segunda-feira, 19 de abril de 2010

Jiu-Jitsu faz até chover em Abu Dhabi


Foram três dias de muita ação em Abu Dhabi. Pelo segundo ano consecutivo, o maior dos emirados sedia o Mundial Profissional de Jiu-Jitsu, competição que pagou milhares de dólares aos grandes nomes da arte suave. E o show de lutas teve muitas particularidades este ano.
O Sheik Tahnoon, grande incentivador do esporte, de um chega pra lá na tradição e trocou a tribuna real pelo tatame. Acompanhando as lutas de perto, ele não se assustou nem mesmo quando a chuva caiu em Abu Dhabi. Não foi um temporal, é verdade, mas o chuvisco que caiu no deserto árabe já era estranho demais para quem está acostumado a quase 365 dias por ano de sol e muito calor.
A chuva que caiu serviu para lavar a alma de muita gente. As finais dos pesos na faixa-preta, então, foi marcada por muita revanche. Na disputa do absoluto, Gabriel Vella chegou à semifinal com uma vitória sobre Ricardo Demente, mas o faixa-preta da Nova União deu o troco na luta pelo título dos mais pesados, conseguindo uma raspagem nos instantes finais da luta e faturando o cheque de US$ 8 mil.
O mesmo aconteceu nas duas finais do feminino. Reeditando a final da primeira seletiva sul-americana para o torneio, Luanna Alzuguir conseguiu um desfecho diferente sobre Bia Mesquita. Entre as mais pesadas, Gabi Garcia igualou uma conta antiga contra Luzia Fernandes, faturando o título com um placar de 8x2, garantindo o segundo ouro para a Alliance no Mundial Profissional.
Mas a competição não ficou marcada somente pelas “vinganças”. As zebras também apareceram no deserto, se é que podemos chamar nomes como Cláudio Calasans e Alexandre Ceconi de zebras. O fato é que Bráulio Estima e Rômulo Barral eram os grandes favoritos em seus pesos. Comendo pelas beiradas, Calasans se tornou o grande nome do Mundial, batendo Bráulio nas finais do peso e absoluto. Campeão mundial, Barral caiu diante de Ceconi, permitindo uma passagem de guarda a 10 segundos do fim.
Nas outras categorias, os favoritos não deram espaço para surpresas. Nos mais leves, os irmãos Rafael e Guilherme Mendes dominaram mais uma vez. A cereja do bolo foi a final entre irmãos, que terminou em 4x2 a favor do bicampeão Rafael, além de uma surpreendente participação do peso pena no absoluto, batendo atletas com mais de 100kg.
No peso acima, Gilbert Durinho, mais um atleta da Atos, fez bonito e levou o título sobre Cláudio Caloquinha. Tudo isso, claro, acompanhado de perto pelas lentes atentas da TATAME, que não deixou escapar nenhum detalhe das lutas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails