quinta-feira, 20 de novembro de 2014

JACARÉ A UMA LUTA DA DISPUTA DO CINTURÃO?


Jacaré aceita luta com Romero sem surpresa e garante:


Com quatro vitórias consecutivas em suas quatro primeiras aparições no UFC, sendo três por nocaute ou finalização, Ronaldo Jacaré esperava que fosse credenciado para disputar o cinturão dos médios da organização, mas, por um desencontro de calendário, acabou escalado para encarar a pedreira Yoel Romero no UFC 184, o que, para o brasileiro, não é nenhum problema.

"O Belfort e o Weidman vão se enfrentar em fevereiro e se eu fosse esperar eles lutarem, teria que esperar aproximadamente nove meses parado e isso não estava nos meus planos. O Dana White estava certo quando disse que eu teria de fazer mais uma luta. Tenho que focar bastante no próximo adversário, que é muito duro dentro da divisão. Depois desse combate estarei pronto para disputar esse cinturão".

Aos 37 anos, Romero tem uma longa carreira esportiva, apesar de apenas 10 combates profissionais de MMA no cartel. Especialista em wrestling, o cubano tem no currículo medalha olímpica e título mundial da modalidade.

"Quando recebi a notícia de que enfrentaria o Yoel Romero não fiquei surpreso. Ele está bem ranqueado na categoria e está vindo de boas vitórias. É um atleta muito forte e explosivo. Em relação à luta, acho que vai ser um duelo duro e muito disputado. Ele é um cara muito forte no wrestling e eu também pretendo usar minha parte de chão. Acho que posso vencer qualquer um com o meu jiu jitsu e é isso que vou levar para esta luta".

Mesmo com o fim de ano se aproximando, Jacaré tem planos de intensificar sua preparação para o combate nas próximas semanas. O lutador atualmente está em fase final de recuperação de uma cirurgia realizada no cotovelo direito, a segunda pela qual passou em 2014.

"Estou voltando a treinar aos poucos, creio que daqui a duas semanas já estarei 100%. Tive uma melhora muito boa após a cirurgia e estou sendo cuidadoso, pois foi uma operação complicada. Estou atento para não me lesionar novamente e isso não vai ser problema. Meu camp permanece o mesmo, com o Josuel Distak, na parte de boxe e MMA, Rogério Camões, na preparação física, Pedro Rizzo, no muay thai, e Sylvio Behring, no jiu jitsu. Além disso, conto o auxílio de todos os meus companheiros da X-Gym para me deixar muito bem para o combate".

http://portaldovaletudo

"SE CYBORG ESTRAGAR O MMA FEMININO, MATO COM AS MINHAS PROPRIAS MÃOS’, diz Ronda




Ronda Rousey não está disposta a deixar que o trabalho que ela fez ao levantar o MMA feminino seja arruinado. É assim que ela encara a situação tensa que vive com a arquirrival Cris Cyborg. Primeira campeã do UFC e a grande estrela entre as mulheres, abrindo caminho para mulheres em uma modalidade considerada machista, Rousey voltou a atacar a brasileira, acusando-a de doping e prometendo “matá-la com minhas próprias mãos” se ela sujar o que foi construído até aqui.

“Este esporte merece um campeão melhor do que ela é. E, se ela tentar desfazer o trabalho que fiz, então eu vou matá-la com as minhas mãos. E a única pessoa que vai me impedir disso é o árbitro”, afirmou Ronda Rousey, ao Bleacher Report.

A fala de Ronda é uma adição ao que ela já havia falado há jornalistas após o evento de segunda-feira do UFC – conforme o amigo José Ricardo Leite noticiou aqui.

A campeã voltou a pegar pesado no tema doping, dizendo que é um “crime” Cyborg competir e que ela pode causar mortes no ringue. E ainda questionou a lesão que fez a brasileira adiar sua estreia como peso galo – categoria de Ronda.

“Agora, como o UFC não quis assumir o risco, ela vai para qualquer lutar tentar fazer o peso e provar que pode fazer isso de forma saudável. Mas diz que está lesionada? Se a definição para lesionada é ‘eu tomo tantos esteroides que não consigo bater o peso’, então ela deve estar lesionada pra c…”, disse Ronda.

“Se a trouxerem ao UFC, será minha responsabilidade afastá-la, para que não arruíne o MMA feminino novamente. O que arruinará o esporte é alguém morrer no octógono e o outro lutador testar positivo para esteroides. Aí será o primeiro homicídio. Alguém já pensou nisso? Ela não pensa em todas as mulheres que vem atrás dela. Ela é apenas um projeto de química”, adicionou a norte-americana.

Enquanto esta superluta não acontece, Ronda Rousey tem agendada sua próxima defesa de cinturão contra Cat Zingano, no dia 28 de fevereiro.

Fonte: Na grade do mma. Por Maurício Deh

EX-PAQUITO DA XUXA DAR AULAS DE JIU JITSU




Cláudio Heinrich, que foi paquito da Xuxa e atuou em novelas globais como "Malhação" (1995) e "Uga Uga" (2000), contou à coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, que resolveu levar a sério um antigo hobby e está dando aulas de jiu-jítsu numa academia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Recentemente, o ator perdeu contrato com a TV Record, depois que a novela "Pecado Mortal" (2014) chegou ao fim. "Desde que me tornei faixa azul eu dava assistência ao meu mestre, mas fazia isso por prazer. Há cinco meses, me tornei faixa preta e hoje dou aulas duas vezes por semana, para adolescentes e adultos. A remuneração não é muita, não é minha principal fonte de renda, mas ajuda", disse

terça-feira, 18 de novembro de 2014

BELLATOR ANUNCIA QUATRO DISPUTA DE CINTURÕES; DOIS BRASILEIROS DEFEDEM E UM DESAFIA


Bellator coloca 4 cinturões em jogo no início de 2015



O Bellator já definiu seus principais shows para os primeiros meses de 2015 e três brasileiros estão entre os protagonistas. Durante a edição histórica realizada neste final de semana, a organização anunciou as próximas disputas de cinturões, e marcou as defesas de Douglas Lima - campeão dos meio-médios, Patrício PitBull - campeão dos penas, e Joe Warren, que defende o cinturão dos pesos galos contra o brasileiro Marcos Loro Galvão.

Patrício Pitbull vs Daniel Strauss

O primeiro a defender o título será Patrício Pitbull, que faz uma revanche contra Daniel Strauss na luta principal do Bellator 132, marcado para o dia 16 de janeiro. Considerado um dos melhores pesos penas em atividade no planeta, Patrício vem de cinco vitórias consecutivas e, na última delas, sagrou-se campeão da categoria. Ex-campeão, Strauss conhece bem o poder de fogo do brasileiro. Na primeira luta entre eles, em maio de 2011, o atual campeão levou a melhor via decisão unânime.

Douglas Lima vs Paul Daley

Em seguida, Douglas Lima defende o cinturão dos meio-médios contra o experiente Paul Daley, na luta principal do Bellator 133, marcado para o dia 27 de fevereiro. Nocauteador, o brasileiro vem de cinco vitórias consecutivas, todas por nocaute. O título veio na mais recente, contra Rick Hawn, em abril deste ano. Com mais de 10 anos de carreira, o inglês Paul Daley já teve passagens pelo UFC, Cage Rage e Strikeforce. Também nocauteador, ele conseguiu 26 de suas 35 vitórias através de nocautes.

Emanuel Newton vs Liam McGeary

Ainda pelo Bellator 133, Emanuel Newton coloca o cinturão dos meio-pesados em jogo contra o invicto Liam McGeary. Enquanto o campeão vem de sete vitórias consecutivas, o desafiante não sabe o que é perder, e venceu todas as nove lutas que disputou, as últimas seis pelo Bellator. Esta edição ainda contará com a luta entre o ex-Pride Rameau Sokoudjou e Linton Vassel, ex-desafiante dos meio-pesados.

Joe Warren vs Marcos Loro Galvão

Já pela luta principal do Bellator 134, marcado para o dia 27 de março, Joe Warren coloca o cinturão dos pesos galos em jogo contra o brasileiro Marcos Loro Galvão. Warren tornou-se campeão em outubro deste ano ao derrotar o brasileiro e ex-companheiro de treinos de Loro Dudu Dantas. Loro já teve a oportunidade de disputar o cinturão anteriormente, mas acabou nocauteado pelo próprio Dudu Dantas. De lá para cá, o manauara enfileirou três adversários.

DANA ESTIPULA MARÇO COMO PRAZO PARA RETORNO DE CAIN VELASQUEZ OU PODERÁ PERDER O CINTURÃO


Dana admite tornar vencedor de Werdum e Hunt campeão linear do UFC no início de 2015


Às vésperas do duelo pelo cinturão interino dos pesos pesados do UFC entre Fabrício Werdum e Mark Hunt, o presidente da organização, Dana White, fez uma declaração que com certeza serviu como estímulo a mais aos lutadores.

Em entrevista ao site oficial do UFC, Dana estipulou março como o prazo limite para que Cain Velasquez, que não compete desde outubro de 2013, volte a lutar. Caso contrário, o americano perderá seu título.

"É a direção em que estamos indo. Essa próxima luta no México é pelo título interino, mas se o Cain não puder competir novamente, então o vencedor desta luta será considerado o campeão".

White comentou ainda o duelo entre Werdum e Hunt, elogiando a evolução apresentada pelo brasileiro na luta em pé, mas destacando o poder de nocaute do neozelandês.

"O Werdum é muito perigoso no chão. Todo mundo fala do chão dele e de ele talvez ser o melhor finalizador entre os pesos pesados, mas olhe o que ele fez ao Travis Browne em pé. A trocação dele estava inacreditável, e um dos problemas para caras como Hunt e Roy Nelson, eles são top 10, mas quando enfrentam um top 5, o atleticismo desses atletas acaba sendo demais para eles", analisou Dana, "Mas com o Hunt, o que faz dele tão empolgante é que com um soco ele pode mudar tudo. Tudo o que ele precisa fazer é acertar você, mesmo de raspão, e ele vai te apagar".

WSOF 15: JORGE PATINO MACACO VENCE E KALINDRA FARIA É SUPERADA POR JESSICA AGUILAR


Macaco venceu Reynolds


Além do UFC 180 e do Bellator 131, o WSOF também colocou cinturões em jogo nesse sábado. Na categoria dos médios, David Branch venceu o ex-UFC Yushin Okami por nocaute técnico e se manteve no topo da divisão. Já pelo peso palha feminino, a brasileira Kalindra Faria lutou muito bem, mas não o suficiente para desbancar a campeã Jessica Aguillar, que permanece com o cinturão do peso. O título dos leves não foi colocado em jogo porque Melvin Guillard não bateu o peso na pesagem oficial, mas mesmo assim o duelo contra Justin Gaethje aconteceu, e este saiu vencedor após decisão dividida dos jurados. Jorge Patino Macaco venceu Eric Reynolds na decisão dos jurados.

David Branch e Yushin Okami lutaram bravamente até o quarto round, mas o norte-americano disparou e conseguiu definir o duelo antes de ele ir para as mãos dos árbitros. Com um ground and pound potente, ele deixou o japonês indefeso, obrigando o árbitro central a interromper a peleja. Foi a quinta vitória do campeão dos médios dentro do WSOF, duas delas sobre os brasileiros Paulão Filho e Danilo Villefort.

Na outra disputa de cinturão, a brasileira Kalindra Faria até começou bem o duelo contra a campeã Jessica Aguilar. Maior, ela explorou bem a sua envergadura no início do combate e acertou os melhores golpes no primeiro round. Porém, a experiencia de Jessica falou mais alto. Melhor a cada round, ela conseguiu quedar a brasileira e dominar as ações por cima. No fim, vitória tranquila por decisão unânime.

Mas a noite não foi só tristeza para a Chute Boxe paulista. Líder da equipe, o experiente Jorge Patino Macaco, de 41 anos, fez três rounds de alto nível contra o resistente Eric Reynolds, 13 anos mais novo. Mais inteiro na maior parte do combate, Macaco montou diversas vezes e colocou para jogo o seu ground and pound pesado. Com cotoveladas precisas, ele abriu um corte no adversário que ficou todo ensaguentado, mas resistiu bem até o fim do terceiro round. Na decisão dos jurados, o brasileiro foi declarado vencedor de forma unânime.

Confira abaixo os resultados completos do evento:

WSOF 15
Flórida, Estados Unidos
Sábado, 15 de novembro de 2014

David Branch venceu Yushin Okami por nocaute técnico no 4R
Justin Gaethje venceu Melvin Guillard por decisão dividida dos jurados
Jessica Aguilar venceu Kalindra Faria por decisão unânime dos jurados
Jorge Patino Macaco venceu Eric Reynolds por decisão unânime dos jurados
Maurice Salmon venceu Javier Torres por nocaute técnico (interrupção médica) no 1R
Anderson Hutchinson venceu Troy Gerhart por decisão unânime dos jurados
Ryan Keenan finalizou Jose Cortes com um mata-leão no 3R
Tony Way finalizou Frederico Moncaio com uma guilhotina n 3R
Hector Ochoa venceu Robert Reed por decisão dividida dos jurados
Reggie Pena finalizou Joe Johnson com um mata-leão no 1R
Matt Frevola finalizou Josh Zuckerman com uma chave de braço no 1R

http://portaldovaletudo.uol.com.br/br/noticias/item/1588-wsof-15-jorge-patino-macaco-vence-e-kalindra-faria-%C3%A9-superada-por-jessica-aguilar.html

JON JONES REVELA QUEM ELE NÃO GOSTARIA DE ENFRENTAR.




Jon Jones foi uma das estrelas do superevento promovido pelo UFC nesta segunda-feira, em Las Vegas. E o futuro do campeão dos meio-pesados foi um dos assuntos. Questionado sobre superlutas e sobre uma possível subida de peso para os pesados, Jones revelou qual é o brasileiro que NUNCA aceitaria encarar e qual é o que enfrentaria “toda noite”.

Os nomes: Anderson Silva e Fabrício Werdum.

Quem Jones nunca enfrentaria é o primeiro. Segundo o norte-americano, o Spider é um dos únicos ídolos que tem no esporte e fazer uma luta com o brasileiro traria um desfecho triste de toda forma, vencendo ou perdendo.

“Eu me espelho muito nele. Eu não tenho muitas pessoas que admiro desta forma, tipo: ‘uau, como eu queria ser aquele cara’. Olhe o que ele já fez. Jordan, LeBron, Anderson, Kobe, eu os considero todos da mesma classe de atletas. Atletas com um calibre que não surge sempre. Eu não quero ser o cara a vencê-lo – mesmo que isso já tenha acontecido. Eu não gostaria de perder ou de vencer uma luta contra ele”, afirmou Jones, ao MMA Fighting.

“Eu tenho treinado com pesos pesados há anos. Eu sei como é, e acho que me daria bem. Muitos lutadores poderiam dar boas lutas ou poderiam me vencer. Tenho de manter as coisas reais, eu sou menor que eles”, afirmou Jon “Bones” Jones.

“Um cara como Werdum. Eu lutaria com ele todos os dias, o dia todo”, acrescentou o campeão. “Por que? Porque ele não é o maior dos caras. Acho que os que me dariam mais trabalho são os grandalhões. Não necessariamente os mais técnicos, mas os maiores. Os que você exigiriam muita energia para conseguir vencê-los, sabe?”.

Enquanto nada disso ocorre, Jones voltou a ficar frente a frente com Daniel Cormier, e desta vez sem brigas na encarada. Eles se enfrentam em 3 de janeiro, em Las Vegas.Jon Jones então explicou sua intenção sobre a ideia de subir para os pesados. Ele tem lutas contra Daniel Cormier e Alexander Gustafsson no horizonte. Para o lutador, vencer a ambos seria limpar a categoria, o que lhe permitiria alçar novos desafios, seja na forma de superlutas ou numa carreira como peso pesado.

É aí que surge o “desafio” a Werdum. Jones analisa como seria lutar contra caras maiores, e vê o novo campeão interino como um bom nome para um duelo.


“Eu tenho treinado com pesos pesados há anos. Eu sei como é, e acho que me daria bem. Muitos lutadores poderiam dar boas lutas ou poderiam me vencer. Tenho de manter as coisas reais, eu sou menor que eles”, afirmou Jon “Bones” Jones.

“Um cara como Werdum. Eu lutaria com ele todos os dias, o dia todo”, acrescentou o campeão. “Por que? Porque ele não é o maior dos caras. Acho que os que me dariam mais trabalho são os grandalhões. Não necessariamente os mais técnicos, mas os maiores. Os que você exigiriam muita energia para conseguir vencê-los, sabe?”.

Enquanto nada disso ocorre, Jones voltou a ficar frente a frente com Daniel Cormier, e desta vez sem brigas na encarada. Eles se enfrentam em 3 de janeiro, em Las Vegas.

Related Posts with Thumbnails