sexta-feira, 23 de abril de 2010

ALDO FALA SOBRE A LUTA CONTRA FABER


Há duas semanas, Anderson Silva protagonizou uma das lutas mais criticadas na história do MMA, ao vencer o também brasileiro Demian Maia em Abu Dhabi. Dias depois, foi a vez do Strikeforce, empresa rival do UFC, dar vexame: em evento ao vivo na CBS, uma das mais importantes redes de TV dos EUA, uma briga generalizada deixou envergonhado todo o mundo das lutas.
ALDO FALA SOBRE A LUTA CONTRA FABER
Neste sábado, um brasileiro é a aposta para controlar os danos sofridos pela modalidade nas últimas duas semanas. Showman, dono de um currículo invejável, o amazonense José Aldo defende o cinturão dos pesos penas do WEC (World Extreme Cagefighting) contra Urijah Faber. As lutas da edição 48 do evento começam às 23h (de Brasília), com transmissão no Canal Combate.
Aos 24 anos, Aldo acumula 16 vitórias em 17 lutas e é um dos responsáveis pelos planos do UFC de incorporar os pesos penas – o WEC e o UFC são eventos irmãos, controlados pela mesma empresa. Considerado um dos melhores lutadores peso-a-peso do planeta, ele é temido por sua velocidade e força na troca de golpes. Das 16 vitórias, 11 foram por nocaute, duas por finalização e três na decisão dos juízes.
O card principal será transmitido apenas em pay-per-view para os EUA. O fato é inédito na história do WEC e mostra como dana White & Cia. apostam no brasileiro. O rival será uma estrela norte-americana do MMA: Urijah Faber já foi campeão dos penas e está lutando em casa.

O CARD DO WEC 48
Jose Aldo x Urijah Faber
Ben Henderson x Donald Cerrone
Mike Brown x Manny Gamburyan
Anthony Njokuani x Shane Roller
A. Banuelos x Scott Jorgensen
Leonard Garcia x Chan Sung Jung
Alex Karalexis x Anthony Pettis

Ao UOL Esporte, Aldo falou sobre a responsabilidade de ser a estrela dos penas no MMA atual e a possibilidade de subir de categoria para lutar entre os leves no UFC. Veja a entrevista completa:
UOL - Você ainda é muito jovem e por isso apontado como um dos mais promissores lutadores de MMA do mundo. Como é essa responsabilidade? Como ela chega até você?
Aldo - Não vejo isso como responsabilidade. Apenas faço meu trabalho com amor, gosto do que faço e tento fazer tudo direito em minha vida, assim a gente consegue chegar lá.
Você acredita que os pesos mais leves do MMA podem um dia ter tanto reconhecimento quanto os pesados ou meio-pesados?
Acredito que os pesos mais leves estão crescendo cada vez mais e não vai demorar muito para isso ser mais reconhecido. Acredito também que estamos chegando com tudo, muitas pessoas gostam de ver lutas de categorias mais leves pois são mais dinâmicas.
Se vencer o Urijah Faber, terá passado pelos dois maiores lutadores da categoria até o momento. Qual seria o próximo passo para sua carreira? Subir de categoria?
Não sei ainda, tenho contrato com o WEC e pretendo continuar defendendo meu cinturão, mas deixo isso com meus empresários.
Como você chegou ao mundo do MMA?
Comecei a lutar MMA com 19 anos em Manaus, lutando capoeira. Batalhei muito para chegar onde cheguei. Vim de família humilde em Manaus e sempre fui atrás dos meus sonhos.
Sua cicatriz já até rendeu o apelido de Scarface. Como ela surgiu?
Quando eu era bebê, estava numa caixinha onde minha mãe me deixou. Minha irmã me empurrou numa churrasqueira caseira e cai com o lado do rosto nela.
Você é um apaixonado por futebol e principalmente pelo Flamengo. Como é sua relação com o futebol? Já pensou em ser jogador?
Sou fanático pelo Flamengo. Desde pequeno jogo futebol, tentei seguir carreira, mas não deu, então entrei para a capoeira e depois para o jiu-jitsu. Acompanho direto os campeonatos inglês, italiano, alemão. Sou Flamengo e Chelsea.
Como é sua relação com o Rio de Janeiro?
Amo morar no Rio de Janeiro. Desde pequeno, eu falava para minha mãe que queria conhecer o mar e realizei esse sonho. Agora morando aqui, sou muito feliz.
* Entrevista de Jorge Corrêa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails