quinta-feira, 31 de março de 2011

ROGÉRIO MINOTOURO TEVE O MAIOR SÁLARIO DO UFN - 24

Mesmo derrotado pelo norte-americano Phil Davis, o brasileiro Rogério “Minotouro” Nogueira teve o maior salário do UFC Fight Night 24, evento realizado no último sábado, em Seattle, nos Estados Unidos.

A Comissão Atlética do Estado de Washington, entidade que sancionou o show, divulgou as bolsas pagas aos lutadores, e Minotouro recebeu aproximadamente R$ 149 mil pela apresentação.

Além dos salários divulgados pela Comissão Atlética, quatro lutadores receberam um prêmio extra de R$ 91 mil oferecido pelo UFC: Johny Hendricks faturou o bônus pelo melhor nocaute da noite, Chan Sung Jung levou o prêmio pela finalização do evento e confronto entre os pesos galos Michael McDonald e Edwin Figueroa foi eleito o melhor combate do show.

Confira abaixo a lista completa das bolsas pagas aos atletas, com os valores convertidos aproximadamente em reais:

Card Principal

Phil Davis: R$ 56 mil (R$ 28 mil pela apresentação, R$ 28 mil de bônus pela vitória)
Rogério “Minotouro” Nogueira: R$ 149 mil
Phil Davis derrotou Rogério “Minotouro” Nogueira na decisão unânime dos juízes;

Anthony Johnson: R$ 66 mil (R$ 33 mil pela apresentação, R$ 33 mil de bônus pela vitória)
Dan Hardy: R$ 41,5 mil
Anthony Johnson derrotou Dan Hardy na decisão unânime dos juízes;

Chan Sung Jung: R$ 17 mil (R$ 8,5 mil pela apresentação, R$8,5 mil de bônus pela vitória)
Leonard Garcia: R$ 30 mil
Chan Sung Jung finalizou Leonard Garcia com uma chave no pescoço no R2;

Amir Sadollah: R$ 66 mil (R$ 33 mil pela apresentação, R$ 33 mil de bônus pela vitória)
DeMarques Johnson: R$ 23 mil
Amir Sadollah derrotou DaMarques Johnson por desistência no R2;

Card Preliminar

John Hathaway: R$ 43 mil (R$ 21,5 mil pela apresentação, R$21,5 mil de bônus pela vitória)
Kris McCray: R$ 17 mil
John Hathaway derrotou Kris McCray na decisão dividida dos juízes;

Mike Russow: R$ 46 mil (R$ 23 mil pela apresentação, R$ 23 mil de bônus pela vitória)
Jon Madsen: R$ 17 mil
Mike Russow derrotou Jon Madsen por nocaute técnico no R2;

Mackens Semerzier: R$ 20 mil (R$ 10 mil pela apresentação, R$ 10 mil de bônus pela vitória)
Alex Cáceres: R$ 13 mil
Mackens Semerzier finalizou Alex Cáceres com um mata-leão no R1;

Christian Morecraft: R$ 20 mil (R$ 10 mil pela apresentação, R$ 10 mil de bônus pela vitória)
Sean McCorkle: R$ 17 mil
Christian Morecraft finalizou Sean McCorkle com uma guilhotina no R3;

Michael McDonald: R$ 17 mil (R$ 8,5 mil pela apresentação, R$8,5 mil de bônus pela vitória)
Edwin Figueroa: R$ 10 mil
Michael McDonald derrotou Edwin Figueroa na decisão unânime dos juízes;

Aaron Simpson: R$ 50 mil (R$ 25 mil pela apresentação, R$ 25 mil de bônus pela vitória)
Mario Miranda: R$ 17 mil
Aaron Simpson derrotou Mário Miranda na decisão unânime dos juízes;

Johny Hendricks: R$ 43 mil (R$ 21, 5 mil pela apresentação, R$ 21,5 mil de bônus pela vitória)
T.J. Waldburger: R$ 13 mil
Johny Hendricks derrotou T.J. Waldburger por nocaute técnico no R3;

Nik Lentz: R$ 50 mil (R$ 25 mil pela apresentação, R$ 25 mil de bônus pela vitória)
Waylon Lowe: R$ 20 mil
Nik Lentz finalizou Waylon Lowe com uma guilhotina no R3;

Portaldaslutas

BROCK LESNAR: "CIGANO NÃO VAI ME PARAR"

Adepto do "trash-talking", Brock Lesnar não fugiu da polêmica nesta terça-feira, quando foi ao programa "ESPN First Take" falar sobre sua estreia como treinador no The Ultimate Fighter. O ex-campeão dos pesos pesados do UFC, que tem Junior Cigano como seu rival de corner no programa, foi curto e grosso ao dizer que o brasileiro não é capaz de vencê-lo no dia 11 de junho, em Vancouver, Canadá. Quem ganhar desafia o cinturão de Cain Velasquez, assim que o atual campeão se recuperar de lesão no ombro.

"Não tivemos muito contato (durante as gravações). O time dele treinava em horários diferentes dos meus, mas pude vê-lo do outro lado do octagon durante as lutas e tive um aumento de confiança. Pude ver em Junior que ele não é o cara que vai me parar. Ele é um bom rapaz, respeitável, não tenho nada contra ele, mas está no meu caminho para voltar a disputar o título. E isso é negócio para mim", disparou Lesnar.

Os dois principais desafiantes de Velasquez vivem momentos opostos na carreira. Cigano deixou o status de promessa e se consolidou no UFC com uma sequência avassaladora e invicta de seis vitórias, sendo quatro nocautes, incluindo Fabricio Werdum e Stefan Struve, uma desistência após socos de Cro Cop, e um triunfo por decisão dos árbitros sobre Roy Nelson. Já Brock Lesnar foi massacrado por Cain Velasquez, perdeu seu cinturão dos pesados no ano passado, e busca vencer para não ser visto apenas como uma montanha de músculos, produto de PPV do evento, da forma como muitos especialistas o classificam.

Fonte: PVT

ANDERSON SILVA É ETERNIZADO PELA SETIMA ARTE

Campeão peso médio do UFC e invicto a quase cinco anos, Anderson Silva será eternizado pela sétima arte. Dirigido por Pablo Croce, o documentário “Like Water”, de 74 minutos, mostra toda a preparação do campeão para a histórica defesa de cinturão contra Chael Sonnen, que aconteceu no UFC 117. A estreia do filme, que também mostra o ser humano por trás do campeão, está prevista para o dia 21 de abril, no festival Tribeca/ESPN Sports Film Festival, que acontece em Nova Iorque, nos Estados Unidos.
Tatame

THIAGO SILVA CONFESSA QUE FRAUDOU O EXAME ANTIDOPING

 
Depois que a Comissão Atlética de Nevada revelou que o empolgante striker brasileiro, Thiago Silva, após a luta contra o ex-top contender dos pesados do UFC, o americano Brandon Vera, no UFC 125, no dia 01 de janeiro, apresentou uma amostra de urina não-humana para o teste, o lutador brasileiro veio a publico assumir a culpa no incidente.

Em um comunicado entregue ao site americano MMAJunkie, Silva disse:

“Todos os dias, tomamos decisões em nossas vidas. Algumas são boas, e algumas são ruins. Quando você toma uma decisão ruim, pode piorar a situação, tentando encobri-la, ou mentir sobre isso, ou apenas enfiar a cabeça na areia e se recusar a reconhecê-la. Ou você pode ter uma atitude de dar uma explicação honesta, aceitar as conseqüências de suas ações, pedir desculpas às pessoas afetadas por ela, aprender com ela e seguir em frente. Eu estou escolhendo a segunda opção.”

“Eu usei um adulterante de urina quando entreguei a minha amostra na minha luta com Brandon Vera. Fiz isso na tentativa de alterar os resultados do teste e conscientemente violei as regras da Comissão Atlética de Nevada. Esta foi uma decisão terrível de minha parte e eu vou ser punido. Estou preparado para aceitar esta punição, aprender com ela e seguir em frente. Peço desculpas à comissão, ao UFC, Brandon Vera, e aos fãs de MMA.”

De acordo com a Comissão Atlética de Nevada, a amostra de urina de Thiago Silva, após o UFC 125, produziu um resultado nulo, que é incompatível com urina humana. Após primeiro teste, foi marcada uma segunda amostra, a amostra foi testada pela Sports Medicine Research & Testing Laboratory, que é credenciado pela Agencia Mundial Anti-Doping, e o resultado foi o mesmo.

Ainda por meio do comunicado entregue ao site americano, Silva disse que não quer dar uma desculpa para seu comportamento, mas sim uma satisfação sobre as suas decisões, explicando que ele tentou mascarar os resultados do exame devido a um medicamento proibido utilizado para “inibir” uma lesão pré-existente que o ameaçava ter que se retirar da luta contra Vera.

“Eu quero explicar as circunstâncias que me levaram a tomar essas ações. Por favor, não interpretem isso como uma tentativa de justificar as minhas ações. Eu sei que elas estavam erradas, e eu sei que tomei as decisões ruins, e eu sei que mereço ser punido. É por isso que eu comecei a minha declaração admitindo a fraude e pedindo desculpas, antes de entrar nesses detalhes. Esta não é uma desculpa, é apenas uma explicação.”

“Enquanto eu me preparava para a luta contra Brandon Vera, eu fui testado anteriormente em cinco ocasiões. Foram quatro dos testes de urina, e uma amostra de sangue, assim como em New Jersey, um dia antes da luta. Passei por cada um desses testes. Sofri uma lesão grave nas costas, antes da luta contra Rashad Evans. Era a maior luta da minha carreira, e eu não queria de maneira nenhuma desistir dessa luta. Eu lutei e perdi, e fui forçado há ficar um ano sem lutar para me recuperar da lesão e ficar bom para lutar novamente.”

“Eu lesionei as minhas costas 45 dias antes da luta contra Brandon Vera. Depois de ficar sem lutar por um ano, tomei a decisão de não desistir da luta. Eu também decidi que a única maneira que eu poderia lutar, era tomar injeções nas minhas costas e na minha espinha, injeções que continham substâncias proibidas pela Comissão Atlética de Nevada. Eu também tomei a decisão de usar um produto para esconder a presença destas substâncias em um teste de urina.”

O lutador também disse que agiu sem o conhecimento dos seus companheiros de equipe e da gestão da sua equipe, a American Top Team.

“Estas decisões foram minha e só minha. Eu não compartilhei esta informação com ninguém, com medo de que eu não teria permissão para lutar. Eu, obviamente, tomei uma decisão terrível.”

“Novamente, eu assumo a total responsabilidade sobre a decisão de quebrar as regras e tentar enganar o sistema. Vou aceitar a punição que eu receber e vou aprender com isso. Pretendo voltar melhor como pessoa e como profissional.”

Thiago Silva foi definido para enfrentar o ex-campeão do meio-pesados do UFC, o americano Quinton “Rampage”Jackson, em maio, porém Silva foi substituído pelo americano Matt Hamill, e muito provavelmente o brasileiro será cortado do plantel de lutadores do UFC.

Fonte: MMA By Néko

terça-feira, 29 de março de 2011

ATLETAS DE JUDÔ, BOXE TAEKWONDO E LUTA OLIMPICA RECEBERÃO ATÉ 15 MIL REAIS

Projetado para contemplar atletas de elite com reais condições de disputar finais, títulos e medalhas, a bolsa Atleta Pódio atenderá esportistas que estejam nas primeiras 20 posições do ranking mundial em modalidades individuais do programa dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, tais como atletas de Judô, Boxe, Taekwondo e Luta Olímpica.

Os benefícios, que podem chegar até R$ 15 mil, serão válidos por quatro anos ou enquanto o atleta permanecer bem posicionado no ranking. A Lei nº 12.395, que criou novas ações para reforçar o apoio aos atletas brasileiros, entre elas a bolsa Atleta Pódio, foi publicada no Diário Oficial da União de 17 de março.

A intenção é evitar interrupções no treinamento e na participação em competições, seja pelo encerramento de um patrocínio ou por falta de recursos do clube ou da confederação. Em contrapartida, o programa passa a exigir que parte dos recursos seja investida na formação educacional do atleta, inclusive preparando-o para o período pós-carreira esportiva.

Para que o atleta aperfeiçoe seu desempenho de forma a atingir um patamar acima em sua preparação, haverá suporte à estrutura que ele necessita para ter estabilidade no treinamento.

O programa permitirá contratação de técnico e/ou de equipe de profissionais (fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, entre outros), ajudará na aquisição de materiais e equipamentos de primeira linha para treinamento e garantirá apoio a intercâmbio internacional para a participação do atleta nas principais competições.

Ações - Novas ações para reforçar o apoio aos atletas brasileiros foram publicadas no Diário Oficial da União de 17 de março. Entre as medidas da Lei nº 12.395, está a alteração da Lei da Bolsa Atleta, definindo as categorias e seus respectivos benefícios financeiros.

A Lei cria duas novas categorias para o programa Bolsa Atleta: a Atleta Pódio e a Atleta Base. A primeira é dirigida para atletas de elite com reais condições de disputar medalhas. A segunda foi idealizada para esportistas com destaque em categorias iniciantes de todas as modalidades.

A nova legislação vai beneficiar atletas de alto rendimento, como o saltador Hugo Parisi. O atleta foi por duas vezes vice-campeão mundial e diversas vezes campeão sul-americano e brasileiro nos saltos ornamentais. O saltador vai buscar o índice de classificação para sua terceira olimpíada.

Apesar dessa nova perspectiva, promissora para o saltador, que se encontra entre os 15 melhores no mundo em sua categoria, Parisi não se desfaz do apoio financeiro que recebe desde 2005. “Se eu não contasse com o Bolsa-Atleta, teria que trabalhar em outra área e não me dedicaria ao esporte”, afirma.


Fonte: http://www.esporte.gov.br

BAHIA PODE GANHAR CT DE BOXE, DIZ JORNAL

Patrocinadora do boxe brasileiro, a Petrobras pode construir o mais moderno centro de treinamento do esporte no país, de olho nos Jogos Olímpicos de 2016. Segundo o colunista Ancelmo Gois, do jornal “O Globo”, o CT será erguido em Cruz das Almas, na Bahia. “A estatal descobriu que boa parte da equipe nacional de boxe nasceu na cidade baiana”, publicou Ancelmo ontem.

Cruz das Almas fica a 146 quilômetros da capital Salvador, e a 375 quilômetros de Vitória da Conquista, terra dos irmãos Nogueira.
Meiaguarda

segunda-feira, 28 de março de 2011

SITE DE ESPORTE CRITICA A RELAÇÃO DO JIU JITSU COM A MORTE DE SEGURANÇA.

Indignados com a associação do esporte jiu-jitsu com a maneira com que um lutador matou um segurança neste sábado (19), em um bar de Campo Grande, um site de esporte da Capital publicou nesta quarta-feira (23), um pedido à imprensa.
Com o tema “Jiu-jitsu não é a razão da morte de segurança. Jiu-jitsu é esporte!”, o site pede que Christiano Luna de Almeida, 23, responsável pela morte de Jefferson Bruno Escobar, 23, pare de ser chamado de lutador de jiu-jitsu.
Jefferson foi morto com um soco enquanto trabalhava de segurança em um bar localizado na avenida Afonso Pena, em Campo Grande. “Quem pratica o esporte sabe que o soco e a atitude do jovem não fazem parte da modalidade”, informa o site.
O site destaca ainda que “o jiu-jitsu dito pela imprensa é na verdade o brazilian jiu-jitsu, uma adaptação do jiu-jitsu originado no Japão, sendo desenvolvido e difundido no Brasil pelo lendário Hélio Gracie. A luta consiste em técnicas de estrangulamento e pressão sobre articulações, sendo proibidos socos e chutes, por exemplo, tanto é que é conhecida como a ‘Arte Suave’”.
“Quem faz artes marciais sabe que todo lutador tem como seu principal princípio de vida o respeito ao próximo. Existe uma grande diferença entre brigar e lutar”, destaca o site de esportes.
Para finalizar, o site alerta para que, o ato do acusado não seja atribuído ao esporte. “Por isso, o Esporte Ágil dá cartão amarelo para nossos jornalistas, que ainda podem parar de tentar associar o caso ao jiu-jitsu, e cartão vermelho para a atitude do rapaz. Esporte é vida!”, ressalta.

Por Valquíria Oriqui - Capital News (www.capitalnews.com.br)

CRESCE O NÚMERO DE MULHERES PRATICANTES DE JIU-JITSU NO RN


Quan­do se pensa em jiu-jitsu, logo se ima­gi­nam ho­mens tra­jan­do seus qui­mo­nos e se de­gla­dian­do em um ta­ta­me ten­tan­do imo­bi­li­zar o ad­ver­sá­rio com di­ver­sas téc­ni­cas mi­le­na­res, mas aos pou­cos as coi­sas estão mu­dan­do. Com as di­ver­sas mu­dan­ças cul­tu­rais e so­ciais que o mundo en­fren­ta nos úl­ti­mos anos e ainda com a ne­ces­si­da­de da prá­ti­ca de es­por­tes e de de­fe­sas pes­soais, está che­gan­do a vez delas: as mu­lhe­res.

Cada vez mais nas di­ver­sas aca­de­mias de Natal é pos­sí­vel en­con­trar mu­lhe­res, prin­ci­pal­men­te com seus qui­mo­nos rosas, apren­den­do e aper­fei­çoan­do a arte mar­cial que foi am­pla­men­te di­fun­di­da no Bra­sil pela fa­mí­lia Grace nos anos 90, já que não há res­tri­ções entre ho­mens e mu­lhe­res para a prá­ti­ca do es­por­te.

Na aca­de­mia Ex­tre­me Com­bat, a mo­ni­to­ra Eman­nuel­le Gua­na­ba­ra, que trei­na jiu-jitsu há cerca de 10 anos, é uma das vá­rias mu­lhe­res que dão um "ex­pe­dien­te extra" para se de­di­car ao es­por­te. "O número d emulheres que procura esse esporte é cada vez maior. As mulheres tem procurado o esporte tanto como uma forma de manter o corpo em forma, quanto para aprender uma defesa pessoal", disse.

Ela acompanha uma turma de seis mu­lhe­res, que co­me­ça­ram a trei­nar em ja­nei­ro desse ano, mas que já pen­sam em dis­pu­tar com­pe­ti­ções. Entre elas Ta­tia­na Aires e Re­na­ta Plau­to. "As me­ni­nas aqui já vem de ou­tros es­por­tes, como o Muay Thai, então elas já tem esse es­pí­ri­to de su­pe­ra­ção, de com­pe­ti­ção", con­tou ao fri­sar que todas as me­ni­nas da aca­de­mia estão se pro­gra­man­do para dis­pu­tar uma com­pe­ti­ção na Ar­gen­ti­na.
As meninas se adequaram a uma rontina de dois treinos de jiu-jitsu por semana, aliado a outros três dias de treino de muay-thai. Todos com aproximadamente uma hora de duração.

Eman­nuel­le lem­brou que não exis­te um ca­len­dá­rio ofi­cial com com­pe­ti­ções ex­clu­si­va­men­te fe­mi­ni­nas, mas que as mu­lhe­res vem ga­nhan­do cada vez mais es­pa­ço nas com­pe­ti­ções ge­rais. "Sem­pre nos cam­peo­na­tos exis­tem lutas de mu­lhe­res e são boas atle­tas", des­ta­cou.

As di­fi­cul­da­des en­fren­ta­das pelas mu­lhe­res nas com­pe­ti­ções são as mes­mas das en­fren­ta­das pelos ho­mens: a falta de pa­tro­cí­nio. "A di­fi­cul­da­de para con­se­guir pa­tro­cí­nio é enor­me. Isso é nor­mal em vá­rios es­por­tes e tam­bém nas artes mar­ciais e isso in­de­pen­de se é pra homem ou pra mu­lher. Aqui no Es­ta­do, você pre­ci­sa se des­ta­car só pra poder con­se­guir al­gu­ma coisa", la­men­tou.

Mu­lhe­res são mais téc­ni­cas

Mas as mu­lhe­res não vem con­quis­tan­do mais es­pa­ço nos ta­ta­mes so­men­te por que­rer. A monitora de jiu jitsu da Ex­tre­me Com­bat ex­pli­ca que as mu­lhe­res con­se­guem ser mais téc­ni­cas que os ho­mens. "A mu­lher é muito mais con­cen­tra­da. Ela se de­di­ca muito mais aos trei­na­men­tos e ao apren­di­za­do da téc­ni­ca. Assim, as mu­lhe­res ter­mi­nam sendo muito mais téc­ni­cas que os ho­mens", jus­ti­fi­ca.

Jiu-jitsu: Um es­por­te sem ida­des

Para co­me­çar a pra­ti­car o jiu-jitsu são ne­ces­sá­rios ape­nas um qui­mo­no e ter a idade mí­ni­ma de 6 anos. O professor Nino lem­bra que o jiu-jitsu não tem idade e isso tam­bém se apli­ca a mu­lhe­res. "Temos alu­nas crian­ças, me­ni­nas pe­que­nas, que pra­ti­cam o Muay Thai aqui na aca­de­mia e da mesma forma elas tam­bém podem trei­nar o jiu-jitsu", fri­sou.

Sistema de graduação (faixas)
- Branca (Iniciante, qualquer idade)
- Cinza (04 a 06 anos)
- Amarela (07 a 15 anos)
- Laranja (10 a 15 anos)
- Verde (13 a 15 anos)
- Azul (16 anos ou mais)
- Roxa (16 anos ou mais)
- Marrom (18 anos ou mais)
- Preta (19 anos ou mais)
- Preta e vermelha [Coral] (Título de mestre)
- Vermelha

Vantagens do jiu-jistu
- Redução do stress
- Aprendizado de defesa pessoal
- Aumenta a resistência do organismo
- Definição e tonificação muscular
- Melhora da capacidade cardiovascular e respiratória
- Aumento da flexibilidade
- Aumento da coordenação motora
- Aumento dos reflexos
- Fortalecimento mental (aumento da autoestima e autoconfiança)
- Acelera o metabolismo
- Queima calórica média de 750 kcal/h
- Aumento da disciplina
Fonte:deznarede.com.br

HÉLIO SERÁ TEMA DE UM DOCUMENTÁRIO HOJE NA TV.

 Maior ícone do Jiu-Jitsu de todos os tempos, Hélio Gracie é o tema de um documentário que será exibido hoje a partir das 20h no Biography Channel. A produção nacional do canal mostra a trajetória de Hélio Gracie, lutador franzino, obstinado e praticamente invencível nos tatames que tornou-se ídolo brasileiro e referência internacional ao estabelecer o seu estilo de Jiu-Jitsu

MINOTOURO PEDE PARA DAVIS

Phil Davis vence Minotouro no UFC Fight Night 24

A cidade de Seattle, EUA, recebeu neste sábado a 24ª edição do UFC Fight Night 24. A luta principal contaria com Antônio Rogério Minotouro Nogueira tentando voltar às vitórias no UFC contra o invicto Phil Davis.

Antes disso, outro brasileiro, Mário Miranda enfrentou Aaron Simpson. O americano tratou de usar seu wrestling para quedar e pontuar contra “Super Mário” no chão, dominando os três rounds e conseguindo a vitória na decisão unânime dos juízes. Foi a terceira derrota do brasileiro em quatro lutas no UFC.

A segunda luta em importância, entre Anthony Johnson e Dan Hardy, mostrou novamente como usar o wrestling para amarrar uma luta. Num clássico duelo striker x wrestler, Johnson mandou Hardy para o chão, mas não com uma queda, e sim com um belo chute na cabeça. Depois disso, começou a amassar o inglês no solo. A luta chegou a ser vaiada. Hardy até tentou a kimura da guarda duas vezes, mas faltou técnica. E Johnson conseguiu a vitória na decisão unânime.

Na luta principal, Rogério Minotouro procurava a recuperação no UFC contra o duro wrestler Phil Davis. No 1º round, Minotouro defendeu muito bem as quedas, e nada além disso aconteceu. Já no segundo, além de evitar bem ser colocado para baixo, acertou bons golpes em pé no americano, que quedou apenas perto do fim do round. Minotouro levantou mas, quedado novamente, deu as costas para o adversário e recebeu duros golpes até o gongo soar. No último round, Davis conseguiu usar seu wrestling de altíssimo nível para amarrar a luta, como seu colega wrestler Anthony Johnson fizera com Dan Hardy. Acabou conseguindo a vitória por pontos, na decisão unânime dos juízes. O americano se mantém invicto. O brasileiro agora tem duas vitórias e duas derrotas no UFC. Sua melhora na defesa de quedas e a qualidade e histórico que o fazem ser considerado lenda por todos, inclusive pelos americanos, nos permitem acreditar que veremos Minoto voltar ainda melhor que ontem.

UFC Fight Night 24
26 de março de 2011
Seattle, Estados Unidos

Card preliminar:

Nik Lentz finalizou Waylon Lowe com uma guilhotina aos 2:24min do 3º round
Aaron Simpson derrotou Mário Miranda na decisão unânime dos juízes
Johny Hendricks nocauteou Anthony Waldburger a 1:35min do 1º round
Christian Morecraft finalizou Sean McCorkle com uma guilhotina aos 4:10min do 2º round
Michael McDonald derrotou Edwin Figueroa na decisão unânime dos juízes
John Hathaway derrotou Kris McCray na decisão dividida dos juízes
Mackens Semerzie finalizou Alex Caceres com um mata-leão aos 3:18min do 1º round
Mike Russow derrotou Jon Madsen por interrupção médica no fim do 2º round

Card Principal:

Chan Sung Jung finalizou Leonard Garcia aos 4:59min do 2º round
Amir Sadollah derrotou DaMarques Johnson por nocaute técnico aos 3:27min do 2º round
Anthony Johnson derrotou Dan Hardy na decisão unânime dos juízes
Phil Davis derrotou Antonio Rogério Nogueira na decisão unãnime dos juízes

PIERCE SACANEIA COM MINOTOURO


E ele vai tendo seus momentos de fama... quem sabe assim chama atenção do Dana White...

Dessa vez Pierce sacaneou Minotouro e os brasileiros por causa de mais uma derrota pra wrestler. A tradução é: "HA HA HA! Outro wrestler americano bateu um brasileiro. Parabéns Phil Davis. Chupa Brasil"

MikePierce170 Mike Pierce
HA HA HA! Another American Wrestler beats up on a Brazilian. Congrats Phil Davis. Suck it #Brazil

http://www.superlutas.com.br/forum/index.php?showtopic=23708

AQUELE QUE VENCE A SI MESMO É INVENSÍVEL - Por Luiz Vitor Dias

“Aquele que vence a si mesmo é invencível”, essa frase de um trecho do livro a Arte da Guerra de Sun Tzu, pode ter uma grande aplicação prática no nosso jiu-jitsu . Nos treinos você vence a si mesmo se tornando invencível, quando você vence o seu medo de perder, de evitar lutas realmente difíceis, onde você treina isso pode e deve  acontecer, e se ao invés de você evitar esses confrontos você  for buscar essas lutas como “incentivo” ou “objetivo a ser alcançado” será o melhor caminho para o seu  jiu-jitsu evoluir. É claro que  ganhar é melhor do que perder, isso é inquestionável, mas quantas vezes evitamos lutar com certos lutadores por não querer perder, ou por acreditar que a derrota será o mais provável? Essa atitude representa evitar uma provável constatação de nossas falhas ou a certeza que ainda não estamos em certo nível, técnico, físico ou ambos. Então quase inconscientemente procuramos certos colegas de treino e evitamos outros.

Quando tomamos consciência desse sentimento e o usamos como referência, ele poderá ser útil em nosso desenvolvimento técnico, físico e mental. Porque começamos a usar nossa mente com sabedoria, o primeiro passo é procurar determinado treino que você considere como um lutador a ser “batido”, que você julgue ser melhor do que você. No seu íntimo você pode  achar que ele tem tudo para te finalizar, mas você também tem um percentual de chance de vitória, isso é importante acreditar, e caso não ganhe, pense na luta, na dinâmica dela, para tirar observações e conclusões. Porque a  derrota pode mostrar onde estão seus pontos fracos e onde deve trabalhar para corrigir os defeitos.Estudar novas posições ou estratégias, melhorar condicionamento físico, buscar um equilíbrio mental para não “fechar a mente” na hora da luta, todos esses fatores são importantes para um lutador, independente se é competidor ou não.

Então ao você se lançar nesse “auto-desafio”, você provocará uma puxada no seu rendimento em todos os aspectos, e aos poucos seu jiu-jitsu estará sendo refinado e seu nível subindo, em todos os aspectos. Existem lutadores que têm como meta principal “não perder”, acho que o ponto principal, é buscar sempre a vitória. Vencer em todos os níveis, sentir que você está se superando, aquele cara que te esmagava, num treino de academia, te finalizava duas ou três vezes, agora te finaliza uma quando consegue! Daqui a pouco você sente que quase o finalizou, e em breve a vitória irá chegar fruto do seu esforço.  Nos treinos na sua academia, treine com a mente aberta, arrisque, busque novas posições e vá melhorando sua rotina de luta. Mesmo que na hora, você não tenha certeza do sucesso do seu movimento, faça, arrisque, assim que é o caminho da evolução. É só fazendo, experimentando posições na hora dos treinos na sua academia  que você vai desenvolver o seu jiu-jitsu.
Luiz Dias, GAS JJ

email: geração.artesuave@yahoo.com.br

sexta-feira, 25 de março de 2011

MINOTOURO LUTA SABÁDO DIA 26

 No principal confronto da noite, lutador brasileiro enfrenta o invicto Phil Davis em luta válida pela categoria meio-pesado

- Pelo card preliminar, o carioca “Super” Mário Miranda encara o também americano Aaron Simpson em luta válida pelos médios

- Exibição ao vivo e com exclusividade no Combate e Combate HD, a partir das 23h de sábado, dia 26

Depois do duelo de cinturão envolvendo Maurício Shogun, mais um brasileiro faz a luta principal da noite de um evento do UFC. Neste sábado, dia 26, o baiano Rogério Minotouro entra no octógono mais famoso do mundo para encarar o americano Phil Davis, grande revelação do MMA na categoria meio-pesado, em luta válida pelo UFC Fight Night 24. Além desse importante duelo, os fãs brasileiros vão poder torcer pelo carioca “Super” Mário Miranda, que enfrenta o também americano Aaron Simpson, em luta do card preliminar válida pelos médios.
       
O UFC Fight Night 24 terá transmissão exclusiva do canal Combate, que está disponível para assinatura nas operadoras NET, SKY e Via Embratel, a partir das 23h. O assinante que possuir a tecnologia HD confere a luta em alta definição também pelo Combate HD.

Aos 34 anos, o baiano Rogério Minotouro já se consolidou como um grande nome brasileiro no mundo das lutas. Além de já ter trilhado um caminho de grandes resultados em eventos como o extinto PRIDE e o próprio UFC, Minotouro tem no currículo um feito para poucos do esporte: uma medalha de bronze no boxe nos Jogos Pan-americanos Rio 2007. Apesar do vitorioso currículo, Rogério quer mais. Vindo de derrota para o americano Ryan Bader (UFC 119), o baiano sabe que precisa vencer para recuperar o prestígio no esporte. Entretanto, o lutador tem consciência de que a tarefa não será nada fácil.

“O cara é novo, é bom. Foi campeão nacional de wrestling e quatro vezes eleito All American (principal título da modalidade nos EUA). Realmente, ele não tem muita experiência no MMA, mas tem um cartel interessante (8-0) e bem é alto. Então, é um cara que tem que ter um cuidado especial, porque ele vem com vontade, e isso faz dele um adversário perigoso. Principalmente nas regras do UFC, em que as quedas têm muito peso”, explica Minotouro analisando a revelação americana Phil Davis, de 26 anos, que chega invicto para o confronto.

O desafio do “Super” Mário
Vindo de derrota para o também brasileiro Demian Maia, o carioca Mário Miranda, o “Super” Mário (12-2), sabe que precisa vencer para continuar no evento e alimentar o sonho particular de lutar no UFC Rio. Para isso, Mario sabe da capacidade do oponente e confia em seu potencial. “Ele (Aaron Simpson, 7-2) é um ótimo wrestler e tem uma mão pesada, mas eu me acho melhor tecnicamente, e a preparação física pode ser determinante nessa luta. Estou realmente feliz com a minha preparação, foi tudo bem planejado. Com certeza foi a luta para a qual pude me preparar melhor. Espero conseguir mais exposição no Brasil. O UFC Rio seria perfeito”, analisa o confiante “Super” Mario, que tem duas derrotas e uma vitória dentro do UFC.

CARD PRINCIPAL
Rogerio “Minotouro” vs Phil Davis
Dan Hardy vs Anthony Johnson
DaMarques Johnson vs Amir Sadollah
Leonard Garcia vs Chan Sung Jung

CARD PRELIMINAR (Sem transmissão do canal Combate)
Alex Caceres vs Mackens Semerzier
Jon Madsen vs Mike Russow
John Hathaway vs Kris McCray
Edwin Figueroa vs Michael McDonald
Sean McCorkle vs Christian Morecraft
Mario Miranda vs Aaron Simpson
Johny Hendricks vs T.J. Waldburger
Nik Lentz vs Waylon Lowe

PATRÍCIO PITBULL E WILSON REIS NA SEMIFINAL DO BELLATOR

Os brasileiros Patrício Pitbull e Wilson Reis vão se enfrentar na semifinal do GP dos penas do Bellator, agendada para acontecer no dia 16 de abril, no Arizona, Estados Unidos. Os lutadores se enfrentaram no GP do ano passado, também na semifinal, e Patrício Pitbull levou a melhor na decisão unânime dos juízes. Na fase anterior do GP, Wilson Reis finalizou Zac George com um mata-leão, enquanto Patricio Pitbull nocauteou Georgi Karakhanyan. Na outra semifinal, Kenny Foster encara Daniel Straus. A grande final do GP está prevista para maio e o vencedor vai faturar U$ 100 mil e terá a chance de disputar o título contra o atual campeão Joe Warren, que derrotou Pitbull na decisão dividida no ano passado.

Lembramos que o Patrício Pitbull é natalense por tanto toda noss torcida para ele. 
Tatame

FEDOR PODERÁ VOLTAR AO SRIKEFORCE EM JULHO

Ao ser derrotado pelo brasileiro Antônio Pezão nas quartas de final do GP dos pesos pesados do Strikeforce, realizado mês passado, o russo Fedor Emelianenko cogitou a hipótese de pendurar as luvas. Porém, os rumores de uma possível aposentadoria do lutador parecem estar longe de se confirmar.

Após o revés para Pezão, Fedor retornou a sua terra natal e admitiu que se precipitou ao anunciar a aposentadoria devido a grande frustração ocorrida em sua estreia no torneio. Em entrevista concedida hoje (24), o lutador negou que esteja abandonando o esporte, afirmando ainda que poderá estar em ação dentro dos próximos meses.

"Lutarei ainda este ano. Não sei qual será meu oponente, mas isto já está sendo estudado pelos dirigentes do Strikeforce. Não me aposentei, ainda quero continuar competindo", afirmou Fedor.

No mesmo sentido, o diretor-executivo do Strikeforce, Scott Coker, sempre deixou claro sua certeza da não aposentadoria do peso pesado (relembre aqui). O dirigente ressaltou nesta tarde que Fedor ainda possui lutas a cumprir em seu contrato com a organização californiana e que o russo honrará o compromisso assumido com o evento. Além disto, o dirigente já planeja a data do retorno de Fedor buscando uma maneira de incluí-lo novamente no GP dos pesos pesados do evento.

"Fedor lutará provavelmente em julho, talvez na segunda metade do mês. Ainda não temos um adversário em mente, mas cogitamos a possibilidade dele ingressar no GP como suplente", frisou Coker.

Em 11 anos de carreira, Fedor somou 31 vitórias, três derrotas e um No Contest. Entre suas principais conquistas estão os títulos do GP do Rings, em 2001, e do Pride, em 2004, além dos cinturões de pesos pesados do próprio Pride e do Affliction.
Portaldaslutas

quinta-feira, 24 de março de 2011

MINOTOURO PRONTO PARA PHIL DAVIS

Rogério “Minotouro” Nogueira volta ao octógono, neste sábado (26), para enfrentar o invicto norte-americano Phil Davis. O combate será atração principal do UFC Fight Night 24, evento que será realizado em Seattle, nos Estados Unidos. Inicialmente escalado para encarar Tito Ortiz, o brasileiro teve seu adversário alternado devido a um corte na cabeça ex-campeão. Apesar da mudança de oponente, Rogério afirma que não alterou seu treinamento para o combate e se diz pronto para o duelo.

“Eu vinha me preparando para o Tito Ortiz. Ele é um atleta veterano, que vem de derrota, mas é um cara duro... O Phil Davis é oriundo do wrestling e tem um jogo parecido com o Tito, mas as quedas dele são um pouco diferentes. No chão, ele trabalha o jiu-jítsu e não apenas o ground and pound (socos por cima na luta de chão) como o Tito”, disse Minotouro. “Eu estou ali para lutar contra qualquer um, para enfrentar os melhores”, completou o brasileiro.

Apesar de enfrentar um lutador menos experiente e com apenas oito lutas na carreira, o faixa-preta brasileiro, que tem em seu cartel apenas23 apresentações, sendo 19 vitórias, acredita que não será favorito no combate

“Não considero que numa luta com essa não tenha favorito. O nível técnico é muito alto e os atletas não podem errar. Eu estou focado em fazer o meu melhor e usar minha experiência por conhecer um pouco do jogo dele”, afirmou Minotouro, que espera voltar a vencer para voltar a figurar entre os melhores da categoria de meio-pesado, já que vem de derrota para Ryan Bader no UFC 119.

“Quero estar entre os melhores do ranking. Se eu fizer uma boa luta contra o Phil Davis, como estou esperando, vou voltar ao topo com o todo o gás total e fazer um grande ano em 2011”, encerrou.

Confira abaixo o card completo do UFC Fight Night 24, que além de Rogério Minotouro terá outro brasileiro em ação: Mário Miranda medirá forças contra Aaron Simpson.

Card Principal
Rogério “Minotouro” Nogueira vs. Phil Davis
Dan Hardy vs. Anthony Johnson;
DaMarques Johnson vs. Amir Sadollah;
Leonard Garcia vs. Chan Sung Jung;

Card Preliminar
Alex Caceres vs. Mackens Semerzier;
Jon Madsen vs. Mike Russow;
John Hathaway vs. Kris McCray;
Edwin Figueroa vs. Michael McDonald;
Sean McCorkle vs. Christian Morecraft;
Mario Miranda vs. Aaron Simpson;
Johny Hendricks vs. T.J. Waldburger;
Nik Lentz vs. Waylon Lowe;

BRASILEIRO DESAFIA EX-CAMPEÃO DO UFC."FUI NA ACADEMIA DAR PORRADA NO TITO ORTIZ E ELE FUGIU".

Ex-campeão meio-pesado (93 kg) do Strikeforce, o brasileiro Renato “Babalu” Sobral é mais uma das estrelas sob a tutela do mestre Rafael Cordeiro nos fortes treinos na academia Kings MMA, em Huntington Beach, na Califórnia.

A técnica difundida por Cordeiro, faixa preta em muay thai e jiu jitsu formado pela academia curitibana Chute Boxe, atrai diariamente atletas renomados como Fabrício Werdum, Mark Muñoz, Wanderlei Silva e, mais recentemente, O polêmico ex-campeão meio-pesado do UFC Tito Ortiz, com quem Babalu garante não ter treinado.

- Ele treina como Rafael para a luta com o Rogério [Minotouro], mas eu não gosto dele, sou amigo do Rogério e estava machucado. Quando eu recuperei um pouquinho do machucado, eu fui na academia pra dar umas porradas nele e ele foi embora.

Entre outras revelações, Renato contou com exclusividade que ao R7 que se contundiu no início do ano e precisou fazer uma cirurgia no ombro, mas que preferiu esconder a notícia até estar apto a voltar aos treinos.

Leia a entrevista completa com o atleta que fez sucesso no UFC, inclusive disputando o cinturão dos meio-pesados do UFC contra o lendário Chuck Liddell, antes de ser demitido acusado de não soltar a finalização sobre David Heath, no UFC 74, em 2007.

Leia a entrevista completa de Renato “Babalu” Sobral

R7 – Babalu, o que você achou da compra do Strikeforce pelo UFC?

Renato “Babalu” Sobral - Qualquer monopólio não é bom pra nenhum tipo de indústria. Mas o UFC, sem dúvidas, levou o esporte pra outro patamar. Então eles merecem credibilidade. A organização deles faz a diferença pro resto. Eles tem uma experiência impressioinante, tudo funciona e acontece igual em todos eventos, e isso dá segurança para quem luta no UFC.

R7 – Em sua última luta, você foi nocauteado rapidamente pelo Dan Henderson, que acabou de se tornar campeão. Como você se vê na categoria atualmente?

Babalu- Eu dei uma descida, com certeza. Agora tenho que voltar, fazer algumas lutas bem casadas, seja até 84 kg ou 93 kg. Estou ai para lutar em qualquer categoria. Seria interessante lutar no UFC, já que lá só tem cara top, em todos os pesos.

R7 – O Dana White disse que vai manter os contratos dos lutadores do Srikeforce. Quantas lutas você ainda tem no contrato?

Babalu - Tenho mais uma luta apenas. Quero lutar em outubro ou novembro, porque estou voltando aos treinos agora, acabei de me recuperar de uma cirurgia.

R7 - Que cirurgia foi esta?

Babalu – Me machuquei treinando snowboard com o Fabrício [Werdum] e com o mestre Rafael [Cordeiro], mas ele não subiu [risos]. Cai feio e precisei de uma cirurgia no ombro. Fiquei quieto e não contei para ninguém, só conto agora que estou recuperado.

R7 – E se o Strikeforce for fundido ao UFC no futuro, você tem interesse em enfrentar alguém de lá em especial?

Babalu – Tenho, quero enfrentar o Tito Ortiz.

R7 – Mas vocês não treinam juntos com o mestre Rafael na Kings MMA?

Babalu – Não, jamais. Ele não treina comigo. Se tiver que treinar com ele eu vou arrebentar ele. Se eu estiver na academia, quero ver ele aparecer. A única vez que eu apareci ele foi embora.

R7 - Vocês ainda tem aquela rivalidade desde a época do UFC?

Babalu – Ele tá correndo de mim desde quando eu fui para o Afliction. Daí ele não foi. Quando fui para o Strikeforce, tentaram trazer ele, mas ele também não veio. Agora, estou atrás dele de novo. Ele vai ter que pagar pelo que falou.

R7 – E como essa rivalidade começou?

Babalu - O problema dele é que ele tem uma língua maior do que uma gravata. Fala demais, falou mal dos brasileiros, falou mal de mim... Vai ter que engolir o que falou.

R7 – O fato dele treinar com o mestre Rafael não te incomoda?

Babalu – Não, ele treinou com o Rafael para enfrentar o Rogério [Minotouro]. Não gosto dele, sou amigo do Minotouro e eu ainda estava machucado, por isso não fui na academia. Quando me recuperei um pouquinho do ombro, fui lá na academia pra dar umas porradas nele, mas ele fugiu.

R7 – E como estão os treinos na Kings MMA? Você, Werdum, Wanderlei Silva, Mark Muñoz...

Babalu – O Rafael é um ótimo professor. Tem uma grande equipe, sempre um pessoal muito bom que treina lá. Eu estou voltando agora, mas a porrada come solta lá. Mas a porrada come porque todo mundo quer se ajudar, ninguém quer se machucar. Com isso, todo mundo melhora junto...O Rafa estimula a gente a praticar a nossa criatividade. Não quer mudar o estilo de ninguém, esse é o diferencial dele como professor de MMA.

R7 – Sobre a sua chance de voltar ao UFC. Você foi demitido do evento após sua vitória contra o David Heat. Ficou algum tipo de mau estar em relação àquela situação?

Babalu – Não, não ficou nenhuma cicatriz no relacionamento. Poderia lutar no UFC de novo sem problemas. Vai ser ótimo se eu voltar para o UFC. É como se eu voltasse a uma casa que eu já morei. [risos]

R7 – A última vez que falei com o Wanderlei Silva, ele disse que quer parar com 40 anos. Você acha que a longevidade no MMA está aumentando? Quer lutar até quantos anos?

Babalu – Não sei quantos anos, mas eu vou fazer 36 agora [risos]. Agora que a brincadeira ficou gostosa, quero ficar mais um tempo. Nó somos de uma época em que comemos muita poeira, agora que chegou o asfalto fica difícil ir embora [risos]. Chegamos a um nível que o esporte merecia. Mas ainda temos muito que evoluir, principalmente no Brasil. A diferença é que aqui nos EUA, tem muito fã para muitos esportes. No Brasil, você tem que ser campeão para o esporte ser divulgado.

R7 – Mesmo faltando muita coia, você reconhece que o MMA no país ganhou muito espaço na mídia nos últimos anos?

Babalu - Sim, sem dúvida. O Brasil tem um gênio, que é o Anderson Silva. Fico arrepiado quando vejo o trabalho que ele faz na grande mídia divulgando o nosso esporte. Está de parabéns, afinal, o Brasil é um país com um grande número de lutadores de alto nível.




Fonte: R7

ANDERSON SILVA AJUDA A PROMOÇÃO DO MAIOR EVENTO DA HISTÓRIA DO UFC

Além do evento com as lutas programadas, cada edição do UFC também leva à cidade sede o UFC Fan Expo, uma feira que conta com palestras, demonstrações e venda de produtos para os fãs de MMA.

Entre as atrações da Expo do UFC 129, destaque para o brasileiro Anderson Silva, campeão dos médios (84 kg) do evento americano, que participará de uma sessão de autógrafos.

Além do Spider, os campeões Jon Jones (meio pesados), Cain Velasquez (pesados) e Dominick Cruz (galos) também terão destaque na feira, ao lado do membro do Hall da Fama, o lendário Chuck Liddell.

Em entrevista ao site mmajunkie, o presidente da organização, Dana White, se mostrou eufórico para o evento.

- Estamos animados para trazer algumas das nossas principais estrelas para Toronto. Este vai ser o maior fim de semana, não apenas na história do UFC, mas na história do nosso esporte. Estou ansioso para dar aos fãs o acesso aos nossos lutadores.

Os eventos serão realizados em dois dias, 29 e 30 de abril, em Toronto, no Canadá, cidade que receberá o UFC 129, programado para ser o maior da história, com mais de 50 mil pessoas no ginásio.




Fonte: R7

ISSO SIM É UM VERDADEIRO CAMPEÃO

Este material audiovisual que segue é para nos lembrar diariamente das dificuldades e a razão de superá-las. A estrela é o campeão norte-americano de Luta Olímpica, Anthony Robles, que "tratorizou" todos os adversários que ousaram enfrentá-lo, com a diferença de que todos tinham as duas pernas e ele apenas uma nos combates.

Inspirador, motivante e, mais que tudo, lição de vida. Parabéns ao campeão!


JUNGLE FIGHT - COM MAIS DUAS LUTAS

Faltando pouco para a próxima edição do Jungle Fight by Pretorian, que acontece dia 2 de abril no Ginásio do Pacaembú, em São Paulo, a organização do evento acaba de confirmar mais dois combates. Na categoria até 61 kg, Vinícius Zani (Gibi Thai) enfrentará Eduardo “Kiko” (Gracie Fusion). Já na categoria até 66 kg, Ronny Jason (Platinum) vai encarar Iliarde Santos (Ulysses Pereira). Confira no card abaixo os seis combates já confirmados para o Jungle Fight.

Card Completo (sujeito à modificações):

Jungle Fight by Pretorian
Sábado, 02 de abril de 2011
Ginásio do Pacaembú, São Paulo

84kg - Marcelo Guimarães (Equipe Fight Society- ES) enfrentará Ildemar Marajó (Striker Team);
84kg - Gilberto “Giba” Galvão (RFT-RJ) enfrentará Lucas Rota (KillerBees);
77kg - Wendell Negão (Gracie Fusion) enfrentará Gil de Freitas (Barbosa Team);
61kg - Vinícius Zani (Gibi Thai) enfrentará Eduardo “Kiko” (Gracie Fusion);
66kg - Ronny Jason (Platinum) enfrentará Iliarde Santos (Ulysses Pereira);
93kg - Bruno Capelosa (Gracie Fusion/Veras TK) enfrentará Marcelo Cruz (Barbosinha Team).
Tatame

FEDOR A ESTRELA DA "A CHAVE DA SALAMANDRA"

Virou moda entre os lutadores de MMA fazer “pontas” como atores em filmes. Assim como Rampage Jackson, Randy couture e Rodrigo Minotauro, o maior lutador de todos os tempos, Fedor Emelianenko também gravou cenas para um longa-metragem.

Intitulado A Chave da Salamandra, o filme estreia nesta sexta-feira (25) em Moscou, e contará com atores do calibre de Michael Madsen e Rutger Hauer – que já atuaram em SinCity, Batman Begins e Cães de Aluguel – ao lado do lendário lutador.

Durante as gravações, o também atleta de MMA Gegard Mousasi foi enviados à Tailândia para ajudar o ex-número um dos pesos pesados a se preparar para sua estreia no cinema.

O tema do filme é o envio de um grupo de resgate para salvar cientistas, responsáveis por experimentos entre homens e humanos e desaparecidos no sudeste asiático. 
R7

quarta-feira, 23 de março de 2011

O SONHO DE LUTAR MMA


Sonho de muitos praticantes de artes marciais no Brasil, a profissionalização como lutador é um árduo caminho a ser traçado. Entre os boxeadores, por exemplo, a Forja dos Campeões (tradicional torneio amador de boxe) é um caminho para chamar a atenção de empresários dispostos a investirem em um futuro campeão.

No entanto, o mercado que mais chama a atenção dos jovens praticantes de lutas é o do MMA. As artes marciais mistas tem como grande vitrine o UFC, maior evento da modalidade no mundo e que desperta legiões de fãs por onde passa.

Nesse rastro, academias começam a lecionar aulas de MMA em suas grades para, quem sabe, formarem um próximo Anderson Silva, unanimidade no esporte e recordista de vitórias seguidas no UFC.
R7

ANDERSON SILVA DESCARTA POSSIBILIDADE DE SUBIR DE CATEGORIA

Considerado o melhor peso por peso do MMA mundial, o brasileiro Anderson Silva, campeão dos médios (84 kg) do UFC, concedeu rápida entrevista ao site ultmma, em que comentou sobre a incrível vitória de Jon Jones sobre o curitibano Maurício Shogun.

- Hoje ele foi incrível. Jon Jones ainda vai fazer novas lutas, ficar mais experiente e aprender novas técnicas. Na minha opinião, ele é o melhor desta categoria e vai ser campeão por muito tempo.

Além das semelhanças físicas, a irreverência também é uma marca presente tanto no jogo de Jon Jones como no de Anderson. Por este motivo, um possível duelo entre os lutadores desperta o interesse de fãs do UFC ao redor do mundo. Mas, apesar dos pedidos, o Spider revelou que não pretende subir de peso.

- Estou feliz em minha categoria, ainda vejo problemas para enfrentar na minha divisão de peso. Estou trabalhando com minha equipe, com meu time. Não tenho planos para subir de peso.

Na mesma entrevista, o recordista de vitórias seguidas no evento americano comentou a recepção brasileira após o nocaute aplicado ainda no primeiro round contra Vitor Belfort no UFC 126.

- Meus fãs ficaram muitos felizes com minha vitória. O Vitor tem muitos fãs no Brasil. Foi uma boa oportunidade para mim e para ele.
R7

terça-feira, 22 de março de 2011

SHOGUN NÃO PERDEU SOFREU UMA GOLEADA

Como de costume, o site especializado em estatísticas esportivas fightmetric divulgou os números oficiais da última edição do UFC, de número 128, realizada no sábado (19), que contou com a impressionante vitória de Jon Jones sobre o brasileiro Maurício Shogun.
O duelo, que valia o cinturão dos meio-pesados (93 kg), foi praticamente um monólogo do americano, e sua superioridade ficou ainda mais clara ao ver os números.

Em dois rounds e meio, mais precisamente 12min37s, Shogun conectou apenas 11 golpes com sucesso, contra incríveis 102 socos, chutes e cotoveladas do novo campeão.

Destes 102 golpes de Jon Jones, 70 foram na cabeça, 22 no corpo e 10 nas pernas, 70% deles de forma contundente, enquanto apenas nove de ataques do brasileiro surtiram efeito.
R7

ANTES DE ACABAR COM SHOGUN JON JONES IMOBILIZA ASSALTANTE

Poucas horas antes de nocautear o brasileiro Maucírio Shogun no UFC 128 e se tornar o campeão meio-pesado (93 kg) mais novo da história do evento americano, Jon Jones protagonizou uma situação inusitada nas proximidades do ginásio onde lutaria em New Jersey.

Ele e seu treinador Greg Jackson presenciaram um furto de um rádio de um veículo. Sem pensar duas vezes, Jones e Jackson perseguiram o assaltante, o derrubaram e o imobilizaram até a chegada dos policiais.

Empolgado, o lutador ainda teve tempo de publicar a foto do momento em que seu treinador imobilizava o assaltante em seu Twitter oficial, para delirio de seus mais de 70 mil seguidores. 
R7

RENAN BARÃO DE OLHO NO UFC-RIO

Invicto há 25 lutas, Renan Barão é uma das grandes promessas brasileiras para o UFC na categoria Pluma. Após o sucesso no WEC, onde venceu duas lutas por finalização, Barão estreia com moral no UFC contra Demetrius Johnson, no dia 4 de junho em Las Vegas. O brasileiro está escalado para o TUF 13 Finale e pega um Johnson embalado por vitória em cima da lenda japonesa, “Kid” Yamamoto, em sua estreia no octógono, no UFC 126. O lutador chega ao Rio de Janeiro no dia 26 de março, onde vem fazer parte de sua preparação na academia Nova União. Em um bate-papo com a TATAME, o casca-grossa revelou que não teme as quedas e o jogo de Wrestling do americano.

“Ao contrário dele, me sinto muito confortável jogando por baixo até porque na grande maioria das minhas lutas de Jiu-Jitsu eu sempre puxava para guarda e no MMA boa parte das minhas finalizações se iniciaram quando eu estava com as costas no chão”, comentou Renan. Confira abaixo a entrevista completa com o lutador, que analisou seu adversário, sua categoria no UFC e pediu para que os brasileiros votem para ele lutar no UFC Rio.

O que você acha do Demetrius?

Acho ele um bom lutador, tem uma boa base no Wrestling e se movimenta bastante na trocação. O tipo de adversário que eu gosto de enfrentar, pois não amarra a luta.

Ele vem de grande vitória no UFC. O que você achou da luta dele contra o Kid Yamamoto?

Apesar de ter achado o Kid um pouco apático na luta, não sei se pelo longo tempo que passou sem lutar. Gostei da luta, achei que o Demétrius fez uma boa estratégia, já que o Kid mesmo quando estava no seu auge, nunca se sentiu confortável jogando por baixo.

Você acha que esse jogo de Wrestling dele pode te complicar?

Acho que não, pois ao contrário dele me sinto muito confortável jogando por baixo até por que na grande maioria das minhas lutas de Jiu-Jitsu eu sempre puxava para guarda e no MMA boa parte das minhas finalizações se iniciaram quando eu estava com as costas no chão.
 
Você vai dar um foco no Jiu-Jitsu para essa luta, já esperando as quedas dele?

Já estou dando! (risos). Se a luta for para o chão vou procurar finalizá-lo o tempo todo. Mas luta é aquilo, a única certeza é que ela vai começar em pé, se vai dar tempo ir para o chão ou não, ninguém sabe. O que eu sei é que enquanto a luta estiver em pé vou tentar trabalhar bastante a minha melhor envergadura para botar em prática o boxe que treino com o meu pai desde criança.

Onde você vai treinar para essa luta, em Natal ou no Rio de Janeiro?

Na realidade vou fazer como eu sempre fazia desde a minha primeira luta no Shooto até as últimas no WEC. Inicio o meu treinamento em Natal com o mestre Jair Lourenço, meu preparador físico Adriano Coringa, com o meu pai, e toda a galera da Kimura Nova União. Em seguida vou para o RJ e faço a parte final do treinamento com o mestre Dedé, Jhonny Eduardo, José Aldo, Marlon Sandro, Léo Santos, Ramon e toda aquela galera dureza lá da Nova União. Para essa luta, o Dedé me mandou ir dois meses antes, nesse caso já vou no próximo sábado dia 26 para passar o tempo necessário para chegar 100% fisicamente para esse combate e representar bem o nosso país.
 
Você fez duas boas lutas no WEC. O que espera da sua estreia no UFC?

Já estou treinando forte para essa luta e espero está com muito gás para essa luta já que uma dos pontos mais fortes do Demetrius é o gás e apesar sempre de sempre ter me apresentado com um bom gás em todas as minhas lutas para essa eu quero ir ainda mais preparado...

Você tem a maior sequência invicta entre os atletas do UFC hoje (27 lutas). Você acha que isso pode te ajudar a furar a fila pelo cinturão?

Acredito que sim, mas tenho consciência de que tudo depende dessa luta contra o Demetrius. Tenho certeza de que se eu conseguir realizar o meu desejo que é nocautear ou finalizar essa luta estarei cada vez mais perto, de mais esse sonho em minha vida que é disputar o cinturão do UFC. E com Fé em Deus e muito trabalho um dia irei realizá-lo

O Urijah Faber deve ser o próximo a disputar o título, contra o Dominick Cruz. Como você acha que seria essa luta?

Eu acho que hoje essa luta seria bem diferente da primeira, principalmente em termos de tempo de luta, já que a primeira foi muito rápida a favor do Faber. Penso que hoje dá Dominick, pois além de está muito melhor fisicamente hoje do que naquela época, ele também já está melhor adaptado para essa categoria do que o Faber.

Gostaria de deixar um recado?

Gostaria de agradecer a Tatame que sempre divulga a gente aqui do nordeste e pedir de coração a todos as pessoas que acompanham o meu trabalho que por favor votem em mim no site do UFC para eu ser um dos brasileiros escolhidos para se apresentarem no UFC Rio. Para mim seria uma honra e um prazer lutar no Brasil pelo meu Brasil. Clique aqui para votar no lutador.
TATAME
Related Posts with Thumbnails