lados, da próxima luta, de perder o peso, ficar preso na casa… Conviver com gente que nunca viu e que vai lutar. Acho que a concentração é o diferencial, e entrar com um objetivo também. Quem entra com a ideia de ser campeão, vai atrás disso que vai conseguir”, aconselha o peso-médio.
Sem palpites para o TUF Brasil 2
A homenagem de Jason ao programa (Foto Guilherme Cruz)
Durante a primeira temporada do programa, Rony Jason e Cezar Mutante sempre foram considerados favoritos para levarem a melhor dentro de suas respectivas categorias. Apesar disso, eles preferem não apontar um favorito entre os 28 participantes do TUF Brasil 2, que terá Rodrigo Minotauro e Fabricio Werdum como treinadores e colocará um novo lutador entre os meio-médios do UFC no dia 08 de junho, data da final do programa e do duelo entre os técnicos.
“Na primeira edição, apostava no (Thiago) Bodão. Depois que ele perdeu, eu passei a apostar no Daniel Sarafian. Então não estou bem de palpites, por isso vou ficar quieto para essa edição (risos)”, opta Jason, seguido por Mutante: “Só vi cara duro entre os selecionados. Todo mundo ali é favorito. Tem muita gente no mesmo peso, que é bem disputado e só tem cara fera no Brasil. Estou na expectativa. Vai ser um excelente show para a galera que é amante do MMA e para o público que vai assistir”.
Cezar Mutante tem compromisso agendado no octógono no dia 18 de maio, na edição de Jaraguá do Sul do UFC, contra CB Dollaway. Já Rony Jason, estará no card do evento final do TUF Brasil 2, em duelo contra o inglês Mike Wilkinson.
TATAME

TUF FEMININO TERÁ RONDA COMO CAPITÃ


Campeã peso galo do UFC, a musa Ronda Rousey será a capitã da décima oitava temporada do reality show The Ultimate Fighter nos Estados Unidos. O surpreendente anúncio foi feito na noite deste sábado pelo presidente da franquia, Dana White.

Ronda comandará uma das equipes do programa, enquanto o outro time será liderado pela vencedora do duelo Miesha Tate x Cat Zigano, que rola no fim de abril.
Ainda de acordo com Dana White, a categoria dos “pupilos” será o peso galo, com homens e mulheres convivendo na mesma casa.
Ao final da temporada, que ainda não tem data definida para início de gravações, Ronda colocará o cinturão peso galo em jogo contra a outra técnica do TUF 18.


Imagem Postada

Fonte PVT

UM DOS MAIORES NOMES MUNDIAL DO JIU-JITSU EM SUA PIOR LUTA CONTRA AS DROGAS



Um dos maiores talentos do jiu-jitsu brasileiro tenta a recuperação no tatame depois de anos na luta contra as drogas e de perder, por conta do vício, principalmente em crack, quase tudo o que conquistou no início da carreira. Recuperado, busca não só a redenção no esporte mas também ajudar a evitar que outras pessoas tomem o mesmo caminho.

Fernando Augusto da Silva, mais conhecido como Fernando "Tererê", tem 33 anos, é graduado pela equipe Alliance e, considerando todas as categorias nas quais competiu, já foi pentacampeão mundial de jiu-jitsu. Venceu duas vezes na preta, a mais tradicional, e uma em cada na azul, roxa e marrom. Ele possui também cinco títulos nacionais.

Todas as conquistas foram entre o final da década de 90 e o começo de 2000, quando passou a se envolver com as drogas. De 2004 até 2012, foram tentativas frustradas de conduzir a carreira em paralelo ao consumo de drogas. Tererê internou pelo menos três vezes desde 2004. Mas não adiantava.

"Nasci vendo pessoas usando drogas, mas não me envolvia, não conhecia o prazer daquilo. Depois de um tempo caí de gaiato, sem conhecimento. Comecei a usar e aquilo foi sendo um remédio e me viciando. Tomou conta do meu corpo e da minha mente e fez com que eu desabasse. Aí minha carreira foi por água abaixo. Não me dedicava mais ao esporte, não queria saber mais de nada. Vivia na rua", lembrou Tererê, em entrevista ao UOL Esporte.

"Fiquei parado quase esse tempo todo [de 2004 a 2012]. Não botava quimono, não fazia esporte nenhum...era só cracolândia, baile funk, droga na rua, na praia, em casa...perdi o rumo. Sabe o que é uma pessoa sem rumo? Onde eu via uma fumaça, queria estar", continuou.

O vício fez com que o lutador perdesse tudo o que ganhou. Perdeu desde as franquias de sua academia, que começava a fazer sucesso por suas várias conquistas e nome relevante no esporte, até roupas e utensílios domésticos.

"A vida que eu tinha estava me levando para a morte. Não tinha mais vida decente, não comia direito, não tinha grana. Perdi minhas academias, não tinha roupa mais. Parecia um mendigo", explicou. "Perdi muito, perdi muito. Se eu tivesse R$ 300,00  na mãos, era gasto em papelote. Nem isqueiro eu comprava", afirmou.

Das drogas que quase acabaram com a carreira de Tererê, a principal foi o crack. Mas ele conta que teve experiência com várias delas. "O crack foi o que mais atrapalhou, mas eu queria experimentar tudo. Cheirava cola, usava crack...cheguei a pesar 64 kg. E hoje estou com 82 kg", disse.

"O crack é o que mais mexeu comigo. É uma mistura venenosa. Quanto mais você fuma, mais você quer. Machuca demais o seu corpo. Todas machucam, na verdade. Mas o crack te deixa muito mais inconsciente", explicou.

Depois de setembro do ano passado, após sua quarta internação, Tererê enfim não teve mais recaídas. Diz que os pais e amigos mais próximos foram fundamentais na reviravolta. Decidiu, depois de enfim se sentir seguro contra recaídas, a voltar com tudo ao esporte.  

"Graças a Deus eu me superei, tive amigos, família e pessoas que não me abandonaram e deixei tudo de lado. Agora voltei e estou construindo tudo de novo que perdi antes."

Reabriu sua academia, agora no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro. Ela leva seu nome, foi reinaugurada em janeiro e tem aproximadamente 23 alunos.

Tererê passou a voltar a disputar competições. De outubro do ano passado pra cá, venceu um torneio no México, um em São Paulo e foi vice-campeão em uma competição na Europa. Se prepara para o Mundial de jiu-jitsu, que será realizado em junho, nos Estados Unidos.

"Pretendo agora procurar patrocínio e suporte para voltar a lutar em 100% e ser o lutador que fui antes. O tempo vai passando, e a nova geração está vindo com tudo.  Tenho voltar com tudo", falou, empolgado.

Uma das principais missões a fazer pelos alunos e pessoas próximas é evitar que eles cometam o mesmo erro. "A minha academia tem projeto social e dou oportunidade pra quem é do morro estar lá. Não quero vê-los irem pra onde fui.  No que eu puder alertar hoje, vou fazer. Sei o que é a pessoa passar nesse buraco e cair."

Em um dos Mundiais de jiu-jitsu que foi campeão, na faixa marrom, Tererê venceu nas quartas de final o havaiano B.J. Penn, umas das lendas do UFC. Penn é um dos dois únicos lutadores da maior organização do mundo de MMA, ao lado de Randy Couture, que já conquistou cinturão em duas categorias diferentes.

O havaiano foi também o primeiro atleta não brasileiro a conquistar o título de um Mundial de jiu-jitsu de kimono em faixa preta, em 2000.

Fernando Tererê já tentou o MMA há alguns anos, mas não se adaptou. Pensa hoje em atuar como técnico de sua especialidade para algum atleta de ponta do MMA que deseje aprimorar seu jiu-jitsu.

"Muitos atletas do MMA procuram o jiu-jitsu pela base do chão. Eu tenho em mente um projeto de auxiliar como técnico algum craque do MMA, isso vai ser muito bom. Até migrei um tempo para o vale tudo, mas não era o meu forte, meu forte sempre foi o pano, o jiu-jitsu  de quimono."
Related Posts with Thumbnails