sábado, 11 de agosto de 2012

QUAL SERÁ O FUTURO DE TOQUINHO?

Rousimar Palhares é sem dúvida nenhuma um dos nomes de mais respeito entre os brasileiros no UFC entre os que acompanham a sério a modalidade que mais cresce no planeta.
Toquinho, como é conhecido, nasceu na cidade de Dores do indaiá, no interior de Minas Gerais e de origem humilde, ralou muito para chegar onde está, entre os maiores nomes da categoria peso-médio do UFC.
Visto até a poucos meses atrás como um possível desafiante ao título da categoria, pertencente ao conterrâneo Anderson Silva, Toko conquistou muitos fãs com seu jogo agressivo, jiu-jitsu afiado e força dentro do cage, porém, fora do mesmo conquistou com sua humildade e jeito simples a todos os que tiveram chance de trocar meia-dúzia de palavras com o mineiro.
Toquinho teve seu último desafio no Ultimate contra o americano Allan Belcher e mesmo afirmando na imprensa e através de sua equipe que estaria 100% para o combate, não foi exatamente o que vimos. E nos abriu uma série de questões: Ele estava 100% fisicamente para a luta? Toquinho se preparou adequadamente em todos os quesitos? Ele é um lutador previsível? Entre outras indagações que possam existir.
Uma coisa sobre isso tudo é certa: Toquinho não é tão previsível como imaginam muitos que o veem sempre terminar o combate da mesma maneira, com sua especialidade nas chaves de calcanhar e joelho. Mas juro para você que essa foi uma das coisas que mais ouvi falar entre os comentaristas e usuários que acompanharam seu último combate.

Toquinho tem uma especialidade e estava bem com ela, indo longe. Chegou ao UFC, venceu grandes nomes e estava trilhando um belo caminho, que ainda não se encerrou. Nada mais digno de que tentar, como sempre, utilizar sua receita de sucesso, que fraquejou, não pela primeira vez.
Não se sabe o que passou na cabeça de Toquinho, mas com certeza se frustrou ao não encaixar suas especialidades sobre o adversário, após ganhar confiança em uma boa queda. Porém, ao perder sua posição, viu Allan Belcher crescer e massacrá-lo no ground-and-pound, sem uma boa guarda para afastar seu oponente.
Um lutador de MMA, para chegar onde o mesmo chegou, com certeza tem outros trunfos, mas não pode abandonar sua principal origem, que é o que faz-se temer contra seu próximo combate, contra Yushin Okami no UFC 150.
Tão criticado por tentar usar o seu melhor, temos que torcer para Toquinho, que caracterizou não ter lutado em seu melhor preparo para o combate com Belcher, fazer o de sempre e aprender com sua derrota para que não aconteça o mesmo, relembrando seus grandes triunfos, sem nunca menosprezar seu oponente, manter sua característica humildade e buscar sempre, acima de tudo, a vitória no octógono, sem frustrar-se em uma tentativa malsucedida e partir para cima, se não for na chave de calcanhar, que tente ganhar uma posição de domínio, se não for no chão, que nocauteie em pé, e nos faça ver e provar que é um lutador completo e merece dar passos largos em direção à possibilidade de um título no Ultimate.
Os ditos passos, não virão com uma vitória somente, mas se o foco está na luta contra Okami, que dê como sempre o seu melhor, pois se convencer contra o ex-desafiante de Anderson Silva, tem tudo para lutar mais duas ou três boas lutas e conseguir o sonhado title-shot.
Vamos aguardar para que no dia 11 de agosto em Denver, Toko não esqueça o seu melhor e esteja com suas fraquezas aperfeiçoadas lembrando do que o fez chegar no maior evento de lutas do mundo, pois em caso de uma derrota pode não estagnar e sim dar um passo para trás na categoria, talvez lutando até mesmo em um card preliminar, fazendo com que se esquecesse sua última sequencia ótima de vitórias contra Dave Branch, Dan Miller e Mike Massenzio.
Foto: Reprodução/Youtube

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails