quinta-feira, 29 de julho de 2010

INVESTIGADOR DE POLICIA E TREINADOR DE BOXE.

Luiz Dórea divide seu tempo. Logo no início da tarde, parte para seu emprego oficial, como um respeitado investigador de polícia. Mas é pela manhã que faz o que realmente gosta. Em cerca de três horas, grita, sua e apanha de marmanjos suados e garotas musculosas. Mas tudo bem. É só a rotina de um técnico de boxe que ficou famoso por levar Acelino Freitas, o Popó, ao título mundial, e que tem aproveitado o crescimento do MMA para retomar seu melhor momento e dar nova direção à carreira.
O ex-pugilista baiano teve em suas mãos não só Popó, mas também Sertão, Pedro Lima e os irmãos Rodrigo e Rogério Nogueira, que começaram no boxe. Foram justamente estes dois últimos que há cerca de sete anos colocaram o mestre de boxe no caminho do vale-tudo, como forma de melhorarem a luta em pé, com os punhos. Em setembro, eles protagonizam o UFC 119.

DO BOXE AO MMA
O boxe costumava ser melhor (financeiramente), afinal, o Popó era um campeão do mundo. Mas já faz tempo que ganho mais no MMA
“O MMA chegou para mim em 2003, com o Minotauro. Ele treinou boxe comigo desde os 15 anos, antes de entrar no jiu-jitsu. Depois, deslanchou, foi para os EUA, foi campeão no Pride. E então me ligou. Não esqueceu suas raízes e ligou para eu voltar a treiná-lo e dar uma base maior de boxe”, explica ele, em conversa na academia Champion, na Ladeira do Ypiranga, em Salvador.
Dórea já assistia à luta dos antigos pupilos, mas não imaginava na mudança que teria. Hoje, viaja quase todo mês, trabalha na maioria as edições do UFC e consegue dar condições aos treinos em sua academia de dois andares com o que ganha no vale-tudo e que já não lhe chegava pelo boxe.
“Foi uma nova fase, de muito aprendizado. Viajava para o Japão e, vendo os melhores do mundo, passava o que eu sabia e recebia o conhecimento dos outros. Alguns de clinch, outros da característica de como lutar em cima, no chão”, conta o investigador.
“Como sou um estudioso de lutas, sei que com o boxe posso ajudar muito no MMA, porque a luta começa em cima. O boxe ensina a se deslocar, ensina a entrar no raio de ação é sair A base é o jiu-jitsu, mas hoje todos sabem lutar. Como os atletas hoje priorizam a trocação, o boxe e o muay-thay ganharam força”, analisa, sobre sua especialidade.
Os irmãos Nogueira chamaram atenção para uma série de outros lutadores, levando Dórea a ficar conhecido pelo talento no trato com o vale-tudo. O primeiro foi Gilberto Crocotá, que rendeu a estreia do técnico no UFC. Depois, passaram pela Champion Vitor Belfort, Anderson Silva, Demian Maia. “Todos que chegam ajudamos, porque a ideia é contribuir com o esporte brasileiro”, explica.
Agora, seu pupilo exclusivo que mais promete é Júnior Cigano, peso pesado com cinco lutas e cinco vitórias no UFC. “Não tenho dúvida de que o Cigano será campeão brasileiro. No passado, ele era esperança, mas hoje é uma realidade”, elogia, Dórea. O catarinense enfrenta o norte-americano Roy Nelson no UFC 117.
“O Dórea e o Minotauro sempre falam coisas que motivam. Isso me mostrou como é estar em cima de um ringue contra um top”, diz Cigano, sobre a confiança ganha na academia. O campeão do Pan do Rio Pedro Lima completa os elogios: “Ele é o tipo da pessoa que não faz por dinheiro. Aqui é uma família, com suas diferenças, como em qualquer outra, mas onde um ajuda o outro. É assim que trazemos os resultados.”

Fonte:http://esporte.uol.com.br/lutas/boxe/ultimas-noticias/2010/07/29/mentor-de-popo-vira-mago-do-boxe-para-estrelas-do-mma.jhtm
Reportagem sobre o Dórea. muito boa....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação seja sempre bem-vindo ao nosso blog, fique em paz.
Ossssss

Related Posts with Thumbnails