terça-feira, 11 de maio de 2010

GLEIDSON TIBAU FALA AO SITE TATAME

Gleison Tibau já passou por situações bem distintas em cinco anos de UFC. Após duas derrotas seguidas, lutador da ATT ficou na corda bamba, mas atualmente o momento é mais confortável. Em conversa com a TATAME, o casca-grossa comentou que está mudando seu estilo de lutar para poder se manter no evento e até buscar o cinturão dos leves, segundo seus planos, em 2011. Com luta marcada para o dia 15 de setembro, contra Jim Miller, Tibau garantiu que vai buscar o nocaute, assim como em sua luta anterior contra Caol Uno, revelou o segredo da preparação física feita pelos americanos, que segundo ele conseguem transformar os atletas em “mutantes”, comentou a dificuldade que os lutadores oriundos do Jiu-Jitsu estão tendo para finalizar e muito mais.

Que bons ventos lhe trazem ao Rio de Janeiro?
Eu sempre adorei essa cidade, tenho muitos amigos que moram aqui. Tem mais de três anos que eu não vinha aqui e resolvi tirar umas férias no Rio, dar uma passeada, arejar a cabeça. Depois da minha luta contra o Caol Uno decidi dar um tempinho nos treinos. Agora que marcaram minha luta contra o Miller para 15 de setembro, já posso planejar um trabalho. Fico no Rio até dia 20, depois volto forte com os treinamentos.

O Jim Miller tem como ponto forte a finalização... Acredita que o jogo dele vai casar com o seu?
Acho que pode ser uma boa luta... Ele é um cara completo, é forte no Jiu-Jitsu e no Wrestling. Esse lance de casar o jogo é meio relativo, até porque eu estou mudando minha estratégia. Se você observar a minha luta contra o Caol Uno, usei bastante a parte em pé, procurei trocar bastante, pois estou mais confiante na parte de Boxe e a partir de agora pretendo sempre ir em busca do nocaute.

Essa mudança de estilo é para agradar o patrão, dançar conforme a música?
É verdade, o UFC gosta e o público americano adora ver a trocação. É claro que eu não esqueço nunca minhas origens, mas hoje em dia penso em buscar o nocaute, pois está muito mais difícil de finalizar do que antigamente, os americanos estão muito fortes, é difícil segurá-los no chão e realmente nós temos que dançar conforme a música.

Nós vemos lutadores que quando vão para os Estados Unidos têm um ganho de massa e potência impressionantes em um curto período de tempo... Qual o diferencial do trabalho feito lá? São os suplementos ou o treinamento em si?
Nos Estados Unidos um cara do meu peso tem a força de um cara de 90kg... O diferencial é que eles antes de tudo são atletas, mais fortes do que em qualquer lugar, são muito objetivos na luta... Quanto à suplementação, sem dúvida é um ponto forte, eles transformam os sujeitos em mutantes e pra gente que é do Jiu-Jitsu fica difícil de finalizar, pois eles são muito bem preparados para fugir do Jiu-Jitsu e ainda batem muito forte.

Qual a sua expectativa quanto ao seu futuro no UFC?
Cara, vão fazer cinco anos que estou no evento, posso te dizer que entrar lá não é difícil, mas se manter é outra história... Estou bem confiante para esse ano de 2010, espero explodir. A ATT tem excelentes treinos e estou muito bem preparado. Sei que a minha categoria é a mais difícil do mundo, os atletas são muito ágeis, mas a ATT está apostando em mim e pretendo estar lutando pelo cinturão até 2011.

O que achou da luta em que Frankie Edgar tomou o cinturão dos leves de BJ Penn?
Achei que o Edgar foi mais arisco, mas os golpes do BJ foram mais contundentes, para vencê-lo o cara tem que fazer mais do que isso. Na revanche o BJ vai provar que é muito mais habilidoso e talentoso do que o Frankie.

Gostaria de deixar algum recado para os brasileiros que acompanham sua carreira?
Quero agradecer a todos os brasileiros que cobraram uma postura mais agressiva minha, batendo e atacando mais. Eu escutei meus fãs e estou mudando... Um grande abraço a todos
Fonte:tatame

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails