quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

CHAD MENDES O DESAFIANTE Nº 1 PARA JOSÉ ALDO. CONFIRA ENTREVISTA


Foto: Divulgação/UFC
O cartel invicto de onze vitórias, sendo quatro no WEC e duas no Ultimate Fighting Championship, levou Chad Mendes a ocupar o posto de desafiante número um ao cinturão  da categoria  peso pena.
O atleta da Team Alpha Male luta profissionalmente há apenas três anos e poderá se tornar campeão da maior organização de MMA da atualidade. Para isso, terá que derrotar um dos melhores lutadores peso por peso da atualidade, o campeão José Aldo Junior.
“Money” Mendes era um wrestler da Liga Universitária Americana, onde conquistou o vice-campeonato. Inconformado, o atleta partiu em busca da realização como lutador e começou a treinar com Urijah Faber, ex-campeão do WEC, e não parou mais.
Em entrevista exclusiva ao blog Mano a Mano, Chad Mendes falou sobre a transição das competições de wrestling para os treinos no MMA e sobre a luta que ocorrerá no UFC “Rio” 142, quando pretende mostrar ao mundo quem é o melhor lutador do mundo até 66kg.
“Assisto as lutas dele desde o início da carreira e sempre soube que nos encontraríamos no octógono um dia”, disse. “Vamos mostrar a todos quem é o melhor da categoria”, respondeu quando perguntado se gostaria de dizer algo a José Aldo.
Confira a entrevista completa:
Blog Mano a Mano: Você começou a lutar profissionalmente em 2008. O que te motivou a lutar MMA?
Chad Mendes: Eu entrei para o MMA porque eu tinha feito wrestling na faculdade, onde cheguei a ser vice-campeão nos campeonatos do NCAA (Liga Universitária Americana). Meu objetivo ao longo do tempo no wrestling no colegial e na universidade era o de ser o campeão e não consegui chegar lá durante a carreira no wrestling.  Quando me formei na faculdade, ainda tinha aquela fome de ser campeão, tinha essa ambição e não queria desistir de lutar. Queria ser campeão. Eu era amigo do Urijah Faber, somos amigos desde a época do colegial.  O Urijah me disse que se eu quisesse morar em Sacramento e treinar com ele, eu teria um lugar para morar.  Aceitei o convite dele e me mudei para Sacramento [Norte da Califórnia] no dia seguinte ao da minha formatura e estou lutando MMA desde então.
Blog Mano a Mano: Qual foi a maior dificuldade na transição do wrestling para as artes marciais mistas?
Minha maior dificuldade foi o striking [parte de trocação em pé].  No wrestling, lutamos muito no chão, então eu não tinha muita experiência lutando em pé.  Foi difícil pra mim me acostumar com a postura erguida, já que havia passado minha vida inteira treinando nas posições do wrestling.  Foi difícil acostumar a lutar em pé podendo soltar socos e chutes.
Blog Mano a Mano: A invencibilidade de onze lutas na carreira é algo que mais te pressiona ou te motiva?
Eu tento não pensar no meu recorde. Penso em cada oponente que eles colocam diante de mim, penso em onde são os pontos fortes e fracos de cada um e como posso vencê-los.
Blog Mano a Mano: Qual vitória você considera como a mais importante da sua carreira?
Eu não considero nenhuma vitória mais importante que as outras vitórias. São todas importantes para mim.  Mas eu tenho sim uma luta favorita que foi contra o Anthony Morrison, aqui na Califórnia. É minha luta favorita porque foi em Sacramento, diante do povo da minha cidade.  Eu aceitei a luta com apenas duas semanas de aviso e o finalizei no primeiro round.
Blog Mano a Mano: Qual diferença você sentiu entre os eventos produzidos pelo WEC e pelo UFC?
Eu acho que é o tamanho do público e o assédio que recebemos depois de cada luta.  Percebi logo após a minha primeira luta no UFC que eu tinha muito mais fãs do que tinha pelo WEC.
Blog Mano a Mano: Você enfrentará o José Aldo no Brasil. Como você recebeu essa notícia?
Me sinto ótimo, não há forma melhor para eu provar ao mundo que sou o número um da categoria do que vencendo o atual campeão. O Zé Aldo é um tremendo lutador, e já teve lutas incríveis.  Mas ganhar dele me transformará no número 1, que é o que eu quero ser.
Aldo e Mendes se encararam na coletiva do UFC 142 (Foto: UFC)
Blog Mano a Mano: Você e o Aldo poderiam ter lutado no UFC 133, em agosto, mas uma lesão impediu o brasileiro de enfrentá-lo. Você preferiria tê-lo enfrentado naquela ocasião do que em janeiro, no Rio?
Lesões acontecem no nosso esporte e eu quero lutar contra o melhor Zé Aldo que há.  Sou muito fã dos filmes do Rocky, e eu gosto muito daquela cena quando o Rocky luta na Rússia contra o russo e ganha. Aquela cena me motiva muito e eu quero ir ao Rio e conquistar aquele cinturão.
Blog Mano a Mano: Você tem como principal arma em seu jogo o wrestling e o Aldo é um lutador difícil de ser derrubado. Você acredita estar pronto para lutar em pé contra ele caso não consiga derrubá-lo?
Sim, estarei preparado para lutar em qualquer lugar. Me sinto confiante lutando em pé também.
Blog Mano a Mano: Você concorda com os rankings que colocam o Aldo na lista dos dez melhores lutadores peso por peso da atualidade?
Acredito que o Aldo definitivamente é um lutador top peso por peso, mas acredito que eu também deveria estar nesta lista. Vamos ver o que acontece dia 14 de janeiro.
Blog Mano a Mano: Qual a sua expectativa para lutar no Rio de Janeiro?
Estou esperando muita loucura [no bom sentido]!  Ouvi falar que no UFC Rio os fãs foram espetaculares, o que é bem empolgante para nos lutadores.  E ótimo ter fãs tão ligados no que está acontecendo no octógono.
Blog Mano a Mano: O que você achou da repercussão do UFC 134?
Foi muito legal ver os brasileiros no card ganharem. Foi especial para a audiência e também para os lutadores.  Acho que foi uma ótima forma de levar o UFC de volta às suas origens no Brasil, foi uma ótima inauguração.
Blog Mano a Mano: Caso você derrote o José Aldo, se tornará campeão da maior organização de MMA do mundo com apenas três anos de carreira. Essa é a sua maior motivação para essa luta?
Esta é a minha maior motivação para essa luta.  Entrando para o MMA, o meu maior objetivo era me tornar o campeão mundial.  Não há forma melhor de fazer isso acontecer do que fazendo na maior e melhor organização de MMA do mundo - o UFC.  Essa é a luta mais importante da minha carreira. Quando entrei para esse esporte, sabia que iria ter sucesso, mas estar lutando pelo título mundial com apenas três anos de carreira superou as minhas expectativas.
Blog Mano a Mano: Se tivesse a oportunidade dizer algo ao campeão, o que diria?
Você é um ótimo campeão. Eu assisto suas lutas desde o início da sua carreira e sempre soube que nos encontraríamos no octógono algum dia.  Esse dia está chegando e no dia 14 de janeiro vamos mostrar a todos quem é o melhor da categoria.
Blog Mano a Mano: Para finalizar, o que você possui em seu jogo que será determinante para a sua vitória no dia 14 de janeiro?
Acho que a minha habilidade de levar a luta para onde eu quiser. Vou trazer o Zé Aldo para o meu mundo, onde vou lutar do meu jeito.
Blog Mano a Mano: Chad, muito obrigado pela sua atenção. Deixe uma mensagem aos fãs brasileiros que acompanham a sua carreira no UFC.
Estou ansioso para chegar no Brasil. Ouvi dizer que é um país lindo. Treino com muitos brasileiros e eles sempre foram muito legais comigo.  Adoro a energia do povo brasileiro e mal posso esperar para conhecer a cidade maravilhosa. Obrigado pelo seu apoio, e me sigam no twitter@chadmendes. Obrigado e valeu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails