domingo, 31 de julho de 2011

SOUL FIGHT 3

O evento Soul Fight chega a sua terceira edição. O show de lutas casadas de Jiu-Jitsu será realizado no dia 11 de agosto, a partir das 19h, na Primeira Igreja Batista, em São José dos Campos, São Paulo. Quem quiser assistir ao evento, que é organizado por Márcio Keske, deve doar um quilo de alimento não perecível.
Tatame

TERCEIRA DERROTA CONSECUTIVA DE FEDOR...

Dan Henderson se tornou campeão em duas categorias no Pride e voltou ao topo do mundo até 93kg no Strikeforce aos 40 anos. Com fome de desafios, o norte-americano aceitou subir para os pesos pesados e enfrentar a lenda Fedor Emelianenko, e a luta atendeu às expectativas dos fãs.

Num começo avassalador, Fedor partiu com tudo e balançou Henderson, que respondeu com um duro golpe de esquerda. O russo balançou e andou para trás, levando mais alguns duros golpes na trocação. Henderson controlou a luta no clinche, apertando Fedor na grade, e a luta esquentou novamente no minuto final.

Emelianenko conseguiu escapar do clinche e avançou com tudo para cima de Dan, levando-o a knockdown. Quando parecia que o russo conseguiria nocautear o campeão dos meio-pesados, Henderson mostrou mais uma vez porque é um dos atletas mais duros da história – e que nunca foi nocauteado.

Numa reviravolta impressionante, Dan Henderson pegou as costas de Fedor Emelianenko e, com apenas um soco, nocauteou Fedor. O norte-americano seguiu com o castigo, eventualmente “acordando” Fedor com a sequência de socos, mas o arbítrio Herb Dean decidiu interromper a peleja.

Na entrevista após a luta, Henderson rasgou elogios a Fedor por sua carreira vitoriosa, e fez questão de manifestar seu desejo de vê-lo lutar novamente. O russo também falou, dizendo não concordar com a interrupção do árbitro, e esquivando sobre sua possível aposentadoria: “será o desejo de Deus”.

MIESHA TATE DÁ SHOW E FATURA O CINTURÃO

Uma das musas do MMA feminino nos Estados Unidos, a bela Miesha Tate é a nova campeã do Strikeforce. A norte-americana, que duelou com a duríssima Marloes Coenen na segunda luta principal da noite, precisou suar para vencer. No segundo round, Coenen quase finalizou com um triângulo de mão, mas Tate escapou e, na quarta etapa, encaixou o katagatami para vencer. Sua primeira defesa de título será contra Sarah Kauffman.

GESIAS FINALIZA, MAS VENCE POR PONTOS

Gesias Cavalcante sofreu com a falta de sorte nos últimos tempos, com lutas canceladas, adversários lesionados e calotes, mas venceu a primeira no Strikeforce. O peso leve, que duelou com Bobby Green, venceu na decisão dividida dos juízes, e o caminho até o fim não foi fácil. Além de dois rounds parelhos, Gesias encaixou o mata-leão no segundo assalto e o oponente deu os três tapinhas, mas o árbitro Herb Dean não viu. O replay mostrou claramente a desistência e o público vaiou, mas o triunfo brasileiro veio no final.

PAMPLONA SOFRE NOCAUTE RELÂMPAGO

Eduardo Pamplona estreou no Strikeforce com um rápido nocaute, mas seu retorno à jaula, um mês depois, terminou ainda mais depressa. Seu adversário, Tyler Stinson começou avassalador na luta, acertando uma combinação que balançou o brasileiro. Logo em seguida, o gringo acertou um poderoso golpe de direita que derrubou Pamplona, já nocauteado. Fim da luta, passados apenas 15 segundos.

RESULTADOS COMPLETOS:

Strikeforce
Illinois, Estados Unidos
Sábado, 30 de julho de 2011

Card principal:
- Dan Henderson nocauteou Fedor Emelianenko a 4min12s do 1R:
- Miesha Tate finalizou Marloes Coenen com um katagatami a 3min03s do 4R;
- Tim Kennedy derrotou Robbie Lawler na decisão unânime dos juízes;
- Tyron Woodley derrotou Paul Daley na decisão unânime dos juízes;
- Tarec Saffiedine derrotou Scott Smith na decisão unânime dos juízes;

Card preliminar:
- Gesias Cavalcante derrotou Bobby Green na decisão dividida dos juízes;
- Tyler Stinson nocauteou Eduardo Pamplona a 15s do 1R;
- Alexis Davis derrotou Julie Kedzie na decisão unânime dos juízes;
- Derek Brunson finalizou Lumumba Sayers com um mata-leão a 4min33s do 1R;
- Gabriel Salinas-Jones finalizou Bryan Humes com um triângulo de mão a 1min19s do 3R. 

Tatame

sexta-feira, 29 de julho de 2011

UNIÃO CULINÁRIA AFASTA ENTRADA DO UFC EM NOVA YORK

A última barreira do UFC dentro dos Estados Unidos está em Nova York. Há anos, os donos da franquia tentam legalizar o MMA por lá para chegar à maior cidade norte-americana. Mas de acordo com o presidente Dana White, o principal obstáculo da entidade não está na Assembleia Legislativa e sim na União Culinária, um sindicato local, que impede a entrada do torneio no Estado.
“Não tem nada a ver com as Artes Marciais Mistas (MMA). É a União Culinária que está nos afastando de Nova York. Eles são caras poderosos por aqui”, afirmou Dana White em entrevista à rádio CBS.
 
Segundo o empresário, a União Culinária barra o MMA devido aos outros negócios ligados à Zuffa - empresa que controla o UFC. Além de comandar o torneio, ela está envolvida em uma cadeia de cassinos e é uma das maiores empresas não sindicalizadas dos Estados Unidos.
É aí que está o problema, de acordo com Dana White. A União Culinária tenta sindicalizar a cadeia de cassinos há anos, de maneira frustrada. E é por isso que a entidade teria atuado nos bastidores para impedir a legalização do MMA em Nova York. A União conta com mais de 60 mil membros e faz pressão para que o esporte continue ilegal no Estado.
No mês passado, o UFC sofreu mais uma derrota ao tentar sancionar a lei que aprova o vale-tudo no local. O projeto já havia sido aprovado pelo Senado, mas a Assembleia do Estado vetou a lei apoiada pela decisão de seu presidente Sheldon Silver, acusado de ser influenciado pela União Culinária.
“A União está gastando milhões das taxas dos trabalhadores para nos manter fora de lá. Só porque meus parceiros [irmãos Fertitta, donos da Zuffa] têm a maior empresa de jogos não sindicalizada dos Estados Unidos. É bom que os trabalhadores que contribuem saibam onde os idiotas do sindicato estão gastando seu dinheiro: na luta contra o UFC”, completou Dana White.
Enquanto isso, a União Culinária mantém o silêncio e se recusa a comentar a possível influência na batalha contra a legalização do MMA no Estado. Apesar disso, a entidade realiza uma série de doações abertas para campanhas de deputados como Bob Reilly, maior crítico da entrada do esporte em Nova York, segundo informações do site MMA Fighting.

LUTADOR DO UFC VAI AO CONGO COMBATER CANIBALISMOEM TRIBO PIGMÉIA


A próxima luta de Justin Wren não será no octógono contra um gigante lutador de MMA. O ex-pesado do UFC se afastará do passado de socos e pontapés por um combate mais nobre, no meio da selva africana. O atleta, que também é missionário religioso, viajará ao Congo na próxima semana para defender uma tribo de pigmeus de abusos como estupros, assassinatos e até canibalismo.
Justin Wren faz parte de um grupo cristão do Colorado chamado “Unusual Soldiers” (Soldados Incomuns), que viaja o mundo auxiliando minorias oprimidas.
Foto: UFC
Justin Wren planeja lutar ainda em 2011

Este é o caso da aldeia, sem nome citado, que será defendida por Wren. Segundo o peso pesado, a tribo tem sido alvo de uma série de ataques de grupos rebeldes em meio à guerra civil no país e corre o risco de ser dizimada.
“É uma tribo enfiada a 80 ou 90 quilômetros dentro da selva, que está cercada por cerca de 20 grupos diferentes de rebeldes. Eles podem ser o povo mais perseguido do planeta. Os rebeldes pensam que matar um pigmeu e comer sua carne dá poder sobre-humano para a batalha”, afirmou o lutador ao site MMA Junkie.
Justin Wren viajará ao lado de três companheiros e ficará acampado com a tribo por três semanas. Além auxiliar na proteção local, o atleta de 24 anos tentará melhorar a infraestrutura do lugar, procurando poços de água, por exemplo. Ele já fez outras missões humanitárias em países como Haiti e República Dominicana.
“Os pigmeus não têm esperança. Vamos tentar levar isso para eles, espiritualmente e fisicamente, quem sabe. Muitas pessoas sequer sabem que o canibalismo ainda existe. Mas parece até que os rebeldes racionam suas porções de pigmeus, pois não querem vê-los extintos”, completou o lutador, que entrou para o grupo cristão para se recuperar do vício das drogas.
Apesar da dura missão das próximas semanas, Justin Wren assegura que voltará ao MMA. Com um cartel de dez vitórias e duas derrotas, o ex-participante do reality show “The Ultimate Fighter” quer voltar a lutar ainda em 2011. “Assim que voltar da África, vou procurar minha próxima luta”.

Entenda o massacre dos pigmeus
Os pigmeus africanos - conhecidos pela baixa estatura - são uma etnia historicamente caçada e vítima de genocídios. Por anos, eles foram consumidos como se fossem animais, principalmente pelos bantos – outra etnia local.
Segundo uma lenda banta, o pigmeu encontrado sozinho na floresta precisa ser estuprado até a morte. Depois, precisa ter seu corpo retalhado e dividido entre os outros habitantes da aldeia. Na concepção de alguns povos banta, este ritual traz boa sorte e boa colheita à tribo.
Atualmente, os pigmeus são vítimas, principalmente, do Movimento de Libertação do Congo, que controla parte do norte do país.

FEDOR vs HENDERSON PALPITES...

Por Fernando Zanchetta, do Yahoo! Esportes
Fotos Josh Hedges

Muitos insistem em dizer que se o russo Fedor Emelianenko e o norte-americano Dan Henderson se enfrentassem há cerca de cinco anos, fatalmente o combate seria histórico.

Mas não se engane. O compromisso marcado entre a experiente dupla para o dia 30 (sábado), em Chicago (EUA), pelo Strikeforce, ainda tem elementos suficientes para torná-la mais que interessante. Confira abaixo alguns que podem fazer a diferença:

Davi x Golias?

Em termos gerais, a maior curiosidade é saber se a diferença de peso vai se traduzir em vantagem ou desvantagem para o desafio deste nível. Henderson será o lutador menor na arena, terá de enfrentar um peso pesado típico e que sempre atuou por esta categoria.

Contra Fedor, o norte-americano sabe que precisará de muitos atalhos para se dar bem, com base na movimentação constante, no ajuste perfeito de clinches e posições no chão. Se for mais prudente, Hendo não deve lutar para nocautear. Mas quem disse que MMA é só prudência?

Não dá para esperar mudanças significativas no estilo de Fedor. O próprio revelou que realiza o mesmo camp de treinamentos há anos e que os fãs podem esperar é a agressividade característica dentro do “mais do mesmo” sempre em busca do nocaute. Tecnicamente, o russo tem velocidade superior à grande maioria dos outros pesados. Este fator pode ser explorado como prioridade frente a um oponente originalmente mais leve.

Respaldo mútuo

A reputação adquirida em mais de uma década no MMA é invejável em ambos os lados. Fedor marcou época no Pride, onde foi unanimidade e atuou em combates históricos contra os maiores nomes da época. Com isso, conseguiu base sólida de fãs e seguidores radicais que o acompanham até hoje.

Henderson vive de ultrapassar marcas. Na carreira como wrestler, representou os Estados Unidos nas Olimpíadas de Barcelona (1992) e Atlanta (1996). Após a incursão no MMA, atuou com sucesso em três faixas de peso diferentes (médios, meio-pesados e pesados). Faturou títulos do UFC, Pride e do Strikeforce, onde atualmente detém o cinturão da categoria meio-pesado.

Estilisticamente

O fundamento básico do soco é levado com extrema seriedade pela dupla. Fedor usa e abusa de cruzados e diretos demolidores. Tradicionalmente, seu grande trunfo sempre foi subjugar adversários de forma intensa.

Na época do Pride, o atleta era o atleta mais difícil de ter o ritmo quebrado. Boa parte das vitórias foram conquistadas com o misto único de truculência e técnica. Nas últimas atuações (duas derrotas), a coisa não foi bem assim. Como será agora?

Henderson tem as famosas “H-Bombs” sempre afiadas. O forte golpe de direita se desenvolve tanto em swing (cruzado mais aberto) ou direto que dispara com o tronco inclinado e até hoje é capaz de surpreender até os mais experientes.

O lutador também tem ótimo rendimento no ground and pound, onde consegue manter a estabilidade de ataques e vantagens como poucos. Vai ser assim também com Fedor?

Antagonismos

Potencialmente, o combate pode selar o destino de Fedor. Na era pós-Pride, o lutador ficou marcado pela carreira inconstante e repleta de imbróglios administrativos que o impediram de seguir em evolução. Os empresários chegaram a recusar combate contra Brock Lesnar no UFC, pela bagatela de US$ 5 milhões, em 2009. Estagnado com a demora para competir e valorizado demais em organizações de médio porte, Fedor já revelou que a parte mais difícil dos treinos e arrumar motivação suficiente para continuar no mercado dos esportes de combate.

Para Hendo, será puramente o desafio “maior x menor”. Neste sentido, a luta tem duplo significado para o incansável norte-americano. Se vencer Emelianenko, carimba o sonoro nome do russo no cartel: terá derrotado oponente bem maior e mais novo. Se perder, tem argumento para justificar que não suportou a pressão de um adversário de maior porte.

PALPITE: Opinar sobre este combate é grande “sinuca de bico” para qualquer um. A pressão provavelmente é mais intensa sobre Fedor. O norte-americano está embalado e teoricamente tem menos a perder, o que pode ser essencial para atuar melhor e mais tranquilo. Por isso, aposto que Henderson vence na decisão por pontos.
Tatame

quinta-feira, 28 de julho de 2011

ANDERSON SILVA DIZ "SIM" A HAMBÚRGUERES


A cada dia que passa Ronaldo mostra que sua vida como empresário tem tudo para ser tão bem sucedida quanto foi nos campos de futebol.
Prova disso foi o anúncio feito nesta quarta-feira (27) de que o craque do octógono Anderson Silva, o primeiro agenciado da 9ine, assinou com a rede de fast food Burguer King.

Com o novo patrocínio, o Spider engorda ainda mais sua conta bancária que, atualmente, corresponde ao segundo maior orçamento do UFC, de acordo com o chefão do evento Dana White.

Fica a torcida para que o lutador não se empolgue com os hambúrgueres e mantenha a forma para seu próximo desafio, quando encara Yushin Okami no UFC Rio, no dia 27 de agosto.

R7

ALISTAIR OVEREEM LUTA EM NOVEMBRO SAIBA MAIS...

Alistair Overeem está fora do GP do Strikeforce, mas não ficará longe dos ringues por muito tempo. O holandês, que decidiu deixar o torneio por não concordar com a data estipulada para sua luta contra Antônio Pezão (10 de setembro), pois não teria tempo de recuperar uma lesão no dedo do pé, está escalado para lutar no United Glory, evento que acontece em outubro em Moscou, na Rússia. A organização ainda não divulgou mais detalhes do evento, bem como adversário e data específica, mas o nome de Overeem, bem como de Sergei Kharitonov, outro semifinalista do GP do Strikeforce, são destaque no pôster do show. Fique ligado para saber mais novidades.
Tatame

ENTENDA A ARTE DE SE VENDER DENTRO DAS PÔLEMCIA DO UFC.

Os brasileiros que passaram a acompanhar o MMA em 2011 enxergam em Chael Sonnen uma espécie de anti-herói. Aquele que, por mais idiota que possa parecer (ou ser), consegue prender a atenção até mesmo de quem não vai com a sua cara.

Não é novidade que lutadores com esse perfil são aqueles que vendem mais pay-per-views e, por consequência, ficam com mais “moral” com os organizadores do evento. Mas, engana-se quem vê no comportamento do polêmico lutador americano um exemplo de sinceridade, ou o contrário, de ausência de caráter.

Essa postura, imortalizada pelo lendário Muhammad Ali, se popularizou no boxe na década 70 e ajudou a alavancar o esporte a níveis nunca antes imaginados, e nada mais justo que o MMA, esporte em franca ascensão no mundo, se aproprie desse artifício.

Quem se identifica com as fanfarronices de um lutador polêmico não perde seus combates, e quem repudia suas atitudes torce como nunca por um insucesso futuro.

Nessa batida, créditos para o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) Tito Ortiz, que introduziu a “hemorragia verbal” antes de seus combates no UFC, no final da década de 90. Provocador, o ainda jovem não demonstrava respeito nem mesmo por lendários atletas como Ken Shamrock (ex-rival de Royce Gracie no início do UFC).

Certa vez, ao vencer dois de seus alunos seguidamente, Tito Mostrou um belo dedo do meio ao rival, provocando a ira repentina do veterano, o que quase culminou em pancadaria ao melhor estilo briga de rua.

Cada um com seu estilo
Nos dias de hoje, muitos atletas dão continuidade a essa marca. O campeão dos pesos-médios (84 kg) Anderson Silva, por exemplo, chama atenção pela marra e desdém endereçados aos rivais.

A máscara usada na encarada diante de Vitor Belfort, as provocações durante a luta contra Demian Maia ou os sorrisos irônicos antes de enfrentar Chael Sonnen fazem parte de uma fórmula não definida, mas que garante retorno junto aos fãs.

Por sua vez, o jovem campeão dos meio-pesados (93 kg) Jon Jones tem seu próprio estilo. Ele, por exemplo, não olha para o rival na já consagrada encarada antes do confronto. E também adora frases de efeito como quando declarou dar autógrafos como campeão, antes mesmo de enfrentar Maurício Shogun em março.

O ex-campeão do Pride Wanderlei Silva também usou de certos métodos para aumentar sua popularidade. No Japão, era comum ver o brasileiro entrando no ringue para empurrar rivais, desafiá-los para briga ou para encará-los tão profundamente que deixava a torcida em êxtase.

Para não estender demais essa lista, podemos apenas citar nomes como Thiago Silva, Quinton Jackson, Renato “Babalu”, Josh Barnett, Alistair Overeem e Rashad Evans.

Rashad que, aliás, encara o “mestre” Tito Ortiz no próximo dia 6, no UFC 133, na Filadélfia, em luta que, com menos de um mês de confirmação, já ganhou destaque pelas trocas de ofensas públicas entre os atletas. “Elogios” esses que arrancaram uma curiosa análise de Ortiz em recente entrevista ao site da ESPN americana.

- Eu inventei esse papel do falador de besteiras no UFC, fui o primeiro cara a fazer isso. Falei uma tonelada de besteiras sobre um monte de caras para chamar a atenção e estabelecer meu nome. Rashad está tomando conta desse papel, mas não acho que ele banque o que ele fala, assim como eu faço.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

INGRESSOS VENDIDOS EM 12 MINUTOS

A organização do UFC decidiu tirar dois dos seis telões da HSBC Arena, e a mudança liberou uma carga extra de mais de mil ingressos, postos à venda na noite de ontem. E sem surpresas, todas as entradas para o UFC Rio, evento que acontece no dia 27 de agosto, foram vendidas rapidamente.

Sem tantos problemas no site Ingresso.com, que não suportou a intensa procura no primeiro dia de vendas, os ingressos se esgotaram em apenas 12 minutos.

Segundo divulgou a assessoria do UFC no Brasil, os portões da arena estarão abertos ao público a partir das 18h, sendo que o evento terá início às 20h com a primeira luta do card preliminar.

CARD COMPLETO (sujeito a modificações):

UFC 134: Rio
HSBC Arena, Rio de Janeiro, Brasil
Sábado, 27 de agosto de 2011

Card completo:
- Anderson Silva enfrentará Yushin Okami;
- Forrest Griffin enfrentará Mauricio Shogun;
- Rodrigo Minotauro enfrentará Brendan Schaub;
- Edson Barboza enfrentará Ross Pearson;
- Luiz Cané enfrentará Stanislav Nedkov;

Card preliminar:
- Spencer Fisher enfrentará Thiago Tavares;
- David Mitchell enfrentará Paulo Thiago;
- Erick Silva enfrentará Mike Swick;
- Dan Miller enfrentará Rousimar Toquinho;
- Felipe Sertanejo enfrentará Iuri Marajó;
- Yves Jabouin enfrentará Ian Loveland;
- Raphael Assunção enfrentará Johnny Eduardo.
Tatame

GSP "LUTA DO SÉCULO É EU CONTRA ANDERSON SILVA"

E não é que a novela continua? Depois de muitas informações desencontradas, o campeão dos meio-médios (77 kg), Georges St. Pierre, voltou a comentar sobre a considerada “luta do século” entre ele e o brasileiro Anderson Silva.

Em entrevista ao site LA Times, St. Pierre afirmou que, apesar de ver o embate com bons olhos, o problema da diferença de tamanho ainda é seu maior pesadelo.

- Não quero ganhar muito peso e, na hora de voltar [para os meio-médios], ver isso prejudicar minha carreira. Estou tentando aprender com erros de outros atletas.

Caso os lutadores realmente se enfrentem, o duelo colocaria frente a frente os dois campeões mais dominantes da história do evento. Mas, para isso, o canadense não toparia subir para os pesos-médios (84 kg).

- Silva pesa cerca de 100 kg quando está sem lutar, e eu não passo de 86 kg nessas condições. A questão é: “a luta seria fora dos padrões, com peso intermediário?”.

Mas, antes disso, St. Pierre encara o americano Nick Diaz, em duelo programado para outubro, no UFC 137, quando parece já contar com o triunfo como certo.

- Depois da luta com Diaz, precisarei reconsiderar minha carreira, sentar e conversar com todos da minha equipe.

Aos 30 anos, o canadense acumula 22 vitórias, sendo nove seguidas, e apenas dois insucessos contra oponentes que também já bateu.

terça-feira, 26 de julho de 2011

GRANDALHÃO DE 2,11 ENFRENTA "BAIXINHO" DE 1,80 NO UFC NOS EUA.

O UFC anunciou nesta terça-feira a quinta luta do UFC Live 6, que acontece em 1º de outubro em Washington, EUA. O peso pesado Stefan Struve vai enfrentar Pat Barry em um duelo de "Davi vs. Golias". Struve é o lutador mais alto da categoria pesado, enquanto Barry é o mais baixo.
Apelidado de "Skyscraper" ("Arranha-céu" em português), Struve tem 2,11m de altura. Barry, por sua vez, tem apenas 1,80m. Ambos buscam recuperação após derrotas por nocaute. Struve foi nocauteado por Travis Browne no UFC 130, em 28 de maio. Já Barry perdeu para Cheick Kongo no UFC Live 4, em 26 de junho, na luta amplamente considerada como "virada do ano" - Barry derrubou o oponente duas vezes, que se levantou em ambas as ocasiões e surpreendeu ao nocauteá-lo, ainda no primeiro round.
O holandês Struve, de 23 anos, tem treinamento em jiu-jitsu, kickboxing e muay thai e um cartel de 21 vitórias e cinco derrotas. Antes do nocaute sofrido contra Browne, ele vinha de cinco vitórias em seis lutas. Barry, por sua vez, tem 32 anos, mas um cartel de apenas seis triunfos e três derrotas no MMA - antes de entrar no circuito da modalidade, disputou campeonatos de kickboxing e sanshou.
O UFC Live 6 incluirá a primeira luta valendo cinturão transmitida ao vivo em rede aberta de televisão nos Estados Unidos, entre o campeão dos pesos galo, Dominick Cruz, e o desafiante Demetrious "Mighty Mouse" Johnson. Confira os combates confirmados para o card de Washington, D.C:
Dominick Cruz x Demetrious Johnson
Charlie Brenneman x Anthony Johnson
Pat Barry x Stefan Struve
Mac Danzig x Matt Wiman
Michael Johnson x Paul Sass
Globo

ORTIZ BATE SEU CARRO DE LUXO...

A bruxa está à solta no card do UFC 133, e Tito Ortiz, chamado às pressas para substituir o lesionado Phil Davis na luta principal da noite, contra Rashad Evans, por pouco não deixou o card.

Na tarde do último domingo (24), o ex-campeão do UFC deixava um restaurante na Califórnia, guiando seu Roll-Royce Phantom (avaliado em mais de meio milhão de reais nos Estados Unidos), quando se envolveu em um acidente com mais dois carros.

Pelo Twitter, Tito revelou que os danos na frente do seu carro não seria cobertos pelo seguro. “Vai sair do meu bolso. Uma m... Chorei um pouco porque é meu carro favorito, mas vai ficar novo em breve”, brincou.
Tatame

R.C DIZ "WANDERLEI SILVA AINDA TEM MUITO QUE QUAIMAR".

Rafael Cordeiro acompanhou a evolução de Wanderlei Silva em seus primeiros passos como lutador de MMA, e viveu momentos tristes ao lado do ex-campeão no UFC 132, quando o viu nocauteado por Chris Leben, em apenas 27 segundos. Em entrevista exclusiva à TATAME, porém, o líder da Kings MMA discorda de Dana White, e não acredita que este tenha sido o “fim da linha” para o veterano do Pride. “Ele estava preparado para uma guerra, mas o soco pegou e definiu a luta... É fácil falar de estratégia depois da luta, mas agora é olhar pra frente e pensar na próxima. Ele tem muita lenha para queimar”, aposta Cordeiro, que falou sobre a preparação de Wanderlei para a luta e como ele reagiu à derrota, comentou os treinos de Maurício Shogun para o UFC Rio e descartou uma possível pressão pela vitória, após as derrotas de Wand e Werdum.

O que saiu errado na luta do Wanderlei?

A falta de ritmo foi o principal responsável por isso. O Wanderlei, colocando uma sequência de lutas, já pega o ritmo novamente. O Wanderlei veio de contusões sérias, rendeu o máximo que conseguiu nos treinos, estava muito bem mesmo, mas foi consequência da luta. Foram dois atletas preparados, e aconteceu de entrar uma pedrada. Ele partiu para o ataque, é difícil analisar... Não teve luta. O Wanderlei acreditou que poderia definir a luta e foi pra dentro.

Vocês sentiram que ele estava “enferrujado” nos treinos?

Ele estava muito bem nos treinos com o Mark Muñoz, Vitor Vianna, Werdum... A gente estava com um bom suporte técnico. Ele estava preparado para uma guerra. Quem acha que o Wanderlei estava despreparado, está enganado. Ele estava preparado para uma guerra, mas o soco pegou e definiu a luta.

Qual era a estratégia?

Movimentar bastante, usar a característica dele de velocidade e explosão, aproveitar o momento de contragolpe e, com a movimentação de perna, definir a luta. Ele estava muito bem treinado, mas, infelizmente, o soco pegou. É fácil falar de estratégia depois da luta, mas agora é olhar pra frente e pensar na próxima. Ele tem muita lenha para queimar, é um excelente atleta, novo... Não tem desculpa.

Como o Wanderlei reagiu com as declarações do Dana White, dizendo que era o “fim da linha” para ele?

Ninguém falou isso diretamente para o Wanderlei, que ele não vai mais lutar. O Wanderlei está no Brasil, volta essa semana para os Estados Unidos, e já vem treinar. Ele já quer lutar de novo. Ele treinou a vida inteira e sofreu lesões como qualquer atleta, mas as lesões foram curadas. Ele está com o corpo muito bom, mais forte do que nunca. Ele é o Wanderlei, nunca vai desistir. Essa é a principal característica dele. E não tem porque desistir. Ele já atingiu tudo o que um atleta pode atingir e continua na ativa. Não falo como treinador, falo como um cara que o viu crescer. Ele tem todo potencial para ser campeão, é questão de ritmo de luta.

A próxima grande luta da equipe será do Shogun, no UFC Rio. Como está a preparação dele?

Ele está muito bem, treinando muito. As últimas vezes que lembro dele nesse ritmo foi quando ele fez aquela grande luta com o Rogério Minotouro. Era a mesma motivação que eu via no tatame. Ele está com a família aqui, com uma boa estrutura. Ele fica na casa dele e vai treinar, faz fisioterapia preventiva, fazendo uma preparação muito boa. Ele está se dedicando como nunca.

O que espera da revanche com o Forrest Griffin?

Espero uma grande luta, que o Shogun faça o que está fazendo aqui. Ele está fazendo preparação física três vezes por semana com o pessoal da Nike, que já trabalhou com o Anderson e o Minotauro, e está com o corpo pronto para a luta. Conseguimos prepará-lo com bastante tempo de antecedência. Ele está treinando a parte de Jiu-Jitsu com o Werdum e o João Assis, Muay Thai comigo, Wrestling com Mark Muñoz, e está com diversos sparrings de MMA e Muay Thai. O conjunto está bom, e a qualidade dos sparrings é muito boa. O trabalho está direcionado para um bom resultado. Vai ser uma grande luta.

A semana final de treinos será mesmo na Nova União? Como surgiu a ideia?

Tenho um bom relacionamento com o Dedé. O Shogun vai treinar 10 dias em Curitiba e, na semana da luta, vamos para o Rio de Janeiro para treinar na academia do Dedé, um cara que eu admiro bastante. Tenho muito respeito pela pessoa que ele é, pela qualidade técnica, e queremos pegar uma energia ali. Vai ser muito bom. Sou muito fã do José Aldo, um porradeiro. O Babalu está indo também para lá, e é um cara que está dando uma força tremenda, é um dos principais sparrings do Shogun. Está sendo muito bom. Para chegar nesse nível, tem que ter caras que puxem ele nos treinos.

O Babalu foi o primeiro cara a vencer o Shogun. Como foi esse reencontro?

Foi sensacional, são dois caras que se respeitam muito desde que lutaram. Sempre houve um grande respeito entre eles, e isso é importante para montar um grande time, a seriedade com que o Babalu encara isso. Muitas vezes, o Babalu deixou de dar aulas na academia dele para vir ajudar o Shogun. Isso é respeito, e isso não tem preço. O treino é de alto nível, o Babalu dá o sangue. Tenho certeza que o Forrest não vai fazer o que o Babalu faz no treino.

Existe uma pressão a mais nessa luta por causa das derrotas Wanderlei e Werdum?

Encaro isso com naturalidade, pelo tamanho e proporção que o time está tomando. São as cobranças naturais que vêm de fora. Essa cobrança vem de fora, nunca de dentro. Os atletas que estão aqui confiam no nosso trabalho, na comissão técnica, e isso forma uma equipe forte. Resultados positivos e negativos vêm em qualquer equipe, cabe a você reverter isso. A equipe treina junto, mas ali dentro vira um esporte individual. Todo o trabalho que a equipe faz é para que ali dentro, no individual, faça a diferença.
Tatame

domingo, 24 de julho de 2011

DANOS NO CÉREBRO SÃO TEMAS DE ESTUDO NO MMA

Enquanto nos Estados Unidos jogadores de futebol da NFL levam a entidade a tribunal, tendo como causa o trauma cerebral, o UFC se vê envolvido em novos estudos, também sobre danos cerebrais.

Com a NFL, tudo se deve a um estudo iniciado em 1994 e concluído em 2004, no qual não havia evidências de agravamento de lesão com processo acumulativo. Ex-jogador de futebol americano, Mark Duper, juntamente com Otis Anderson e Rodney Hampton, contam com o apoio de Ann McKee, que realiza estudos e pesquisas sobre o tema.

Segundo o Las Vegas Journal, o UFC está tomando parte de um novo estudo longitudinal sobre trauma cerebral, durante um período de quatro anos, pela Cleveland Clinic Lou Ruvo (centro de saúde do cérebro).

Atletas de Boxe, MMA e KickBoxing, bem como atletas da NFL, NHL, entre outros, são submetidos a estudos que incluam não apenas a encefalopatia aguda crônica (CTE), pois existe a possibilidade da lesão cerebral ser reforçada pelo uso de esteróides e demais drogas para melhorar a performance.

Embora seja consenso que o MMA é mais seguro que o Boxe, o risco existe, pois o treinamento inclui modalidades mistas, como o Wrestling, Muay Thai e o próprio Boxe.

A doutora McKee comenta que, anos atrás, foi sugerido que a taxa de CTE é de vinte por cento em lutadores de Boxe, e ela acredita ser bem maior que isso e será bem maior em jogadores de futebol também.

Contudo, é preciso que mais lutadores participem dos estudos, pois a taxa é muito pequena para estudos conclusivos. Apenas 20 se inscreveram, enquanto os pesquisadores esperavam no mínimo 700. É preciso que os promotores de MMA façam uma campanha que incentive os lutadores a participar.

Existe muita discussão sobre isso nos EUA e sobre o que pode ser feito para o futuro, como a utilização de drogas, tais como Taxol, estimulantes como Ritalina, Bromocriptina e Modofanil. Mas vou deixar esta questão para os especialistas.

A NFL já está afixando nos vestiários cartazes enfatizando a gravidade dos abalos cerebrais.

O UFC pode adotar soluções simples, bem como o MMA em geral. Faz algum tempo que jornalistas norte-americanos pedem que Dana White adote o teste de impacto. Muito pode ser feito para impedir uma tragédia de alto perfil.

Tatame

sexta-feira, 22 de julho de 2011

MARCELO DOURADO - "OS TREINOS ESTÃO CADA VEZ PIOR"

Campeão do reality show Big Brother Brasil, o faixa-preta Marcelo Dourado está, pouco a pouco, retomando a rotina de lutador e treinador. E neste final de semana, ele vestirá o quimono novamente para disputar o Internacional de Máster e Sênior, no Rio de Janeiro.

“Estou em preparação para o Internacional... Depois de passar três anos longe de treinamentos fortes e competições, o retorno foi difícil, cansativo e dolorido... Pra falar a verdade, está cada dia pior (risos)”, conta Dourado, que também foca no retorno ao comando de aulas de Jiu-Jitsu. “Primeiro tenho que ter uma rotina fixa, sem viagens constantes e quebra de agenda, o que ainda é inviável”.

Enquanto não se organiza para dar aulas, Dourado ataca de promotor de eventos. Ao lado de Marcelo Nigue, o ex-BBB organizará um evento de lutas amadoras de MMA.

“Estou levando ao público, junto com o Marcelo Nigue, um evento onde mostraremos para o público como se inicia a carreira (ou deveria) no MMA. Um evento amador, com luvas mais macias, proteção para a cabeça, caneleiras, além das proteções habituais. O público vai entender ainda mais que o MMA é um esporte, com regras específicas e que presa pela segurança e carreira do atleta. Espero que minha experiência de 31 anos dedicados às artes marciais e o conhecimento na área me ajudem a realizar bem este projeto”.

Após a experiência na organização do evento, Dourado espera se dedicar mais às aulas de Jiu-Jitsu.

“O evento em Santos faz com que eu tenha disponibilidade de deslocamento quase que quinzenal, mas os planos são de voltar a dar aulas o mais rápido possível, pois é o que estudei a vida toda e tenho muito gosto em fazer..É quase uma responsabilidade que me foi transferida por meus mestres, não deixar esse conhecimento se acabar no meu turno. É necessário que estes ensinamentos possam ser desfrutados por outras pessoas, possibilitando uma transformação em suas vidas, tal como ocorreu na minha com estas práticas”.
Tatame

FEDOR "ESTOU ANCIOSO PARA LUTAR COM HENDERSON"

Apesar de vir de duas derrotas seguidas, Fedor não se diz pressionado. Como sempre demonstrando humildade, o russo elogia Dan Henderson e sabe que não encontrará moleza no octógono.

"Dan é um lutador muito forte, perigoso e muito explosivo. Ele é bom em pé e no chão. É completo. Ele é tão rápido que surpreende seus adversários. Não vejo a hora de lutar com ele. Como faço com todos os adversários, estou me preparando para uma batalha."

http://www.esporteevisao.blogspot.com/

RAMPEGE " NÃO CONHEÇO SONNEN"

Quinton Jackson é mais um lutador que não aguenta mais Chael Sonnen. Apesar de não ter sido atacado, "Rampage" afirmou ele não é normal e revelou que nao sabe quem é Sonnen:

"Há algo de errado com ele. Se Sonnen parar de falar mal dos outros e treinar mais, talvez ele poderia vencer algumas lutas. Eu realmente não sei quem é esse cara. Na verdade, eu nem sei como ele é."

FONTE:http://www.esporteevisao.blogspot.com/
DO BLOG: Vocês já percebema que o Sonegador de Impostos (Sonnen) quer se promover? esse cara é ridiculo fica falando para não ser esquecido. Assim idiota vc não vai a lugar nem um...

INSPIRADO NO UFC - TV RECORD APOSTA NO "LUTANDO PELO BOPE"

Se nos Estados Unidos o UFC promove o evento exclusivo para militares americanos chamado “Fight for the Troops”, no Rio de Janeiro o promotor do Shotoo Brasil André Pederneiras tocará o “Lutando pelo Bope”, com um público apenas de policiais.

Assim como o “Fight For The Troops” é promovido em parceria com um canal de televisão, “O Lutando pelo Bope” é parte de um reality show que ta sendo gravado pela TV Record. Na foto acima, o campeão peso pena do UFC José Aldo (agachado no centro com bermudas brancas) posa para as câmeras depois de rodar um episódio do reality.

André Pederneiras, que também é o comandante da respeitada equipe Nova União, está treinando 10 policiais do BOPE candidatos a lutadores. No inicio de agosto, escolherá dois para serem testados no evento “Lutando pelo Bope”, programado para o dia 25 de agosto, ou seja, dois dias antes do histórico UFC Rio. Tudo registrado pelas lentes da Record.

Seguem as lutas já confirmadas:
Glover Teixeira vs Marvin " the beast" Eastman (93 quilos)
Ronys Torres vs Akbarh Arreola (70,900 quilos)
Hacran dias vs Eddie Hoch (66 quilos)

Marvin Eastman tem passagem pelo UFC e Glover é um dos melhores meio-pesados do Brasil. Ronnys também lutou no Ultimate e Hacran representou o Brasil no torneio russo organizado pela M1 Global. Mais detalhes em breve.

siga o blog em: http://twitter.com/GugaNoblat

quinta-feira, 21 de julho de 2011

VITOR NA RETOMADA PELO CINTURÃO.

Vitor Belfort começa no próximo dia 6 de agosto, na Filadélfia, a retomada da caminhada para disputar o cinturão dos pesos médios do Ultimate. Depois de ser nocauteado pelo compatriota Anderson Silva no UFC 126, em luta válida pelo título da organização, O “Fenômeno”, como é conhecido, encara o japonês Yoshihiro Akiyama no UFC 133. Sem falsa modéstia, o brasileiro esbanja confiança e promete levar o atleta nipônico a lona.

“Eu vou para nocautear (Akiyama). Portanto, não deixe seu sofá e fique pronto”, disparou Vitor, em entrevista a versão americana do site oficial do UFC. Apesar do otimismo, Belfort reconhece as habilidades de seu adversário e garante que será um duro desafio.

“Akiyama é um cara que gosta de trocar, mas tem uma grande base de judô... Ele é um cara muito duro”, afirmou. “Quando você tem uma luva de quatro onças em suas mãos, a luta pode terminar a qualquer momento... Eu estou pronto para ele, é melhor ele estar pronto para mim", encerrou o brasileiro.

Fonte: SUPERLUTAS

ENTENDA PORQUE SONNEN (SONEGADOR DE IMPOSTOS) NOS ODEIA.

Ao ouvir as constantes provocações, que muitas vezes são ofensas gratuitas, do polêmico Chael Sonnen contra atletas brasileiros, é praticamente impossível não se perguntar: “Qual é a desse cara?” E a resposta deste questionamento é uma das metas do R7.

Sempre disposto a promover seus combates, o americano, sem pensar duas vezes, costuma disparar sua hemorragia verbal para todos os desafetos, mas quando se trata de nossos representantes, os insultos ganham volume e respingam nos amigos dos desafetos, e, até mesmo, em seus compatriotas.

Mas, afinal de contas, por que tanto ódio pelos atletas deste país sul-americano?

Pela nossa pesquisa, o excesso de surras sofrido para brasileiros nos últimos anos foi responsável por um enorme trauma na estrutura psicológica de Chael Sonnen. Para se ter uma ideia, em cinco duelos, foram quatro vitórias tupiniquins, todas por finalização.

A primeira delas, ainda quando Sonnen competia entre os meio-pesados (93 kg), foi contra o carioca Renato Babalu, no UFC 55, em 2005. Em vez de luta, a apresentação dos atletas pareceu uma aula, com o “professor” Babalu apresentando ao rival o triângulo, estrangulamento com as pernas (guardem o nome deste golpe).

Provando que não é um bom aluno, o ianque falastrão desceu de categoria e enfrentou Paulo Filho pelo cinturão dos médios (84 kg) do extinto evento WEC, em 2007. Apesar de dominar todo o combate, quando derrubou e golpeou o adversário no solo, acabou finalizado em um rápido momento de descuido (já viram este filme?).

Infelizmente, o próprio Paulão se tornou o único brasileiro vencido por Sonnen – na decisão dos jurados – ao aceitar a revanche no ano seguinte.

Com a moral lá em cima, o americano retornou ao UFC e, adivinhem, encarou outro representante brasileiro, o paulista Demian Maia, que não deu chance ao azar: derrubou e finalizou com um rápido triângulo, igual ao aplicado por Babalu.

E, já não bastasse tudo isso, soma-se o fato de que, na única oportunidade que teve de disputar o cinturão do UFC, o falastrão foi finalizado outra vez, por outro brasileiro, com um novo triângulo. Como muitos devem se lembrar, o embate foi contra Anderson Silva, realizado no UFC 117, em agosto de 2010.

Depois de tantos fatos, a pergunta muda de foco. Em vez de: “Qual é a deste cara?”, o certo seria: “Por que judiamos tanto dele?”.
MMA do R7
Os fãs de MMA em todo mundo foram pegos de surpresa, na última segunda-feira (18), quando o holandês Alistair Overeem foi retirado do torneio de pesos pesados do Strikeforce. O lutador foi afastado da disputa por se recusar a enfrentar o brasileiro Antônio Pezão no próximo dia 10 de setembro, já que, segundo declarações do atleta, ele teria pouco tempo de preparação para o combate. Atual campeão do evento e considerado como um dos favoritos no torneio, Overeem não escondeu sua decepção com a organização do show.

“Claro que estou desapontado. Vencer o torneio foi o meu objetivo neste ano. Eles tinham que entender minha posição. Estou bastante desapontado e não sei como lidar com isso”, disse Overeem, em entrevista ao site norte-americano MMA Fighting. O lutador ainda explicou porque foi retirado do GP e fez questão de encerrar com todos os rumores surgidos nos últimos dias.

“Eu não gosto de falar sobre as negociações de meu contrato, mas os rumores sobre minha saída do GP são todos falsos. Todo mundo está tentando encontrar razões pelas quais fui retirado do torneio, mas posso dizer não é tão difícil”, disse Alistair, que explicou a situação.  “O Strikeforce me prometeu uma data no outono (norte-americano, entre os meses de outubro e novembro), eu saí de férias e começaria meu treinamento em agosto. Mas depois decidiram mudar a data e fazer em setembro. Eu tive que recusar a luta porque sei que é um tempo muito curto de preparação, então decidiram que o show teria que continuar com um dos suplentes”, explicou Overeem, que acusa a ZUFFA, empresa dona do UFC e que comprou o Strikeforce em março, de alterar a data para não atrapalhar os interesses comerciais do Ultimate.

“Eu não tenho certeza, mas meu palpite é que, quando a ZUFFA assumiu o Strikeforce ela tinha outros interesses. Se você olhar para o mês de outubro, o UFC fará três eventos e dois deles são grandes e tem lutas por cinturão. Com isso, eles não vão querer que uma semifinal de GP do Strikeforce seja transmitido ao vivo pelo Showtime sem venda de PPV”, disparou o lutador holandês, que espera retornar aos combates no próprio Strikeforce, em outubro.

“Eu gosto de estar lutando, e como eu te disse, estarei pronto de acordo com a primeira data que concordamos com o Strikeforce, que é em outubro “, encerrou.
Portaldaslutas

SITUAÇÃO CONTRANGEDORA

Em recente vídeo publicado na internet, o ex-campeão peso-médio (84 kg) do UFC, Rich Franklin, aparece em uma situação, no mínimo, constrangedora.

Acompanhado de seu parceiro de treino Jorge Gurgel - que luta no Strikeforce, organização recentemente comprada pelo UFC - Franklin foi filmado, à luz de velas, em uma banheira de gelo, usada para recuperação muscular dos atletas.

O porquê da filmagem deste vídeo, ou de sua divulgação, ninguém faz ideia, mas que ficou estranho ver os dois com frio, juntinhos, e ainda tomando suquinho de suplementos juntos, ficou. E muito!

Já pensou se vira moda?

Vale lembrar que o americano encara o brasileiro Rogério Minotouro - que deve se preparar de uma forma mais discreta para a disputa - no UFC 133, no dia 6 de agosto, na Filadélfia, em duelo que vale uma sobrevida no evento, já que ambos perderam seus últimos confrontos.
Em recente vídeo publicado na internet, o ex-campeão peso-médio (84 kg) do UFC, Rich Franklin, aparece em uma situação, no mínimo, constrangedora.

Acompanhe a página de MMA do R7

Acompanhado de seu parceiro de treino Jorge Gurgel - que luta no Strikeforce, organização recentemente comprada pelo UFC - Franklin foi filmado, à luz de velas, em uma banheira de gelo, usada para recuperação muscular dos atletas.

O porquê da filmagem deste vídeo, ou de sua divulgação, ninguém faz ideia, mas que ficou estranho ver os dois com frio, juntinhos, e ainda tomando suquinho de suplementos juntos, ficou. E muito!

Já pensou se vira moda?

Vale lembrar que o americano encara o brasileiro Rogério Minotouro - que deve se preparar de uma forma mais discreta para a disputa - no UFC 133, no dia 6 de agosto, na Filadélfia, em duelo que vale uma sobrevida no evento, já que ambos perderam seus últimos confrontos.
Fonte http://esportes.r7.com/mais-esportes/noticias/ex-campeao-do-ufc-e-flagrado-a-luz-de-velas-na-banheira-com-brasileiro-seminu-20110712.html

quarta-feira, 20 de julho de 2011

MINOTAURO RECEBE REFOÇOS EM SEUS TREINOS PARA UFC RIO

Clinicamente recuperado de suas contusões no quadril e no joelho, conforme você pode ver na PVT Mag deste mês, Rodrigo Minotauro não para de receber reforços em seus treinamentos para enfrentar Brendan Schaub no UFC 134, que acontece no dia 27 de agosto, no Rio de Janeiro.

Além de nomes como Anderson Silva, Rafael Feijão, Ronaldo Jacaré e Erick Silva, Minota conta agora com feras como Pedro Rizzo, Antonio Pezão e Junior Cigano em seus treinos.

"O treino aqui sempre foi forte, temos turmas boas. A equipe está cada vez mais focada. O Pezão veio fazer parte de seu camp para a próxima luta aqui, assim como o Cigano. O Anderson está aqui também. E hoje tivemos ainda a ajuda do Pedro Rizzo, que veio nos passar algumas técnicas de Muay Thai. Graças a Deus, ele vai nos ajudar muito em nosso treinamento", disse Minotauro ao PVT.
Fonte: PVT

SONEGADOR DE IMPOSTOS JÁ FOI FINALIZADO 8 VEZES PELO JIU-JITSU.

Este blog tem noticiado as faláceas do ex-desafiante ao cinturão da categoria dos pesos médios do UFC e hoje, para confirmar a incompetência de Sonnen, relembra as finalizações aplicadas pelos faixas pretas brasileiros. Aprecie sem moderação.


Sonnen vs Renato Babalu, no UFC 55

Sonnen vs Paulo Filho, no WEC 31

Sonnen vs Demian Maia, no UFC 95

Sonnen vs Anderson Silva, no UFC 117
Chael Sonnen recentemente declarou não possuir deficiência no chão, apesar de já ter sido finalizado oito vezes ao longo de sua carreira de vinte e cinco lutas, onze derrotas e um empate.
“Lutei com quinze faixas pretas, bati doze deles e finalizei seis, então para dizer que tenho algum tipo de deficiência no chão não é verdade. Sei como sair de um triângulo, impedi cinco tentativas de triângulo naquela luta [com Anderson]. Agora, com isso dito, não estou tentando dizer que não trabalho isso. Treino de tudo e não há deficiência alguma” disse.
Demian Maia, um dos algozes do americano, mandou um recado que também serve como convite para lutador que conquistou inimizade tanto dos lutadores quanto dos torcedores brasileiros com suas declarações desrespeitosas e polêmicas.
“Eu sou Demian Maia, e meu recado pro Sonnen é o seguinte: ele falou que veio pro Brasil e ficou surpreso quando viu tinha computador aqui, que tinha Internet. Então eu acho que quando ele vier para o Brasil, ele não tem nem que se preocupar com qual tecnologia a gente aqui tem ou não, mas com certeza quando  ele vier aqui ao Brasil vai ter muita gente para ensinar para ele defesa de triângulo” disse ao UFCSemLimites.
BLOG: MANOAMANO

Do Blog: EAI SONEGADOR DE IMPOSTOS O QUE VC DIZ?

terça-feira, 19 de julho de 2011

JONES E RAMPEGE TROCAM FARPAS NA COLETIVA DE IMPRENSA

O UFC realizou, nesta quarta-feira (19), uma coletiva para divulgar a disputa de cinturão entre Jon Jones e Rampage Jackson, que acontece no dia 24 de setembro (UFC 135), e a conferência foi empolgante. Sempre brincalhão, Rampage garantiu que retomará seu título. Um pouco mais sério, Jones pediu para Dana White parar de chamá-lo de “garoto”. Confira o que foi falado na coletiva:

Campeão com apenas 23 anos, Jones afasta os rótulos pela idade. “Brock Lesnar talvez tenha sido o campeão menos inexperiente. Quando você bate alguém, você rouba um pouco do seu ‘poder’. Eu respeito o Rampage”, disse Jones. Imediatamente, um empolgado Jackson rebateu: “eu vou manter o meu ‘poder’... Na última vez em que eu estava tão confiante assim, nocauteei alguém no primeiro round e conquistei esse cinturão”.

Sem ter defendido seu título ao menos uma vez, o atual campeão dos meio-pesados disse que pensa em lutar nos pesos pesados. “Vai acontecer, talvez quando eu tiver 26 ou 27 anos”, disse, confiante em seu sucesso no MMA. “Apenas tento manter a fé de que poderei fazer algo incrível pelo esporte no futuro”.

Quanto ao duelo, “Bones” garante que não fugirá da trocação. “Rampage lutará com um boxeador. Se ele acha que estou com medo de lutar em pé com ele...”, disparou, rebatendo as declarações de Rampage, que disse estar negociando mais participações em filmes. “Ele sempre terá desculpas. Se eu vencê-lo, você dirá que eu venci o Rampage dos filmes, e não o Rampage do Pride”. Jackson respondeu: “Jones é que precisará de desculpas após essa luta”.

Rashad na fila. Ortiz, nem tanto

Segundo Dana White, Rashad Evans é o próximo na fila pelo cinturão caso vença a luta principal do UFC 133, contra Tito Ortiz, Mas, e se o “Bad Boy” vencer? “Não sei... Alguns dirão que ele está pronto, outros dirão que ele precisa de mais uma luta”, deixa no ar o cartola.

Rampage revelou que torcerá para Tito, enquanto Jones torcerá para Rashad. “Quero mostrar que não fugi dele”, explica o campeão, precisou cancelar sua luta contra Evans, seu ex-companheiro de equipe, devido a uma lesão na mão.

Quem é Chael Sonnen?

Sempre polêmico, Chael Sonnen dispara críticas e alfinetadas em todas as suas entrevistas. Igualmente polêmico e sincero, Quinton desmereceu o peso médio. “Se ele passasse na minha frente agora mesmo, eu não saberia quem ele é”, disse, ironizando a derrota de Chael para Anderson Silva, quando foi finalizado após 23 minutos de domínio. “Ele deveria treinar mais”.

Overeem fora do GP do Strikeforce

Assim como a TATAME publicou em primeira mão na noite de ontem (18), Alistair Overeem está fora do GP do Strikeforce. Na coletiva, Dana White minimizou a polêmica. “Overeem machucou o dedo do pé (na luta contra Werdum) e teve que sair. A Showtime (canal que transmite o Strikeforce) decidiu fazer o evento em setembro”, disse, garantindo que Overeem não será demitido. “Se eu ficasse chateado cada vez que alguém se machucasse, eu estaria ‘puto’ demais agora”.

Só na última semana, o card do UFC 133 (6 de agosto) mudou três vezes, com lesões de Phil Davis, Rogério Minotouro e Vladimir Matyushenko. Rich Franklin, que enfrentaria Minotouro, também foi tirado do card.
Related Posts with Thumbnails