sexta-feira, 30 de março de 2012

BUSTAMANTE ANCIOSO PELA VOLTA AO OCTÓGNO

murilo-700AFC/ Divulgação
Murilo Bustamante (à esquerda) fará o combate principal do AFC 2 neste sábado (31), em Manaus

Publicidade
Primeiro brasileiro a ser campeão do UFC depois da criação de categorias de peso, o carioca Murilo Bustamante retornará ao octógono neste sábado (31) diante do americano Dave Menne, na segunda edição do AFC (Amazon Forest Combat), em Manaus, em revanche de duelo que aconteceu dez anos atrás.

E foi justamente nesta ocasião, em janeiro de 2002, que Bustamante conquistou o até então inédito título dos pesos médios (84 kg) através de um nocaute no início do segundo round. Agora, mesmo dois anos afastado das competições, o lutador promete estar em forma.

- Podem esperar eu muito treinado, bem preparado e uma grande performance. Embora ele seja mais novo, estou habituado a adversários mais novos, a diferentes tipos de adversidades na minha carreira e isso não é nenhuma novidade para mim. O mais importante eu fiz, que foi o dever de casa.

Acompanhe a página de MMA do R7

A expectativa de grandes dificuldades no reencontro com Menne difere do primeiro confronto, praticamente tudo deu certo, desde a preparação até o nocaute devastador.

- Tenho boas lembranças, deu tudo certo naquela luta, tudo correu muito bem, tanto no treino quanto na luta. É difícil isso acontecer, já que geralmente os lutadores têm lesões durante a preparação. Não tive nada grave, foi muito tranquilo e a luta correu perfeita. Terminou melhor que o esperado.

Aos 45 anos, Murilo acumula um cartel com 14 vitórias e oito derrotas, em carreira que começou em 1991, no histórico duelo contra a luta livre, responsável pelo boom de popularidade da arte suave no país.

Confira as lutes do card principal do AFC 2:

Dave Menne x Murilo Bustamante
Satoshi Ishii x Sokoudjou
Thales Leites x Matt Horwich
Gustavo "Ximú" x Patrick Coté
Ronnys Torres x Ferrid Kheder
Daniel Acácio x Josh Burkman
Dileno Loes x Javier Ocampo
Fabiano Capoane x Emiliano Sordi
Rivaldo Jr. x Marcelo Rojo
Luiz Fernando x Pablo Javier Llampa

sonnenGADOR VEM AO BRASIL PARA DIVULGAR A LUTA CONTRA ANDERSON SILVA

sonnen-700UFC/ Divulgação
Chael Sonnen segue com sus provocações enquanto espera pela revanche com Anderson Silva

Publicidade
A revanche Anderson Silva e Chael Sonnen já está confirmada para o dia 23 de junho, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro. Mas, de acordo com Dana White, presidente do evento, os lutadores não terão que esperar tanto para se encontrarem cara a cara.

Em entrevista ao site MMAWeekly, o cartola afirmou que trará o desafiante ao cinturão dos pesos médios (84 kg) para a coletiva de imprensa de promoção do evento, no final de abril, ainda sem local divulgado.

- A luta está acontecendo. Ele [Chael Sonnen]aceitou e virá comigo ao Brasil para a coletiva.

Provocador, o falastrão americano segue cornetando o Spider para a revanche daquele que foi o duelo mais difícil da carreira do brasileiro.

Em 2010, Sonnen puniu o campeão por quase cinco rounds, mas acabou finalizado nos instantes finais, sendo flagrado no exame antidoping dias depois, o que culminou um uma punição que o deixou afastado dos ringues por um ano.

Na mesma época, o americano ainda enfrentou problemas judiciais em seu país após ser declarado culpado em uma caso sobre lavagem de dinheiro.

ACELINO "POPÓ" CALÇA AS LUVAS E VOLTA AOS RINGUES EM JUNHO

Acelino Popó deixou os ringues em abril de 2007, mas decidiu calçar as luvas para realizar o sonho do filho, que pediu para ver o pai em ação pelo menos uma vez. O adversário será o compatriota Michael Oliveira, no dia 2 de junho, em um cassino de Punta del Este, no Uruguai.

“A minha ansiedade de subir é saber que vai ter muita gente feliz por eu estar de volta”, conta Popó, em entrevista à TATAME. “A minha vontade é a vitória, até porque não posso decepcionar nem o meu filho nem a nação brasileira, que está esperando essa vitória. Esse moleque criou antipatia com tanta gente... Esse moleque ousado, querendo se promover, lançou o desafio para mim. Eu aceitei o desafio e comecei a treinar”.

Para voltar ao batente, o ex-campeão mundial convocou o preparador físico Rafael Alejarra e o treinador Ulysses Pereira, que estão afiando o pugilista em todas as áreas para o rival, que tem 17 vitórias em 17 combates de Boxe, com 12 nocautes.

“A preparação do Popó está de vento em popa. Mesmo estando parado esse tempo todo, ele sempre foi atleta e é muito dedicado, então pega muito rápido. Eu vim do MMA, é a primeira vez que eu trabalho com um pugilista profissional. A rapidez que ele bate na manopla é impressionante. Quem vê o Popó não acha que ele ficou parado todo esse tempo. Não tem diferença nenhuma do que um cara de 29”, elogia Alejarra, emocionado. “Me lembro de ver o Popó junto com a minha avó e agora estou fazendo parte da preparação dele”.

Confira abaixo a entrevista exclusiva com o pugilista:

Como está sendo essa volta aos treinos?

Sempre fui muito tranquilo em termos de preparação. Eu sou o tipo do cara que tem perfil de liderança, mas também tenho perfil de ser liderado, então respeito o treinamento do Alejarra, respeito o treinamento do Ulysses. Sei dos meus limites, sei da minha fragilidade de cinco anos parado para voltar. Eles estão reconhecendo isso. É legal essa comunicação entre eu, o Alejarra e o Ulysses. Estou treinando muito mais forte até do que eu treinava para o título mundial. Tenho essa parte do treinamento como funcional, coisa que os próprios lutadores de MMA fazem, e eu passei a fazer agora. Nunca fiz musculação, nunca peguei peso. Está sendo uma experiência boa para mim, o Alejarra está acrescentando muito.

Está ansioso para subir no ringue de novo?

A minha ansiedade de subir é saber que vai ter muita gente feliz por eu estar de volta. O meu filho de seis anos foi o causador disso tudo, ele que pediu que eu fizesse uma luta para ele, de despedida. O Boxe me deu tudo. Sou uma pessoa bem sucedida, uma pessoa rica. Vivo bem com o que o Boxe me deu. Tudo que o Boxe me deu, eu investi. Investi nos meus imóveis, hoje tenho meus alugueis e vivo tranquilo, muito bem. Além de sustentar toda a minha família, dá para me sustentar e fazer o que eu quiser. A minha volta não é porque acabou tudo. Eu quero fazer essa volta para dar alegria ao país. A gente está vendo o MMA crescendo de uma forma tão grande e o Boxe ficando um pouco pra trás. A minha ideia é dar uma aquecida no Boxe.

Você vai voltar contra um cara invicto, com 17 lutas e 12 nocautes. Como analisa o seu adversário?

Você olhou o cartel dele direitinho? Viu com quem ele lutou? Pelo menos os três caras que eu o vi lutando, quando ele lutou no Ibirapuera, que eu fui em São Paulo, não eram muito duros.

Acha que ele enfrentou adversários fáceis?

Com certeza, até porque ele não tem pegada nenhuma. Não estou muito preocupado com ele, estou preocupado com o meu treinamento. Se eu treinar certinho, fizer tudo que estou fazendo, pode vir qualquer um que vou estar pronto pra lutar. A minha vontade é a vitória, até porque não posso decepcionar nem o meu filho nem a nação brasileira, que está esperando essa vitória. Esse moleque criou antipatia com tanta gente... Todo mundo no meu Twitter, no meu Facebook e na rua só mandam meter o pau naquele moleque. Ele já está com a imagem suja aqui. Se ele está pensando em criar um marketing em cima de uma luta dessa, ele está ferrado.

Como surgiu a luta? Você quis enfrentá-lo pelo fato de ele “falar demais”?

Não. Eu já estava marcado para enfrentar um argentino, uma luta legal, que ia ser na Bahia. Aí esse moleque ousado, querendo se promover, lançou o desafio para mim. Eu aceitei o desafio e comecei a treinar.

Ele faz as lutas por volta dos 73kg, e você estava acostumado a lutar em categorias bem mais leves. Em qual categoria essa luta vai acontecer?

É, 69,7kg é o limite da categoria super meio médios. Eu lutava com 59kg. Eu pesava 59kg e, no outro dia (da luta), já estava com 77kg. Eu subia de peso muito rápido. Eu já venho fazendo isso há quatro, cinco meses. Estou baixando gradativamente.

Você vai completar 37 anos em 2012, ele tem 21. Essa idade pesa a favor ou contra?

Se idade pesasse, o Anderson Silva perdia pra todo mundo porque ele tem a mesma idade que eu.

Quando você começou a lutar, o seu adversário tinha apenas cinco anos de idade...

Pra você ter ideia, fui campeão mundial com 23 anos. Sei que não tenho a mesma agilidade, a mesma velocidade, aquela coisa toda, mas tenho mais experiência. Antigamente eu deva dez golpes para derrubar. Hoje não preciso dar dez, preciso dar um.

Você fez uma campanha pedindo para o Galvão Bueno narrar essa luta. Vai ser possível?

Olha, não tenho ideia. Seria um sonho fazer uma despedida com a narração do Galvão. Não seria necessário Globo, mas uma tevê aberta, para que o público classe B e C pudesse acompanhar também.

Quer deixar o seu recado?

Gostaria de convidar as pessoas que gostam de lutas para conhecer minha academia aqui em Brasília. Tem Boxe, Muay Thai, MMA, Jiu-Jitsu, Judô, ginástica funcional. Temos um patrocínio da Pretorian. Mas o carro chefe nosso é o Boxe e MMA. As aulas de MMA, quem comanda é o Carlo Prater, que lutou com o Erick Silva no último UFC (Rio). A academia está muito boa.

OS 10 MAIORES "COCHILOS" DO UFC

CARLOS INDIO ESTREIA HOJE NO BELLATOR

Texto - Junior Samurai

Esta sexta-feira é especial para o cearense Carlos Índio. A fera da Dragon Fight/Nova União estreia no Bellator, precisamente na edição 63, que será realizada no Mohegan Sun Arena, em Uncasville, Connecticut. O pupilo de Guilherme Santos e Danilo Dragon encara o americano Bryan Baker. "As expectativas são boas e estou bastante confiante", disse Carlos Índio ao MEIAGUARDA.

Índio vem embalado com três vitórias seguidas, e obteve 33 triunfos em 46 lutas, com 22 nocautes. Já Baker foi nocauteado por Vitor Vianna no Bellator 54 e venceu 16 vezes em 19 combates na carreira. "Eu treinei muito cotovelada, mas se não entrar o armlock e o triângulo estão afiados", contou o lutador.
O pega é válido pelo GP dos meio-médios, que ainda traz Chris Lozano contra Karl Amoussou, Brian Foster versus David Rickels e Ben Saunders, que terá pela frente Raul Amaya.
O Bellator 63 será transmitido ao vivo a partir das 21h, no canal Esporte Interativo.

Bellator 63
Uncasville, Connecticut, Estados Unidos
30 de março de 2012

Karl Amoussou vs Chris Lozano
Carlos Índio vs Bryan Baker
David Rickels vs Jordan Smith
Raul Amaya vs Ben Saunders
Parker Porter vs Randy Smith
Ryan Quinn vs Marc Stevens
Saul Almeida vs Matt Bessette
Andrey Koreshkov vs Taiwan Howard
Dan Cramer vs Jeff Nader
Marianna Kheyfets vs Munah Holland
Pete Rogers vs Brandon Fleming
Meiaguarda

quinta-feira, 29 de março de 2012

"ANDERSON SILVA E VITOR BELFORT SÃO MASCARADOS" DIZ KAJURU


O sempre polêmico jornalista Jorge Kajuru disparou seu “excesso de sinceridade” para o mundo do MMA, em entrevista aos nossos parceiros do “Fanáticos por MMA”. No vídeo abaixo, Kajuru explicou por que torcerá por Wanderlei Silva no reality show “The Ultimate Fighter Brasil”, criticou a união entre lutadores de MMA e clubes de futebol e, entre outros assuntos, provocou com a pergunta: “quem é mais mascarado, Anderson Silva ou Vitor Belfort?”. Confira:


[url="http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=e0OxbJQM_8A"]http://www.youtube.c...d&v=e0OxbJQM_8A[/url]

LUTADORES COMEÇAM A BOICOTAR A REDE RECORD



Fabrício “Vai Cavalo” Werdum tem luta marcada para junho no UFC Rio, no Engenhão, onde enfrentará Mike Russow. Antes de começar os treinos voltados para o duelo, deu uma pausa nos treinos, primeiro para participar como “staff” de Wanderlei Silva no The Ultimate Fighter Brasil, depois para viajar para Paris e Madrid a pedido do UFC. Da Europa, falou com o PVT sobre a mudança de palco do UFC no Brasil: de São Paulo para o Rio de Janeiro. E fez um pedido à torcida.

“Acho que iria lotar em São Paulo, seria o primeiro UFC lá, os paulistas esperavam muito esse evento, e o Rio já teve dois. Mas só pelo fato de lutar no Brasil será ótimo para mim. A última vez que lutei no país foi no Jungle Fight, em 2004. Gostaria muito de ouvir a torcida gritando ‘Uh, é Vai Cavalo!’, me motivaria mais ainda. Imagina a emoção que não irei sentir?”, sonha Werdum.

Mesmo animado por lutar no Rio, o gaúcho lamentou por São Paulo ter perdido o evento: “Perderam um show desse tamanho por causa dessa besteira de Lei do Silêncio. Se fosse todo dia, tudo bem, faria sentido, mas seria só um dia! Perder um UFC por isso...”, criticou Fabrício.

O experiente lutador ex-PRIDE ficou surpreso quando soube da audiência do episódio de estreia do The Ultimate Fighter na Globo, no último domingo. Segundo fontes, cerca de 6 milhões e 924 mil pessoas assistiram Galvão Bueno e Junior Cigano apresentarem o programa, 15% a mais que a audiência normal do horário.

“É mesmo, quase sete milhões?! Que irado, ‘véio’! O programa é para todos, mas é ideal para quem não entende de MMA. Esses novos fãs verão como é a vida de um atleta, como se prepara, como perde peso, verão os treinos... O dia-a-dia mesmo, e verão também que somos pessoas normais”, disse o peso pesado.

O primeiro algoz de Fedor também apoiou a iniciativa de André Pederneirasn que proibiu a Nova União de dar entrevistas à Record e ao R7, depois que o portal divulgou lista com os finalistas do TUF.

“Foi uma sacanagem! Quem falou isso queria prejudicar o esporte, mas não estou interessado em ver essa lista, nem quem gosta mesmo de MMA deveria ver. Dou meu apoio à campanha do Dedé a partir de agora. Até dei entrevista para o R7 um dia desses, mas não sabia de nada. Se é mesmo uma campanha, então estou dentro”, garantiu “Vai Cavalo”.

Nesta quinta, Werdum inicia os treinos voltados para a luta no UFC Rio 3: “Estava no TUF, teve essa viagem, mas tenho muito tempo ainda, a luta é em junho. Vou começar a treinar na Werdum Combat Team, com o Lucas Leite e com o João Assis, mas meu treino principal será com o Rafael Cordeiro. Treinarei wrestling com Kenny johnson, que já treinou Anderson e Wanderlei, mas também na Kings com Babalu, Mark Muñoz. O Wand vai lá me ajudar também”, finalizou Werdum.

OVEREEM: "SOU MAIS FORTE QUE CIGANO"

Imagem Postada

Holandês solta declaração polêmica e mostra estar bem confiante para
a luta contra o brasileiro, que, por outro lado, mantém postura cautelosa





Alistair Overeem terá "o maior desafio da carreira", como ele próprio definiu, quando entrar no octógono para tentar tirar o cinturão peso-pesado do UFC de Junior Cigano. E o holandês, conhecido por ser um dos grandes - literalmente - lutadores da categoria, está demonstrando uma confiança maior ainda para o duelo. Ele acredita ter os quesitos necessários para bater o brasileiro.

- Sou maior, mais forte, bato mais doído e tenho mais experiência - disse ao jornal "LA Times".

Para Cigano, uma luta entre dois nocauteadores, como são ele e Overeem, é algo que todo mundo quer ver. Mas, na hora de falar especificamente sobre o rival, o catarinense é mais cauteloso:

- Overeem é muito perigoso, forte e tem uma ótima luta em pé. Mas estou preparado para lutar em qualquer lugar. Adoro nocautear meus adversários, mas se eu estiver desconfortável em pé, usarei meu jiu-jítsu e tentarei finalizá-lo.

Junior Cigano e Alistair Overeem se enfrentam no duelo principal do UFC 146, que ocorre no dia 26 de maio, em Las Vegas. Em jogo, o cinturão da categoria mais pesada do Ultimate, que atualmente pertence ao brasileiro. O vencedor já saberá quem terá como próximo oponente: ele sairá do co-evento principal da noite, o embate entre os americanos Cain Velasquez e Frank Mir.

CARD PRINCIPAL
Junior Cigano x Alistair Overeem
Cain Velasquez x Frank Mir
Roy Nelson x Antônio Pezão
Gabriel Napão x Shane del Rosario
Mark Hunt x Stefan Struve

CARD PRELIMINAR
Diego Brandão x Darren Elkins
Evan Dunham x Edson Barboza
Jason Miller x C.B. Dollaway
Jacob Volkmann x Paul Sass
Dan Hardy x Duane Ludwig
Kyle Kingsbury x Glover Teixeira
Mike Brown x Daniel Pineda

AS APARÊNCIAS ENGANAM E OS QUIMONOS TAMBÉM


Muitos ainda pensam que lutador de jiu-jitsu para ser um “casca-grossa” tem que estar sempre com um rosto tenso, uma cara fechada, como se estivesse a instantes de uma luta. Além da “cara braba” tem que ter um quimono que foge do padrão de limpeza, seria para sinalizar aos outros que treina muito e que é duro? Infelizmente, já presenciei lutador se gabando do seu quimono branco, que naquele momento era “cinza”, como um indicador de muito treino  e de estar bem tecnicamente. Mas essa aparência engana e é totalmente equivocada. Qualquer um pode ler em registros de época que os samurais se orgulhavam de seus quimonos sempre limpos e arrumados, mesmo quando partiam para guerra sem saber se voltariam. Eles não estavam se preocupando por irem a uma festa, mas sim para uma guerra, uma luta que poderia ser a última e cujo o quimono era sua vestimenta de combate.
Quimono sujo pode e deve ser lavado. Chegou do treino, tira da mochila e pendura para secar o suor. O quimono é a extensão do corpo do lutador, portanto, deve ser bem cuidado,  mostrando respeito a si mesmo e aos outros companheiros de treino. Ninguém é obrigado a treinar com lutadores que não prezam a higiene do seu quimono e a própria. Nas regras das confederações e federações existe uma seção destinada à higiene do atleta e às condições do quimono. Fico pensando como alguém pode se sentir bem com seu quimono sujo, fedendo e ainda querer que alguém treine com ele?.  São inúmeras as doenças bacterianas, que podem ser transmitidas e causarem sérios males aos lutadores. Nossa pele fica em contato direto com os quimonos e sofre com o atrito decorrente da luta. As bactérias também podem estar no dojo , quando este não é devidamente limpo.
Enfim, o nosso esporte é de contato com o solo e com o corpo do oponente, portanto, cuidar da higiene do quimono e do dojo é também cuidar da saúde dos atletas.
Muitas doenças de pele podem ser transmitidas pelo quimono ou por um dojo sujo. E essas doenças acabam interferindo na vida do atleta porque pode até afastá-lo dos treinos por um tempo. Seria muito salutar se todos os praticantes da nossa arte suave não treinassem com o quimono sem condições de uso. Essa campanha silenciosa iria sem dúvida incutir um hábito saudável em lutadores que não prezam pela higiene de seus quimonos, mas deveriam respeitar os outros. Tenho alunos de comunidades carentes que possuem um único quimono, mas sempre em condição adequada para participarem da aula.
Os professores também deveriam estar atentos para essa questão, afinal, alguém vai trabalhar em um ambiente sujo ou sair com roupas mal cheirosas? Então, o trato do quimono não poderia ser diferente. Não tem consideração com seus parceiros de treino? Já ocorreu no meu dojo de um aluno que se sentiu ofendido quando, em conversa reservada, falei que lavasse seu quimono e que não treinaria naquele dia,. Embora tenha sido advertido na semana anterior, ele considerou minha atitude desnecessária, exagerada e autoritária. Vi em suas palavras uma ponta de orgulho em ter um quimono sujo de treino, mas reiterei que sujeira não ganha a luta, nem eleva o nível técnico. Um quimono pode estar velho, puído, costurado ou remendado (e este muitas vezes é o preferido porque cai melhor na hora de usar), mas deve estar sempre limpo, pronto para o combate.  Seria conveniente que os lutadores tivessem em mente que o quimono é uma extensão do nosso corpo e como tal deve sempre estar bem cuidado. Quimono sujo não significa ser um bom lutador.

OSS !
Fonte do meu amigo Mestre Luiz Dias 
blog: http://gasjj.blogspot.com.br/2012/03/artigo-jiu-jitsu.html

terça-feira, 27 de março de 2012

DANA DIZ QUE RECORD FEZ "JOGO BAIXO"

Foto UFC

As gravações do reality show “The Ultimate Fighter” (Brasil) começaram em fevereiro e encerraram há menos de uma semana da estreia do programa, que aconteceu no último domingo na TV Globo. No primeiro episódio gravado no Rio de Janeiro foram definidos os 16 atletas que entrariam na casa, oito pesos médio e oito pesos pena. Os capítulos seguintes do TUF Brasil foram gravados em uma bela casa, em Alphaville, bairro luxuoso de São Paulo.

Os detalhes do que rolou na casa comandada por Vitor Belfort e Wanderlei Silva são um mistério, pois esse é o grande trunfo do programa, geram uma certa expectativa nos fãs para os aguardado combates eliminatórios, programados para todos os domingos, após o Fantástico.

O portal R7, da TV Record, publicou os nomes dos possíveis finalistas nos pesos pena e médio do TUF Brasil, o que não agradou aos fãs brasileiros, aos profissionais da luta e principalmente a  mídia especializada. O presidente do UFC, Dana White, repudiou a atitude da maior concorrente da TV Record.

“Não se pode confiar na validade de uma informação que vem de uma emissora concorrente. Eu me pergunto qual seria a verdadeira motivação deste veículo. Tentar descobrir quem são os vencedores é jogo baixo e não irá ferir o UFC, a série, ou a Globo – mas sim os jovens lutadores que estão competindo por um contrato com o UFC”, criticou Dana, em declaração enviada à TATAME por sua assessoria de imprensa.

Nos Estados Unidos, os nomes foram revelados apenas uma vez em 15 temporadas, e os jornalistas responsáveis pela matéria seguem banidos de qualquer edição até hoje. 

NINGUEM ENTRA NO OCTOGNO CEM PORCENTO - DIZ MATT HUGHES



Foto: Silva vs Sonnen no UFC 117 (Divulgação/UFC)
O veterano Matt Hughes explicou que é praticamente impossível entrar no octógono cem porcento saudável para um confronto, mas acrescentou que ao longo da disputa é impossível pensar na lesão – que no caso do brasileiro Anderson Silva ocorreu na costela, algumas semanas antes do primeiro combate contra Chael Sonnen, em 2010.
“Ninguém vai lá 100%, isso não acontece. Então ele deve ter se contundido, mas no meio da luta, você não se senta pesando sobre sua costela”, disse durante o programa UFC Tonight.
E por já ter enfrentado Sonnen no UFC 117, Hughes aposta que o brasileiro se apresentará melhor e acredita que Chael não será capaz de trazer algo diferente para o confronto do que habitualmente faz.
“Não acho que o Chael possa mudar muito. Não acho que ele possa fazer algo muito diferente, para ser realmente honesto. Aquilo é o que ele faz, e é aquilo o que ele irá fazer de novo provavelmente e o Anderson estará mais preparado dessa vez que na última, então veremos o Sonnen tomar mais algumas dessa vez”, disse em entrevista ao MMAJunkie.com.
Chael Sonnen chocou o mundo das artes marciais mistas ao acertar mais de trezentos socos em Anderson, que é conhecido como um dos oponentes que menos é atingido nas lutas. O americano dominou todos os quesitos da disputa com quedas eficientes e vários golpes conectados no chão, onde se manteve sobre Silva durante toda a luta.
O americano acabou finalizado no quinto round, mas em seu retorno ao octógono após ter cumprido suspensão por uso de hormônios, demonstrou evolução justamente em seu ponto fraco, o jogo de solo, contra Brian Stann. Já no confronto que o credenciou à disputa de título,  o rival do “Aranha” não teve oportunidade de mostrar seu jiu-jitsu e não empolgou como no embate contra Stann.

PRIMEIRA LUTA DE DEFESA DE TITULO DO BRASLEIRO JUNIOR CIGANO.

Foto: Divulgação/UFC
O Ultimate Fighting Championship realizou conferência de imprensa hoje, em Las Vegas, Nevada, a propósito do UFC 146: Dos Santos vs Overeem, que ocorrerá no dia 26 de maio, no MGM Grand Garden Arena. Pela primeira vez na história da organização, o card principal contará apenas com lutas entre pesos pesados.
O brasileiro Junior dos Santos fará sua primeira defesa de título contra o holandês Alistair Overeem, que conquistou o direito de enfrentá-lo após a vitória sobre Brock Lesnar, em dezembro do ano passado. Já “Cigano” conquistou o cinturão em novembro, quando nocauteou Cain Velasquez em apenas sessenta e quatro segundos.
Veja também as encaradas entre Cain Velasquez e Frank Mir, e Roy Nelson e Alistair Overeem:
Para obter mais informações sobre o UFC 146, siga o blog Mano a Mano no twitter@EduardoCruzMMA

THIAGO SILVA: "SEREI DEZ VEZES MAIS AGRESSIVO”



Foto: Divulgação/UFC
Nem mesmo o longo período afastado do octógono do Ultimate Fighting Championship devido a suspensão aplicada após a luta contra Brandon Vera por ter adulterado a amostra de urina desanimao meio-pesado Thiago Silva.
O atleta da American Top Team aproveitou o período para se recuperar das lesões e afirma que a inatividade não será um problema no dia 14 de abril, quando fará o principal confronto do UFC on Fuel 2.
“O fato de não ter lutado em um ano não me afetará de maneira alguma. Eu tenho me recuperado das lesões e treinado mais pesado do que nunca para provar que eu sou um dos melhores lutadores do mundo. Estou pronto e saudável. A noite do dia 14 de abril será incrível”, disse site americano LowKick.com.
Thiago lutará em território inimigo já que o evento ocorrerá em Estocolmo, na Suécia, o que só aumenta a sua empolgação para atuar da maneira agressiva que o tornou famoso e que entretém os fãs das artes marciais mistas.
“Gustafsson é um lutador muito bom e respeito as habilidades dele. Qualquer coisa pode acontecer com um grande striker calçando luvas pequenas. No entanto, estou empolgado com o desafio de lutar com ele em seu país. Não tenho medo de ninguém e planejo lutar em ritmo acelerado e agressivo que vai enterter os fás”, prometeu o paulista.
“Eu não sinto qualquer pressão. Lutarei duro como sempre luto e vencerei”, falou sobre lutar na Suécia. “Não sei ainda se a luta irá para o chão mas eu encontrarei a melhor maneira para vencer. Buscarei aberturas e tirarei vantagem delas. Sou um homem de oportunidade e vou buscar a melhor”, disse.
Thiago possui uma academia em Miami e declarou que a pior coisa no ano passado foi não poder ajudar a família mas que a experiência vivida lhe dará mais motivação para lutar e vencer. Quando perguntado sobre o palpite para o combate, Silva fez questão de falar sobre a importância do desafio e de seu estilo.
“Meu prognóstico é que eu lutarei tão duro quanto um guerreiro. Todo mundo conhece meu estilo. Quando entro no octógono, vou para matar ou para morrer e farei o mesmo no dia 14 e serei dez vezes mais agressivo porque essa luta é muito importante para mim”, concluiu.
Alexander quer vingar companheiro contra o ‘desrespeitoso’ adversário
O confronto promete ser de muita ação já que Alexander Gustafsson vê a trocação como sua principal arma. O sueco pretende finalizar a disputa antes do término dos rounds previstos.
“Eu sempre lutei em pé e considero a trocação como a minha maior arma. Treino para cinco rounds mas busco finalizar a luta antes. Eu me sacrifico nos treinos mais do que qualquer adversário e adoro viajar pelo mundo. Essa será a primeira vez do UFC na Suécia e eu terei apoio dos meus familiares e do público. Lutar no meu país é como lutar no quintal de casa. Estocolmo é a minha cidade”, disse recentemente.
Gustafsson quer vingar a derrota do companheiro de treino Brandon Vera, que foi derrotado por Thiago quando este pisou no ringue pela última vez. Naquela ocasião, o atleta da ATT deu tapinhas quando estava montado no americano e ganhou a antipatia do oponente que pretende nocauteá-lo.
Eu só quero lutar com o Thiago Silva. Ele derrotou o Vera e é um bom lutador mas ele não é bom para o esporte e não demonstra ter qualquer respeito pelos adversários. Tudo isso contribuiu para o meu desejo de enfrentá-lo. Eu vou lá para nocautear esse cara. Não vou perder essa luta, não tem como eu perder para ele”, afirmou.

segunda-feira, 26 de março de 2012

CONHEÇA OS 16 "SOBREVIVENTES" DO TUF BRASIL


Fotos dos vencedores do 1º episódio (Divulgação/TUF Brasil)
Teve início ontem, o reality show The Ultimate Fighter – Em busca de campeões – que premiará dois atletas vencedores das categorias peso médio e pena com contratos com o Ultimate Fighting Championship.
O Brasil – terceiro maior mercado de lutas do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e do Canadá – possui história no programa já que Rodrigo “Minotauro” Nogueira e Junior “Cigano” dos Santos foram treinadores em edições americanas do programa.
Para a edição brasileira, a primeira realizada fora dos EUA, os ídolos nacionais Wanderlei Silva e Vitor Belfort foram escolhidos para treinar os times azul e verde e se enfrentarão ao final da temporada, em junho.
Galvão Bueno apresentou um guia de informações sobre o TUF antes da realização das lutas e contou com a participação do global Tiago Leifert e do campeão peso pesado Junior dos Santos.
Tal medida foi importante para esclarecer dúvidas do grande público que passou a se interessar pelas artes marciais mistas após a consolidação do esporte nos grandes veículos de mídia do País.
As lutas
Dana White, Wanderlei Silva e Vitor Belfort testemunharam lutas de alto nível de agressividade e técnica em que foram definidos os dezesseis atletas que se ficarão confinados em uma casa, convivendo diariamente, como nos demais reality shows.

No primeiro combate, Rony Jason passou por Dileno Lopes após ter enfrentado dificuldade no início da luta, mas confirmou seu favoritismo ao nocautear o duro oponente no primeiro round.
Francisco Massaranduba teria vencido o bônus de melhor nocaute da noite pela forma relâmpago como liquidou Charles Maicon, em alguns segundos. No TUF não são pagos bônus como nos demais eventos do UFC.

Godofredo Pepey demonstrou boa técnica de solo e não aliviou a pressão imposta por um triângulo bem ajustado que forçou Johnny Cabeça a desistir da luta e conseqüentemente da competição.
Cezar Mutante, aluno de Belfort, foi melhor que Gustavo Labareda no primeiro round mas manchou sua vitória com cotoveladas ilegais nos cinco minutos iniciais. No período seguinte, finalizou o atleta do Distrito Federal com uma guilhotina inapelável.

Hugo Wolverine tomou posse das palavras de Alexandre Ramos, o Sangue, que declarou seu desejo por entrar no ringue para estirar o adversário no chão. Wolverine dominou e acabou com Alexandre após dura sequência de cotoveladas.

Daniel Serafian derrotou Richardson Monstrão por pontos em luta que demonstrou melhor técnica de troca de golpes. O paulista teve dois pontos descontados por ter aplicado uma joelhada ilegal mas sua superioridade compensou o deslize e lhe garantiu a vitória.

O experiente Rodrigo Damm enfrentou dificuldades na luta em pé contra Fabrício Guerreiro mas tão logo levou a luta para seu departamento, o solo, finalizou o confronto com um mata-leão.
Wagner Galeto e Fernando Guerra fizeram a luta menos empolgante do primeiro episódio do TUF Brasil. Com um pouco mais de iniciativa na disputa, Galeto venceu no round de desempate e prometeu melhores apresentações na casa.

Sergio Moraes e Thiago Rela fizeram uma luta interessante. Logo após Serginho ter aplicado uma bela técnica, ambos lutadores buscaram a chave de perna e ficaram frente a frente no chão trocando socos até o tricampeão de jiu-jitsu acabar com a peleja.

O emotivo Anistávio Gasparzinho derrotou Rafael Bueno na decisão. O atleta, que chorou durante a apresentação dos lutadores, foi melhor no combate mas terá que se controlar para suportar a pressão da convivência e a necessidade de vencer para seguir lutando.

Tiago Bodão lutou estrategicamente e levou a luta contra João Paulo Tuba para o solo, onde desferiu duros golpes que lhe garantiram a entrada na casa do programa. Bodão, que já superou um câncer no ombro, mostrou que vai ser um concorrente duro.

John Macapá e Giovanni Soldado conectaram acidentalmente golpes baixos no único round da disputa. Em seu reinício, o atleta da região norte do País derrubou, montou e finalizou Soldado com uma chave de braço, demonstrando frieza dentro do octógono.

O experiente grappler Delson Pé de Chumbo fez valer sua técnica de solo contra Gilerto Galvão, que foi salvo de uma finalização no primeiro round. Nos 5 minutos seguintes, Pé de Chumbo foi melhor, dominou e derrotou Giba por pontos.

Renée Forte e Fabio Bolinho trocaram chutes e socos durante os dez minutos de luta. A agressividade foi a marca do encontro entre os atletas e ao final do duelo os árbitros conferiram a vitória a Renée, que mostrou boa técnica com as mãos.

Marcus Vinícius enfrentou o duro Pedro Nobre, que possui recorde no MMA de dez vitórias e nenhuma derrota. Vina aplicou um knockdown em Nobre, que se levantou mas foi duramente atingido até cair novamente. Após a segunda queda, o arbitrou parou a luta e decretou a vitória de Vina por nocaute técnico.

Leonardo Macarrão e Samuel Trindade lutaram até a exaustão nos três rounds do combate. Macarrão, que considera o nocaute como estratégia perfeita, não conseguiu finalizar o atleta de Roraima mas merecidamente garantiu sua participação no TUF por ter sido mais efetivo e por ter demonstrado melhor preparo que Trindade, que foi valente.

DIA 23 DE JUNHO UFC 147 SILVA vs sonnen


Foto: UFC 117: “Silva vs Sonnen” (Divulgação/UFC)
O segundo capítulo da maior rivalidade das artes marciais mistas nos últimos dois anos será escrito no UFC 147, dia 23 de junho, no Estádio Engenhão, onde é esperado que a organização do Ultimate Fighting Championship quebre o recorde de público com a revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen, válida pelo cinturão dos pesos médios. O card contará também com a final do TUF Brasil, entre Vitor Belfort e Wanderlei Silva, treinadores do reality show que também farão aguardada revanche.
A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sediar o show após várias dificuldades de negociação enfrentadas pelo UFC com o governo paulista. Com a oficialização do primeiro evento da organização em um estádio de futebol, a expectativa é de quebra do recorde canadense de venda de tickets com a marca de cinquenta e cinco mil obtida no UFC 129, realizado em abril de 2011. O presidente Dana White aposta que esse será o acontecimento esportivo do ano.
“Este será o maior evento esportivo do ano. Maior que a NFL, que a NBA, pode escolher – o UFC 147 será maior. O mundo inteiro quer ver essa luta entre Anderson Silva e Chael Sonnen. Somos transmitidos para mais de 150 países em 22 idiomas diferentes em 1 bilhão de lares. Onde quer que estes fãs estejam, eles irão assistir a esta luta” declarou.
Informações sobre a venda de ingressos para o evento bem como a respeito das demais lutas do card serão anunciadas a partir de abril e disponibilizadas aqui no blog Mano a Mano e no site br.ufc.com.

domingo, 25 de março de 2012

BELFOT DISPARA: SERÁ O TIME DO HULK CONTRA O TIME DOS SMURFS


Foto: (Divulgação/UFC)
O The Ultimate Fighter Brasil – Em busca de campeões – começa hoje com trinta e dois lutadores sendo que a metade será eliminada no primeiro episódio, restando apenas os dezesseis atletas das categorias peso médio e peso pena que disputarão um contrato com o Ultimate Fighting Championship.
Vitor Belfort e Wanderlei Silva são os treinadores das duas equipes e se enfrentarão ao final do reality show. Os astros brasileiros são rivais desde 1998, quando lutaram pela primeira vez. Naquela ocasião, o “Fenômeno” nocauteou o “Cachorro Louco” em quarenta e quatro segundos e deram início a uma das maiores rivalidades do MMA.
Wanderlei tem alfinetado o oponente com frequência. Já disse que Vitor é chato e que prefere não ter amizade com adversário. Belfort acordou inspirado e usou sua conta no twitter para escrever: “Não percam hoje, time Vitor verde, Hulk, contra o time azul smurfs. O reality show mais aguardado”, publicou.
Siga o blog Mano a Mano

TRIGÉSIMA SETIMA EDIÇÃO DO JUNGLE FIGHT


Foto: ring girl Fabiana Frota (Divulgação)
O Jungle Fight realizará sua trigésima sétima edição no dia 31 de março, às 20:00, no ginásio do Parque Ibirapuera, em São Paulo.  O card do evento terá nove lutas, sendo duas disputas de cinturão e três delas duelos entre brasileiros e estrangeiros. Nos dois principais combates da noite, o manauara Adriano Martins colocará o título da categoria até 70kg em jogo contra o americano Jimmy Donahue, enquanto o campeão da divisão até 93kg Kleber Orgulho ficará frente a frente com Aldo Sultão.
O presidente Wallid Ismail, O JF 37 vai ser especial: ‘’Será um dia marcante para o MMA brasileiro pois brigaremos pela liderança de audiência na TV paga. De quebra, ainda estamos com um card fortíssimo. Pela primeira vez teremos dois campeões defendendo seus respectivos cinturões na mesma edição do Jungle. Os amantes do esporte podem se animar pois esse evento entrará para a história’’, disse.
A pesagem da competição acontecerá na sexta-feira, dia 30, às 16h, no Hotel Cesar Business. Confira o card completo:
1-Adriano Martins (Top Life Amazonas) X. Jimmy Donahue ( Benkei Team -USA) 70 kg  (disputa de cinturão)
2-Kleber Orgulho ( Champion Team) X Aldo Sultão (Barbosa Team) 93 kg (disputa de cinturão)
3-Neilson Gomes (Champions Team ) x Ivan “Batman” ( Ataque Duplo Thiago Tavares) 70 kg
4-Henrique “Raputin” Gomes ( Team ) x  Jack Guzman  (Maximum Team-Peru) 66 kgs
5-Ildemar “Marajo”Alcântara (Strike team). X     Leonardo Iturralde (Aliance Team -Equador) 84 kg
6-Edson ” Conterraneo”(CT Miguel Repanas) X Alexandre ” Bebezao ” Pesado
7-Ricardo”Mirrado” Maciel. ( chute boxe-Bauru) X. Gilberto Dias( Constrictor Team ) 57 kg
8-Michael “Trator” (lyotoTeam )   x Douglas Bertazini ( CT Miguel Repanas ) 77 kg
9-Thiago Passos ( Bolado Team ) X. Julho Quirino (Barbosa Team ) 70 kg
Siga o blog Mano a Mano

THIAGO MICHEL SALVA NOITE BRASILEIRA

 O Brasil entrou para o GP de pesos leves do Bellator com quatro representantes na primeira fase de disputa. Mas, em uma noite ruim para os atletas brasileiros, apenas Thiago Michel conseguiu garantir vaga na semifinal do torneio. Na edição de número 62 do evento, realizado nesta sexta-feira (23), em Laredo, nos Estados Unidos, Patricky Pitbull, Ricardo Tirloni e René Nazaré foram eliminados logo nas quartas de final da disputa

Thiago Michel salva noite brasileira

A única vitória tupiniquim no Bellator 62 foi de Thiago Michel, e mesmo assim porque o mineiro encarou outro atleta tupiniquim. Diante de René Nazaré, Thiago mostrou seu arsenal de golpes na trocação para atingir o lutador carioca. Com boa variação de pisões frontais, diretos e socos rodados, Thiago somava pontos e impressionava os juízes. Por sua vez, René se limitava a tentar derrubar seu adversário, mas nas poucas vezes que conseguiu não foi produtivo e o duelo sempre voltava para a trocação.


No último round, Nazaré conseguiu manter Michel no solo por mais tempo e somou alguns pontos. No final de 15 minutos de disputa, vitória de Thiago Michel na decisão dividida dos juízes.


Tirloni é surpreendido e cai nocauteado

Com 14 vitórias e apenas uma derrota na carreira, justamente para Ben Henderson, atual campeão do UFC, o brasileiro Ricardo Tirloni era cotado como um dos favoritos na disputa do torneio. Mas diante de Rick Hawn o sonho do título terminou mais cedo para o atleta catarinense. Tirloni começou bem o combate, mas acabou surpreendido pelo norte-americano na metade do primeiro round.

Depois de conectar bons chutes baixos e defender as tentativas de clinch de Hawn, que é especialista em judô, Ricardo cometeu um pequeno descuido com sua guarda. Com uma rápida combinação de jab e direto, o norte-americano levou o brasileiro a knockdown. Sem perder tempo, Rick Hawn continuou o castigo no solo até o Tirloni ser nocauteado.


Em grande luta, Patricky Pitbull é finalizado

O combate entre o norte-americano Lloyd Woodard e o brasileiro Patricky Pitbull foi, sem sombra de dúvidas o melhor da noite. A luta transcorreu em ritmo acelerado durante todo o tempo e com bastante alternâncias de posição. Pitbull tentava trabalhar com golpes de retos, mas era sempre surpreendido com ataques nas pernas de Woodard.


Depois de um primeiro round bastante disputado, o segundo assalto começou com uma trocação alucinante, com os dois atletas acertando golpes potentes um no outro. Mas após tentar uma queda, Pitbull caiu por baixo e o norte-americano pegou um braço do brasileiro e encaixou uma justa kimura. Patricky ainda tentou se defender, mas como a chave estava bem encaixada, ele foi obrigado a desistir do duelo.
PVT

sábado, 24 de março de 2012

WANDERLEI SILVA - "PREFIRO SER TEMIDO DO QUE AMADO"

Altas Horas
Wanderlei Silva está contando os minutos para a estreia do reality show The Ultimate Fighter Brasil – Em busca de Campeões. “Para nós lutadores, domingo será um dia histórico e eu estou muito feliz de fazer parte desse programa”, comenta o brasileiro durante o Altas Horas deste sábado, dia 24 de março.

Conhecido como “Cachorro Louco”, Wanderlei Silva será um dos treinadores do programa. Durante o Altas Horas, o lutador afirma que o reality vai mostrar muito mais do que as lutas. “Eu já luto há muito tempo e finalmente a gente ganhou a oportunidade de aparecer para o grande público e mostrar que por trás do lutador tem uma pessoa como outra qualquer”.

O lutador também fala sobre a sua relação com os seus adversários. “Eu sou um atleta muito competitivo. Não gosto de ter muita amizade com meu próximo oponente. Eu prefiro ser temido, a ser amado”.

SEPULTAMENTO DO ATLETA DA ACADEMIA PODEROSOS DRAGÕES/HIKARI DA CIDADE DE EQUADOR FOI MARCADO PELA GRANDE TRISTEZA.

Em um dia triste e cruel, perdemos uma parte de nossa história, uma parte de nossas forças, um ilustre guerreiro. Neste dia 22 de março de 2012, faleceu nosso amigo e companheiro Estanislau Barbosa de Souza Júnior. 
Por volta das 15:30 hrs, o mesmo esteve no açude mamões, que faz o abastecimento da cidade, praticando natação ao lado de um companheiro objetivando melhorar seu condicionamento físico voltado à competição de Jiu-Jítsu que estava prestes a participar. Tragicamente no percurso de travessia do açude veio a falecer vítima de afogamento. A tristeza tomou conta da cidade e abalou a todos.
 No dia seguinte foi realizado seu sepultamento. Na missa de "corpo presente", os companheiros da Academia Poderosos Dragões, a quem Júnior representou ao longo de 5 anos, prestaram-lhe a última homenagem em nome de toda a cidade. Seus companheiros não o deixaram um minuto sequer, sendo os mesmos os responsáveis para carregar seu corpo até o cemitério público onde foi enterrado.

Para nós fica um vazio imenso e uma grande incerteza sobre os rumos que tomaremos com esta perca tão grande. Estanislau foi um dos atletas que levaram o nome de nossa cidade ao topo do pódio em muitas competições, tendo sido campeão do estado e terceiro colocado no Campeonato Norte/Nordeste. Era uma pessoa inquieta, amiga, e um companheiro sempre ousado e entusiasmado. Deixa-nos nas prévias de uma competição importante, e o que desejamos é que de onde esteja interceda por nós, que daremos o melhor pela sua memória.

Em nome da Academia Poderosos Dragões, estendemos nossa solidariedade aos familiares e prometemos honrar sua memória nos dedicando a edificar o que ele tanto amou e se dedicou para que os jovens e crianças de nossa cidade tivessem a oportunidade, de como ele, ser UM GRANDE CAMPEÃO. Palavras do Faixa ROXA  Elenilson Professor da Poderosos Dragões/Hikari.

Estamos em Luto!

CONHEÇA A TRAGETÓRIA DO CAMPEÃO ANDERSON SILVA

Biografia
Nascido na cidade de São Paulo, mudou-se ainda pequeno para Curitiba, onde começou a treinar Taekwondo com 7 anos de idade, [2] esporte no qual tornou-se faixa preta aos 18 anos de idade. No Muay Thai, Anderson foi o segundo faixa preta formado pelo Mestre Fábio Noguchi em Curitiba. [3] Ele também é faixa preta em jiu-jitsu dos irmãos nogueira (Minotauro e Minotouro). [4] A origem de seu apelido, Aranha, vem de um anuncio que citou o aranha por causa de uma camisa que usava no dia de um evento, minutos antes dele entrar no ringue e até hoje esse apelido perdura. Antes do Muay Thai, tentou ser jogador de futebol tendo feito um teste para o Corinthians.[5]

Carreira no MMA

A rigor, Anderson estreou em um torneio em forma de GP, no qual teria de lutar uma semifinal antes da final. Anderson foi o campeão desse GP, vencendo duas lutas. Depois fez várias lutas no Mecca, evento bem famoso naquela época. Suas boas exibições no Brasil lhe renderam uma chance de fazer lutas internacionais.

Shooto

Sua estreia no Shooto foi contra o japonês Tetsuji Kato. Anderson venceu a luta por decisão unânime. Depois voltou para o Brasil e venceu mais uma luta no Mecca. Com seguidas vitórias no cartel, Anderson teve a primeira grande oportunidade de disputar um cinturão de um torneio de grande reconhecimento na época, o Shooto. Anderson lutou pelo cinturão dos pesos médios do evento, em 2001, contra o japonês Hayato Sakurai e venceu a luta por decisão unânime dos juízes. Anderson enfim conquistava o seu primeiro cinturão em um grande evento de MMA.

Pride

Em 2005, Silva passou a lutar no PRIDE. Em sua primeira luta venceu Alex Steibling. Anderson venceu também, o canadense Carlos Newton (ex-campeão do UFC). Silva ganhou com uma joelhada fenomenal, depois de Newton tentar golpeá-lo.
No Pride 27, Silva enfrentou Daiju Takase, que considerando seu cartel até então de quatro vitórias e sete derrotas, credenciava a Anderson o favoritismo. Porém, o japonês conseguiu uma queda logo no início na luta, e conseguiu manter no chão até finalizar o brasileiro com um triângulo.
Após a derrota para Takase, Anderson Silva lutou em outros eventos. No Conquista Fight 1, venceu o brasileiro Waldir dos Anjos por nocaute técnico. Em 2004, lutou no Gladiator FC: Dia 2 enfrentou o lutador Jeremy Horn (ex-desafiante de cinturão do UFC), na qual obteve uma vitória por decisão unânime.
Em 2004, após ter conquistado o cinturão do Cage Rage, Silva retornou ao Pride para enfrentar Ryo Chonan. Apesar de levar enorme vantagem na luta contra o japones, Anderson foi surpreendido com uma finalização sensacional do Ryo Chonan. O japones conseguiu finalizar Anderson Silva no terceiro assalto após sofrer vários golpes durante a luta.
Após a derrota, Anderson continuou a lutar no Cage Rage, e em outros eventos. Depois de defender com sucesso duas vezes seu título no Cage Rage, Anderson Silva lutou no Rumble on the Rock 8 contra Yushin Okami na primeira fase do torneio dos médios. Nesta luta chutou o rosto de Okami em posição de guarda, que pelas regras do evento era proibido. O japonês poderia voltar a luta, mas prefiriu não continuar, o que resultou na desqualificação de Anderson Silva. [6]

Cage Rage

Silva fez sua estreia no Cage Rage na Inglaterra, de cara lutou pelo cinturão do evento. No Cage Rage 8 Anderson lutou e derrotou Lee Murray na disputa por decisão unânime dos jurados e conquistou o segundo cinturão de expressão da sua carreira, o cinturão de pesos-médios do Cage Rage. Após a conquista do cinturão do Cage Rage, Silva fez mais 3 lutas no evento, todas por defesa de cinturão. Venceu todas as lutas, tornando-se o recordista de defesas de cinturão dos médios do Cage Rage e o recordista de defesa de cinturão da história do evento. Depois migrou para o UFC, terminando sua jornada invicta no Cage Rage.

Carreira no UFC

No ano de 2006, Silva passou a combater no Ultimate Fighting Championship no evento Ultimate Fight Night 5, com vitória sobre Chris Leben. No dia 14 de outubro de 2006, no UFC 64, Anderson Silva teve a oportunidade de disputar o cinturão da categoria de pesos médios no UFC contra Rich Franklin, onde venceu no primeiro round de forma arrasadora.[7] Foi o segundo oponente que derrotou Franklin, depois de Lyoto Machida.

Defesas do Cinturão

Em 3 de fevereiro de 2007, UFC 67, estava programado para Anderson lutar contra o vencedor o reality show "The Ultimate Fighter 4" Travis Lutter. Contudo o adversário se apresentou acima do limite peso da categoria dos médios de 84 quilos, então a luta não era válida pelo título. Nessa luta Anderson Silva venceu o adversário faixa-preta de jiu-jítsu com um triângulo no segundo assalto, o lutador também aplicou uma série de cotoveladas de dentro do triângulo, que ajudaram a levar o americano à bater.
Na luta seguinte, no UFC 73 em 7 de julho de 2007, Anderson Silva defendeu com sucesso seu título contra Nate Marquardt, vencendo por nocaute técnico em 4:50 do primeiro assalto. Três meses depois, no dia 20 de outubro de 2007 no UFC 77, Silva lutou uma revanche defesa do título contra o Rich Franklin, na cidade natal de Franklin em Cincinnati, Silva defendeu seu cinturão ao derrotar Franklin por TKO no segundo assalto, onde surpreendeu todos, ao mostrar suas habilidades de trocar e se esquivar com as mãos abaixadas.
Em 1 de março de 2008, no UFC 82, Silva lutou contra o campeão dos médios do Pride, Dan Henderson, em uma disputa de unificação de título (títulos do UFC e Pride). Anderson defendeu o seu título ao derrotar Henderson com um mata-leão no segundo assalto.[8]
Cerca de quatro meses depois, no UFC Fight Night: Silva vs Irvin em 19 de julho de 2008, Silva fez sua estreia nos meio-pesados contra James Irvin. Anderson venceu por nocaute em 1:01 do primeiro assalto mostrando leveza, rapidez e agressividade, lutando com 93 quilos.[9] Após a unificação dos títulos, em 25 de outubro de 2008 no UFC 90 em Chicago, Anderson Silva voltou a defender seu título dos médios, desta vez contra Patrick Côté. No terceiro assalto, Côté sentiu dores no joelho após desferir um chute. O árbitro Herb Dean declarou a luta encerrada pois Patrick Côté não poderia continuar a luta, e declarou vitória de Anderson Silva por TKO.[10]
No UFC 97 Anderson Silva lutou e venceu Thales Leites por decisão unânime, defendendo seu cinturão e obtendo sua nona vitória consecutiva no UFC, recorde do evento. Thales Leites foi o único homem, até então, na história do UFC a lutar com Anderson Silva nos 5 assaltos até a decisão dos juízes. A multidão vaiou várias vezes o seu desempenho sem brilho, expressão entediada, e as tentativas frustradas de incitar o seu adversário na luta, e no 4º e 5º assalto, Anderson chegou a dançar, e baixar a guarda e golpeou o adversário, sem que houvesse retaliação.[11]
No UFC 101, Silva mais uma vez lutou nos meio-pesados, desta vez contra o ex-campeão da categoria Forrest Griffin. Griffin foi derrubado por três vezes no primeiro assalto. Após o terceiro knockdown, Forrest sinalizou que ele estava acabado, e Silva foi declarado vencedor por nocaute.[12]
Em Abu Dhabi, no UFC 112, Anderson ganhou do brasileiro Demian Maia por decisão unânime dos juízes. A luta foi criticada mundialmente, pelo desleixo de Anderson durante a luta, e pelo fato de não ter nocauteado o adversário.[13] O chefão do UFC, Dana White disse que se sentia envergonhado e decepcionado com a apresentação de Anderson, após casar essa luta em um dos maiores evento de UFC da história, economicamente falando e principalmente por ter sido o evento de estréia em Abu Dhabi, onde se esperava um show e não uma luta como aquela como main event.[14]
No UFC 117, em uma luta difícil, após perder os quatro primeiros rounds contra o estadunidense Chael Sonnen, Anderson Silva acabou conseguindo uma vitória por finalização com um armlock após aplicar um triângulo de perna. [15] Nesta luta Anderson afirmou ter lutado com a costela trincada, contra as recomendações de seu médico.
A próxima luta do Anderson seria uma revanche para Chael Sonnen, mas o mesmo foi pego no exame antidopping. Sendo assim, Silva defendeu e manteve o cinturão dos médios no UFC 126, que aconteceu no dia 6 de fevereiro de 2011, em Las Vegas, onde ele lutou contra o compatriota Vítor Belfort. A luta durou pouco menos de 4 minutos, com Belfort sendo nocauteado por um forte chute frontal no rosto disparado por Silva, chute que foi aprimorado devido ao ator e policial Steven Seagal.[16] [17]
No Rio de Janeiro, no UFC 134, Anderson Silva mais uma vez defendeu seu título, desta vez contra Yushin Okami. No segundo assalto, Anderson derrubou Okami duas vezes. Na segunda vez, Anderson para golpear o adversário e o nocauteou neste assalto aos 2:04, defendendo assim seu título pela nona vez e vencendo sua décima quarta luta no UFC.[18]

Filme

Em 2011, foi lançado um documentário chamado "Como Água", que contando toda a preparação do lutador para ganhar o cinturão do UFC. O filme foi premiado no Tribeca Film Festival como Melhor Direção.[19]

Patrocínios

A gestão da carreira de Anderson é mantida pela empresa 9ine do ex-jogador Ronaldo Luís Nazário de Lima. Desde 1º de agosto de 2011, Anderson é lutador contratado do Sport Club Corinthians Paulista, do qual é torcedor.[20] Também é patrocinado pela rede de lanches Burger King e pela Nike.[21]

Títulos

'''Brazilian Freestyle Circuit'''
  • Campeão de um GP do torneio.
  • Invicto no evento.
Shooto
  • Campeão Peso-Médio do Shooto.
  • Invicto no evento.
Cage Rage
  • Campeão Meio-Médio do Cage Rage.
  • Recordista de defesas de cinturão na divisão dos médios (3 vezes).
  • Maior recordista de defesas de cinturão da história do Cage Rage (3 vezes).
  • Só fez lutas por disputa de cinturão, vencendo todas.
Ultimate Fighting Championship
  • Atual campeão do cinturão dos Médios do UFC.
  • Vencedor da Luta da Noite (3 vezes).
  • Vencedor da Finalização da Noite (2 vezes).
  • Vencedor do Nocaute da Noite (3 vezes).
  • Unificou os cinturões Peso-Médio do UFC e Peso Meio-Médio do Pride.
  • Recorde de maior número de vitórias consecutivas no UFC (14).[22]
  • Recorde de maior número de vitórias consecutivas em defesa de título no UFC (9).[23]
World MMA Awards
  • Luta do Ano (2010): Anderson Silva vs Chael Sonnen no UFC 117.
  • Nocaute do Ano (2011): Anderson Silva vs Vitor Belfort no UFC 126.

Cartel no MMA

Resultado Cartel Oponente Método Evento Data Round Tempo Local Notas


Estados Unidos Chael Sonnen
UFC 147: Silva vs. Sonnen II 16 de junho de 2012

Brasil Rio de Janeiro, RJ, Brasil Defesa do Cinturão dos Médios do UFC.
Vitória 31-4 Japão Yushin Okami TKO (Socos) UFC 134: Silva vs. Okami 27 de agosto de 2011 2 3:01 Brasil Rio de Janeiro, RJ, Brasil Defesa do Cinturão dos Médios do UFC.
Vitória 30-4 BrasilVitor Belfort KO (Mae geri) UFC 126: Silva vs Belfort 6 de fevereiro de 2011 1 3:29 Estados Unidos Las Vegas, Nevada, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC. Recebeu o prêmio de Nocaute da Noite. Recebeu o prêmio de Nocaute do Ano.
Vitória 29-4 Estados Unidos Chael Sonnen Finalização (Triângulo) UFC 117: Silva vs. Sonnen 7 de agosto de 2010 5 1:50 Estados Unidos Oakland, Califórnia, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC. Prêmio de melhor finalização e luta da noite. Chael Sonnen testou positivo para esteróides anabolizantes.
Vitória 28-4 Brasil Demian Maia Decisão (Unânime) UFC 112: Invincible 10 de abril de 2010 5 5:00 =Emirados Árabes Unidos Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos Defesa do Cinturão dos Médios do UFC
Vitória 27-4 Estados Unidos Forrest Griffin KO (Soco) UFC 101: Declaration 9 de agosto de 2009 1 3:23 Estados Unidos Filadélfia, EUA Luta na categoria Meio-Pesado do UFC (93 kg) / Prêmios de melhor luta e nocaute da noite.
Vitória 26-4 Brasil Thales Leites Decisão (Unânime) UFC 97: Redemption 18 de abril de 2009 5 5:00 Canadá Montreal, Quebec, Canadá Defesa do Cinturão dos Médios do UFC / Quebrou o recorde de vitórias consecutivas no UFC.
Vitória 25-4 Canadá Patrick Côté TKO (Contusão) UFC 90: Silva vs. Côté 25 de outubro de 2008 3 0:39 Estados Unidos Rosemont, Illinois, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC
Vitória 24-4 Estados Unidos James Irvin KO (Socos) UFC Fight Night: Silva vs Irvin 19 de julho de 2008 1 1:01 Estados Unidos Las Vegas, Nevada, EUA Luta na categoria Meio-Pesado do UFC (93 kg)
Vitória 23-4 Estados Unidos Dan Henderson Finalização (Mata-leão) UFC 82: Pride of a Champion 1 de março de 2008 2 4:52 Estados Unidos Columbus, Ohio, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC / Prêmio de melhor luta e finalização da noite. / Unificou cinturões do Pride e UFC.
Vitória 22-4 Estados Unidos Rich Franklin TKO (Joelhadas) UFC 77: Hostile Territory 20 de outubro de 2007 2 1:07 Estados Unidos Cincinnati, Ohio, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC / Ganhou o prêmio de nocaute da noite .
Vitória 21-4 Estados Unidos Nate Marquardt TKO (Socos) UFC 73: Stacked 7 de julho de 2007 1 4:50 Estados Unidos Sacramento, Califórnia, EUA Defesa do Cinturão dos Médios do UFC
Vitória 20-4 Estados Unidos Travis Lutter Finalização (Triângulo) UFC 67: All or Nothing 3 de fevereiro de 2007 2 2:11 Estados Unidos Las Vegas, Nevada, EUA Luta não válida pelo cinturão do UFC (Lutter estava com um peso acima do permitido na categoria)
Vitória 19-4 Estados Unidos Rich Franklin KO (Joelhadas) UFC 64: Unstoppable 14 de outubro de 2006 1 3:57 Estados Unidos Las Vegas, Nevada, EUA Ganhou o cinturão dos Médios do UFC
Vitória 18-4 Estados Unidos Chris Leben KO (Joelhada) UFC Ultimate Fight Night 5 28 de junho de 2006 1 0:49 Estados Unidos Las Vegas, Nevada, EUA
Vitória 17-4 Estados Unidos Tony Fryklund KO (Cotovelada) Cage Rage 16: Critical Condition 22 de abril de 2006 1 2:02 Reino Unido Londres, Inglaterra, Reino Unido Defesa do Cinturão dos Médios do Cage Rage
Desqualificado 16-4 Japão Yushin Okami Desqualificado (Chute ilegal) Rumble on the Rock 8 20 de janeiro de 2006 1 2:33 Estados Unidos Honolulu, Havaí, EUA
Vitória 16-3 Estados Unidos Curtis Stout KO (Socos) Cage Rage 14: Punishment 3 de dezembro de 2005 1 4:59 Reino Unido Londres, Inglaterra, Reino Unido Defesa do Cinturão dos Médios do Cage Rage
Vitória 15-3 Estados Unidos Jorge Rivera TKO (Golpes) Cage Rage 11: Face Off 30 de abril de 2005 2 3:53 Reino Unido Londres, Inglaterra, Reino Unido Defesa do Cinturão dos Médios do Cage Rage
Derrota 14-3 Japão Ryo Chonan Finalização (Chave de calcanhar voadora) Pride Shockwave 2004 31 de dezembro de 2004 3 3:08 Japão Saitama, Japão
Vitória 14-2 Reino Unido Lee Murray Decisão (Unânime) Cage Rage 8: Knights of the Octagon 11 de setembro de 2004 3 5:00 Reino Unido Londres, Inglaterra, Reino Unido Ganhou o Cinturão dos Médios do Cage Rage
Vitória 13-2 Estados Unidos Jeremy Horn Decisão (Unânime) Gladiator FC: Day 2 27 de junho de 2004 3 5:00 Coreia do Sul Seul, Coreia do Sul
Vitória 12-2 Brasil Waldir dos Anjos TKO (Intervenção do córner) Conquista Fight 1 20 de dezembro de 2003 1 5:00 Brasil Vitória da Conquista, Bahia, Brasil
Derrota 11-2 Japão Daiju Takase Finalização (Triângulo) Pride 26: Bad to the Bone 8 de junho de 2003 1 8:33 Japão Yokohama, Japão
Vitória 11-1 Canadá Carlos Newton KO (Joelhadas voadoras e socos) Pride 25: Body Blow 16 de março de 2003 1 6:27 Japão Yokohama, Japão
Vitória 10-1 Japão Alexander Otsuka Decisão (Unânime) Pride 22: Beasts From The East 2 29 de setembro de 2002 3 5:00 Japão Nagoya, Japão
Vitória 9-1 Estados Unidos Alex Stiebling TKO (Intervenção do médico) Pride 21: Demolition 23 de junho de 2002 1 1:23 Japão Saitama, Japão
Vitória 8-1 Brasil Roan Carneiro Finalização (Socos) Mecca: World Vale Tudo 6 31 de janeiro de 2002 1 ? Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Vitória 7-1 Japão Hayato Sakurai Decisão (Unânime) Shooto: To The Top 7 26 de agosto de 2001 3 5:00 Japão Osaka, Japão Ganhou o Cinturão dos Médios do Shooto (até 76 kg)
Vitória 6-1 Brasil Israel Albuquerque Finalização (Golpes) Mecca: World Vale Tudo 5 9 de junho de 2001 1 6:17 Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Vitória 5-1 Japão Tetsuji Kato Decisão (Unânime) Shooto: To The Top 2 2 de março de 2001 3 5:00 Japão Tóquio, Japão
Vitória 4-1 Brasil Claudionor Fontinelle TKO (Golpes) Mecca: World Vale Tudo 4 16 de dezembro de 2000 1 4:35 Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Vitória 3-1 Brasil José Barreto TKO (Golpes) Mecca: World Vale Tudo 2 12 de agosto de 2000 1 1:06 Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Derrota 2-1 Brasil Luiz Azeredo Decisão (Dividida) Mecca: World Vale Tudo 1 27 de maio de 2000 2 10:00 Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Vitória 2-0 Brasil Fabrício Camões TKO Brazilian Freestyle Circuit 1 25 de junho de 1997 1 25:14 Brasil Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil
Vitória 1-0 Brasil Raimundo Pinheiro Finalização (Mata-leão) Brazilian Freestyle Circuit 1 25 de junho de 1997 1 1:53 Brasil Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil
Related Posts with Thumbnails